Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

FERREIRENSE ÂNGELA RELÓGIO FINANCIADA PELA ALEMANHA PARA INVESTIGAR “RELÓGIO CIRCADIANO”

10686607_756363211122494_2574765699250241984_n.jpgÂngela Relógio, natural de Ferreira do Alentejo e investigadora na Universidade de Medicina de Berlim, Alemanha, tem vindo a dedicar-se ao estudo do relógio circadiano e recebeu, em 2014, do Ministério Federal da Educação e Investigação da Alemanha um financiamento de 1, 5 milhões de euros para os próximos cinco anos. Um montante que lhe permitirá desenvolver o seu grupo de investigação que irá estudar “as características do relógio circadiano em diferentes tipos de células tumorais”.
O objetivo da investigadora alentejana é “identificar fases específicas, durante a progressão tumoral, onde o relógio escapa ao controle do organismo, o que poderá ter implicações na terapia utilizada”.
Ângela Relógio licenciou-se em Engenharia Física-Tecnológica pelo Instituto Superior Técnico (IST) de Lisboa e obteve uma bolsa de doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia do Ministério da Ciência. Participou em diversos seminários e conferências, deu aulas no IST e rumou depois ao Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL), em Heidelberg, Alemanha.
In: http://da.ambaal.pt/noticias/?id=6984

HAVERÁ MUSEU REGIONAL DE BEJA EM 2015?

logo-museu-regional-de-beja.jpgO Museu Regional de Beja é uma peça essencial no futuro da região, na afirmação do território e da própria cidade de Beja. Assim esta o queira.
Foram várias as iniciativas em torno do Património e do Museu, nas quais participei. Em fevereiro de 2012 teve lugar o colóquio “Beja – imagens da cidade antiga”, com uma chamada de atenção séria para a situação do Museu Regional. Os resultados práticos foram inexistentes. Em maio de 2012 promoveu-se uma concentração à porta do museu, alertando de novo para um problema que se tornava cada vez mais sério. Nada de concreto se passou.
Chegado a este ponto, deixo aqui algumas questões, já em tempos formuladas: É admissível que se possa pensar no encerramento, por falta de perspetivas futuras (que têm de ser criadas), de um dos principais museus do Sul? É admissível que a cidade se alheie de uma das suas mais emblemáticas instituições e deixe que ela definhe, sem poder cumprir a sua função? É admissível que os poderes públicos olhem para um Museu (e logo este, cheio de carga simbólica e possuidor de uma notável coleção) como se encara um setor dispensável de um qualquer organigrama?
Depois de um ano perdido em hesitações de vária ordem, o tempo é agora mais escasso e o caminho ainda mais estreito.

 

Leia todo o texto publicado por Santiago Macias à(s) 00:11, em: http://avenidadasaluquia34.blogspot.pt/2015/01/havera-museu-regional-de-beja-em-2015.html?m=0

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ora aqui está um tema que deveria ser motivo de re...

  • Anónimo

    Pelos vistos vai ser o primeiro a profanar o sítio...

  • Anónimo

    Tens toda a razão. Já cá faltava a patetice da com...

  • Anónimo

    Vote no PAN.

  • Anónimo

    Já cá faltava a patetice da habitual comparação co...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds