Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Uma análise desassombrada e pertinente

Foi apresentada uma proposta clara de resolução, que aponta no sentido da abertura do BE a novos contributos.

Não há que temer a diluição do Bloco num espaço de convergências, há isso sim é que evitar o fim do Bloco por não se abrir a esses espaços.

Há que juntar forças com todos os que queiram acabar com a política de austeridade que está a destruir a Europa.

Recusa do Tratado Orçamental, renegociação da dívida, (com ou sem saída do euro, para mim com! Não vejo outra forma) e uma aposta prioritária na recuperação do Estado Social, são sem dúvida bases para um entendimento.

A partir daqui tudo é possível.

M. Sampaio

Pensamento perigoso

Não estou a ver ninguém capaz de alterar para melhor o rumo que o nosso país está a levar. O anterior governo deixou o país na miséria. O povo insatisfeito com esse mesmo governo, votou a favor de uma mudança, alterando de partido no poder, colocando desta vez o PSD a governar. Difícil tarefa para este novo governo, pois o anterior escondeu de todos os Portugueses, o buraco financeiro que cavou durante o tempo que por lá esteve. Obrigados a contrair um enorme empréstimo, não era difícil de adivinhar quem o irá pagar! Agora meus amigos, há que pagar a quem devemos, estando para isso a perder cada vez mais qualidade de vida. Quanto mais oposição houver a este governo mais tempo nos irá levar a conseguirmos de novo reaver tudo o que nos estão tirando. Estou convencido que não existe melhor alternativa para comandar os nossos destinos de momento. Quando dentro do único partido da oposição não existe consenso, somente guerra pelo poder, e melhor para todos nós continuarmos com o que temos, são um pouco mais sérios do que as alternativas que se propõem.

Marques a 7 de Junho de 2014 às 12:01, em: http://alvitrando.blogs.sapo.pt/como-e-que-os-podemos-levar-a-serio-2720493?view=6473965#t6473965

 

Este é o tipo de pensamento que acho mais perigoso, porque: (1) considera que a culpa é só de quem governou antes, como se o actual governo não tivesse responsabilidades da situação para que atirou o país; (2) defende que não existe alternativa, como se em democracia não existissem sempre alternativas; (3) acha que é preciso pagar tudo o que os credores nos exigem, como se não existissem contas a acertar; (4) e, pior do que tudo, apela à acomodação, considerando que “quanto mais oposição houver a este governo mais tempo nos irá levar a conseguirmos de novo reaver tudo o que nos estão tirando”, como se não fosse pela luta que o Povo conquista aquilo a que tem direito.

Comentários recentes

  • Anónimo

    O Lagar é uma pena (o que não se fazia com 3,5 mil...

  • Anónimo

    ????????????????????

  • Anónimo

    Ninguém comenta a capa verde?

  • Anónimo

    Obrigado caro amigo. Um grande abraço. Ricardo (Se...

  • Ana Matos Pires

    Sim, vai seguir mail e o jornal fará o que entende...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds