Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Pedro Vasconcelos reeleito presidente do Conselho Distrital de Beja da Ordem dos Médicos

A única lista concorrente obteve 88,2% dos votos. Pedro Vasconcelos tem como vogais Nuno Mateus, Edite Spencer, Manuel Matias e Laura Caeiro.

O Conselho Distrital agora eleito tem como “primordial preocupação (…) contribuir, de forma activa, para a defesa do que resta do edifício do Serviço Nacional de Saúde”. Também a “defesa de Serviços e da sua Qualidade” será uma “inquestionável prioridade, pela convicção de que o Distrito Médico de Beja não pode ser amputado de Serviços, Profissionais ou Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica”, refere a Ordem dos Médicos de Beja. A mesma fonte diz que o diálogo institucional vai prosseguir “sempre que aceite”. O Conselho Distrital compromete-se a “desenvolver mais encontros em Unidades de Saúde do Distrito Médico e com grupos de Colegas, para auscultar as suas opiniões, preocupações e realidades locais”.

A Sede Distrital da Ordem dos Médicos vai continuar a ser um espaço aberto e disponível para ser utilizado pelos médicos assim como será o local de realizações de eventos científicos, como as «Conversas na Ordem».

In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=2657

"Esquerdas, unam-se, carago!."

Quarenta anos após a realização, em Aveiro, do III Congresso da Oposição Democrática, intelectuais de vários quadrantes políticos reuniram-se naquela cidade, para refletirem sobre a luta contra a ditadura marcelista e a atual situação política e económica no País. Promovida pelo movimento Não Apaguem a Memória (NAM), com o apoio de diversas instituições académicas, o colóquio, que decorreu na Universidade de Aveiro, no passado sábado, 7, deixou claro ter o III Congresso, que, em 1973, mobilizou 4 mil resistentes antifascistas, contribuido para abrir o caminho à Revolução dos Cravos. Mas porque, nas intervenções das individualidades que integraram os três painéis de debate estiveram sempre presentes as dificuldades que os portugueses hoje enfrentam, não surpreende que muitos dos 250 participantes na iniciativa do NAM tivessem perguntado repetidamente: "Foi para isto que se fez o 25 de abril?"

O colóquio terminou muito para além da hora programada. E já a sala estava a esvaziar-se quando alguém sugeriu que se convocasse o que seria um IV Congresso da Oposição Democrática. Então, como que a apoiar a proposta, uma mulher destacou-se do público e, de punho erguido e olhos postos nos oradores, gritou: "Esquerdas, unam-se, carago!."

Ler tudo: http://visao.sapo.pt/iii-congresso-da-oposicao-democratica-revisitado-em-aveiro=f761334

Comentários recentes

  • Anónimo

    E o PS não se sente incomodado com a saúde no Dist...

  • Anónimo

    CIDADE DE PANHONHAS...

  • Anónimo

    Agora é passado, mais uma vez. A ULSBA não terá es...

  • Anónimo

    Fazendo uma análise mais profunda verificamos que ...

  • Munhoz Frade

    Sobre o anúncio da criação de Centros de Responsab...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds