Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

CIMBAL NÃO RESPONDE À ASSEMBLEIA DISTRITAL E TRABALHADORES DESTA FICAM COM ORDENADOS EM ATRASO

Zé LG, 31.12.14

181220130109-728-DSC_0604.JPGSantiago Macias, presidente da Assembleia Distrital, avançou que importa que rapidamente a CIMBAL decida sobre a proposta de aceitar os trabalhadores da Assembleia Distrital nos seus quadros.
Recorde-se que a Assembleia Distrital aprovou em 9 de Setembro do corrente ano a transferência dos trabalhadores do Museu Regional e a universalidade de todos os bens e recursos da Assembleia Distrital de Beja (ADB) para a CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, mas que até ao momento não foi concretizada.
In: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=4731

Entretanto os trabalhadores da Assembleia Distrital / Museu Regional de Beja não receberam parte do vencimento deste mês, ao contrário dos seus colegas das autarquias.
In: http://alvitrando.blogs.sapo.pt/o-natal-nao-foi-bom-para-todos-2841069

“BEJA 100 ANOS DE IMAGENS” precisa de 500 subscrições para avançar

Zé LG, 30.12.14

10427238_749773011775709_84460558057095762_n.jpgA Associação para a Defesa do Património Cultural da Região de Beja, vai editar o livro Beja 100 anos de Imagens, em Abril de 2015, com textos e fotografias de 1866 a 1974.
Um livro de Histórias de Beja, onde as mudanças Urbanística, sociais e culturais ficaram na memória das imagens. Um deslumbre de coisas a descobrir da nossa tão velha cidade. As palavras iluminarão as imagens.

Até 12 de Janeiro, o livro, de formato 25X25 cm e com capa dura, com design da Mariana Conduto, custará 20 euros, depois será de 30 euros, preço de mercado.
A edição avançará se forem feitas 500 subscrições. Façam a vossa subscrição em:
http://www.adpbeja.pt/index.php/subscricao-do-livro-beja-100-anos-de-imagens

MOURALUMNI

Zé LG, 30.12.14

graduation_cap1.jpgEis o PROJETO MOURALUMNI. Vamos trazer de volta a Moura todos os antigos alunos da Escola Industrial e Comercial e da Escola Secundária que vivem fora e que se destacaram nos respetivos domínios profissionais. Como e quando? Isso será divulgado conjuntamente pela Escola Secundária e pela Câmara Municipal de Moura no início de 2015. A Rádio Planície irá apoiar a iniciativa. E mais não se diz, por agora. Um teaser é isso mesmo.
Publicada por Santiago Macias à(s) 17:34, em: http://avenidadasaluquia34.blogspot.pt/2014/12/mouralumni.html

"A HISTÓRIA NÃO OS ABSOLVERÁ"

Zé LG, 30.12.14

10885172_777943372281134_1444607576950287131_n.jpg

Cheguei há pouco da Assembleia Distrital que discutiu o futuro do Museu Regional de Beja. Estive com alguns dos seus trabalhadores, que compunham o "público" presente (era, aliás, o único não trabalhador dos "assistentes"), numa atitude solidária para com o longo calvário de incertezas e indefinições por que têm passado. De tudo o que ouvi ao longo das mais de duas horas de reunião não quero, por agora, dizer (escrever) o que penso (talvez daqui a uns dias ou umas semanas). Mas, tal como a noite, também o que lá se ouviu, ainda que por vezes em palavras bem quentes, deixou antever um futuro frio, quase gelado, que o NOSSO Museu pode vir a ter. Espero, sinceramente, que me engane e que, de uma vez por todas, que todos aqueles que foram eleitos para assumir as suas responsabilidades, as assumam de uma vez por todas, deixando-se de meias palavras e rodriguinhos (para não usar uma palavra mais forte, que um dos intervenientes usou - hipocrisia). Porque, a não ser assim, e se "a coisa der para o torto", podem ter a certeza que a História não os absolverá.
José Filipe Murteira em: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=777943372281134&set=a.110730982335713.17284.100001964355685&type=1&theater

“RESERVATÓRIO DA PRAÇA É FUNDAMENTAL PARA O ABASTECIMENTO DE ÁGUA A GRANDE PARTE DA CIDADE”

Zé LG, 28.12.14

«… aqui fica uma sequência de factos, sublinho, sequência de factos, para facilitar o debate:
1- O reservatório da praça não tem resistência sísmica, nunca teve;
2 - O reservatório da praça carece de reabilitação;
3 - O reservatório da praça marca a linha da cidade;
4 - O reservatório da praça é fundamental para o abastecimento de água a grande parte da cidade, não só pela sua capacidade de armazenamento mas sobretudo pela função que desempenha ao nível do equilíbrio de pressões;
4 - O reservatório da praça esconde no seu interior uma escada de características raras e de elevado interesse arquitectónico;
5 - O reservatório da praça possui três patamares visitáveis que conferem, cada um deles, vistas extraordinárias sobre a cidade;
6 - O reservatório da praça, concorde-se ou não, constitui um ponto de excelência para observação da beleza da cidade e da sua zona envolvente alargada;
7 - O abastecimento de água à parte alta da cidade não se pode fazer sem ele, ou pode, mas com profunda alteração a esse setor da rede de águas.
8 - Esse setor da rede de águas estava como próxima prioridade no plano de investimento da anterior administração;
9 - A nova administração, inexplicavelmente, ou talvez não, ignora por completo este problema;
10 - O projeto de reabilitação da sua estrutura, criação de resistência sísmica, revestimento exterior em cortiça (elemento de ligação à história da cidade e da região), iluminação e pequena intervenção no interior para permitir que seja visitável e utilizado como miradouro, foi realizado.
11 - A função de visitação e utilização como miradouro tem um custo inferior a 10% do valor total da obra;
12 - A função principal e única é ser reservatório;
13 - As outras utilizações são mais-valias, complementos que nunca se fariam por si só;
14 - O concurso público para a realização da empreitada decorreu;
15 - Um empreiteiro ganhou e a obra foi-lhe consignada pelo anterior executivo há mais de um ano;
16 - O executivo em funções ignorou tudo isto e muito mais e ameaçou demolir;
17 - Apenas ameaçou demolir, apenas isso.»
Comentário de Rui Marreiros a 24 de Dezembro de 2014 às 17:32, em: http://alvitrando.blogs.sapo.pt/afinal-que-futuro-vai-ter-o-deposito-de-2839470#comentarios

"Montagem de andaimes no Castelo de Beja"

Zé LG, 27.12.14

583px_304f14195970132063a40b.png«O Município de Beja e a Direção Regional de Cultura do Alentejo já deram início ao processo de colocação da estrutura metálica do tipo andaime, envolvendo a Torre do Castelo de Beja, com vista à intervenção necessária.
A Câmara Municipal de Beja, desde a primeira hora, sempre teve intenção de proceder com a maior rapidez possível a esta intervenção uma vez que está em causa um importante monumento, símbolo da cidade.
Recorde-se que o Castelo de Beja foi vítima de uma derrocada, no dia 13 de Novembro, tendo cedido parte do varandim da Torre.
A instalação da estrutura metálica do tipo andaime envolvendo a Torre, previne o colapso eventual de elementos instáveis e, simultaneamente, permite a realização de exames e ensaios necessários à preparação de uma intervenção de consolidação estrutural do monumento.»
In: http://www.44.mkitd7.com/v/8Yegauxe1QZe2db5cf-b09 (B NEWSLETTER|26 DEZ)

"De Alvito para a ribalta" - MARIANA MORTÁGUA

Zé LG, 26.12.14

mariana-mortagua-1316.jpgAos 26 anos já escrevia um livro com um Nobel da Economia, mas só aos 28 Mariana Mortágua se tornou na deputada de quem se fala.

Sente que tem sorte, por estar orientada. Tem, pela função que desempenha "por cidadania", um bom ordenado ao fim do mês, o que sabe bem, depois de ter sido "tão pobre", em Londres. Passa pelas comissões e pelo hemiciclo com ar simpático, sorridente, mas seguro. E com a responsabilidade de ir desconstruindo a linguagem mais técnica e o economês, para que todos os eleitores percebam do que se fala, naquela casa do poder. Quer acabar a legislatura "a fazer um bom trabalho" e com forças para se empenhar na campanha, por um Governo de esquerda. Com o PS? "O BE tem um projeto muito concreto. Não estou disposta a abdicar dele por um lugar no Executivo", diz, apontando os exemplos do Syriza ou do Podemos. "Votem em nós!", diz, convicta que é esta a vida que quer. O seu lugar na política (no BE) está conquistado. Há de acabar o doutoramento, para poder seguir (também) uma vida académica. Depois, é esperar pelas oportunidades e que a vida não a leve a emigrar.

Ler mais: http://visao.sapo.pt/de-alvito-para-a-ribalta=f805331#ixzz3Mx5EpiT3

O NATAL NÃO FOI BOM PARA TODOS...

Zé LG, 25.12.14

16959570_feh19.jpeg... que o digam os trabalhadores do Museu Regional de Beja, a quem não foi paga a totalidade dos salários, apesar das promessas de que tal não voltaria a acontecer, feita pelos autarcas, designadamente os de Beja e das boas palavras em defesa dos trabalhadores (http://alvitrando.blogs.sapo.pt/cdu-afirma-que-sempre-defendeu-a-2773239)...

Pág. 1/5