Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

VEREMOS COMO AS CHAMADAS “FORÇAS VIVAS” DA REGIÃO SE MEXERÃO

«Como bem diz o Prof. Cipriano Justo, as opções estratégicas do SNS devem partir da definição das necessidades locais. Ora bem, há longa data, era isso que se procurava fazer no Hospital de Beja. A saber:
1. A primeira grande aposta do Hospital de Beja, isto é, investimento em formação nessa área de especialização médica, foi realizada com a Dra. Maria José Passos, facultando-lhe condições que vieram a permitir-lhe fixar-se, não em Beja, mas por sua opção, no IPO de Lisboa.
2. Nessa época já tratávamos cá muitos dos nossos doentes oncológicos, quer cirurgicamente, quer medicamente, seguindo a consultoria dos especialistas do referido IPO.
3. Não fazendo a Oncologia Médica parte das valências iniciais do Hospital, conseguimos, durante o período em que foi Ministra da Saúde a Dra. Maria de Belém, vencendo as pressões do lóbi centralizador (“sedeado”em Évora…), alargar o quadro de especialidades, incluindo-a e permitindo que o Dr. Sérgio Barroso fizesse o seu respetivo Internato.
4. Depois de eu ter saído da Direcção Clínica, por várias vezes o risco de perdermos o que tão duramente conquistámos foi alvo de alertas nas páginas do Diário do Alentejo. O Dr. Rui Sousa Santos, infelizmente precocemente falecido, era um defensor de dispormos dessa valência, visando minorizar o sofrimento de doentes oncológicos e seus familiares. Foi durante a sua gestão que se ergueu o atual Hospital de Dia.
5. Mas as tendências centrípetas (e também as “centrífugas” ao SNS…) continuaram sem oposição e resistência, contanto com permissividades e quiçá algum colaboracionismo de decisores bem posicionados, e concretizou-se em 2013 a amputação do internamento oncológico, facto por todos conhecido.
6. Na continuidade dessa tendência, estamos em risco de perder também a vertente ambulatória dessa valência. Seria mais uma etapa para reduzir o Hospital de Beja à insignificância. Veremos como as chamadas “forças vivas” da região se mexerão, já que até agora só vislumbrei “forças mortas”.»
Munhoz Frade a 17 de Maio de 2015 às 12:54, aqui.

PCP QUESTIONA GOVERNO SOBRE MEDRONHO DO ALENTEJO

190520152206-213-Medronho.JPGO Grupo Parlamentar do PCP vai dirigir ao Ministério da Agricultura uma questão sobre os esforços feitos pelas estruturas públicas para encontrar uma solução que satisfaça os produtores de medronho do Alentejo.
Em causa está a denominação de Indicação Geográfica Protegida (IGP) “Medronho do Algarve”, que numa primeira fase abrangia os frutos colhidos em oito freguesias de Almodôvar, Odemira e Ourique. O desagrado dos produtores alentejanos levou a que a Associação responsável pela IGP se comprometesse a retirar da Indicação as freguesias do Alentejo.

João Ramos esteve em S. Barnabé e em Santana da Serra para conhecer a produção do medronho destas freguesias. Havendo produção dos dois lados da serra, o deputado do PCP quer saber até que ponto é possível encontrar um ponto de união de maneira a não “dispersar” classificações nesta matéria.

EP GARANTE INÍCIO DE OBRAS DE RECUPERAÇÃO DE TROÇO DA EN2

310320150207-842-EstradaNacional2.jpgOs presidentes das autarquias de Aljustrel e Castro Verde reuniram-se com representantes da EP-Estradas de Portugal, S.A.
Os representantes da EP assumiram a responsabilidade do início das obras de recuperação no troço da EN2 Ferreira do Alentejo Norte/ Castro Verde e de encerrar a adjudicação da empreitada da ponte sobre a Ribeira do Roxo até final de 2015, estando o começo das obras previsto para o início de 2016.

UNIDADE DE QUIMIOTERAPIA DA ULSBA EM PERIGO?

190520151925-617-HOSPITALDEDIADEBEJA.jpgA ULSBA dispõe de um Hospital de Dia, com uma unidade de quimioterapia que faz parte da sua carteira de serviços e que ficou sem o médico oncologista que nela prestava serviço. Margarida Silveira assegura que a unidade de quimioterapia não vai fechar e que está a tentar encontrar soluções para a saída do profissional.

A presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo é a convidada do “Contraditório”, que vai para o ar esta tarde, pelas 18h15, na Rádio Pax.

MARTINHO MARQUES LANÇA DOIS NOVOS LIVROS

190520152137-938-MartinhoMarquesbBeja.jpg

Martinho Marques apresenta esta tarde, na Biblioteca Municipal, dois novos livros, na iniciativa deste espaço cultural da cidade: “Conversas com B de Beja”.
A sessão começa às 18.00 horas e Martinho Marques revela ao seu público dois novos livros: Treinos – Na Pista dos Contos e a Escola Instantânea e a Vida a Tracejado, que vão ser apresentados por Gilda Lopes Encarnação.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Somos o futuro ahahahahahah

  • Anónimo

    EscOteiros ou EscUteiros?!

  • Zobaida

    O Diário do Alentejo, conforme apresenta no cabeça...

  • Anónimo

    E bumba! Ora toma lá mais regionalização.Numa regi...

  • Anónimo

    Exactamente!"O tempo é o único capital das pessoas...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds