Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Carta aberta ao meu “Pimpolho”

Meu Querido “Pimpolho”

Escrevo-te esta carta para memória futura. Para que um dia, ao lê-la, possas entender a importância da escolha de quem nos governa, para evitar as maldades que os actuais governantes estão a fazer a ti – e a todos os meninos que têm necessidades especiais de educação.

O que te estão a fazer – a ti e a outros meninos -, para além das dificuldades que estão a provocar no teu desenvolvimento humano, representa também um grande atraso civilizacional.

Até aqui temos investido tudo o que nos parece adequado na tua formação, de forma a evitar maiores atrasos no teu desenvolvimento. Até agora, temos tido sorte nas pessoas que te têm dado apoio médico, terapeuta, escolar. A Sociedade mostrou-se preparada para a inclusão e o desenvolvimento humano.

No ano passado, o teu primeiro ano do primeiro ciclo, a Escola de Santiago Maior mostrou-se exemplar na tua inclusão e na integração dos diversos apoios. Apesar de te teres ressentido do meu internamento hospitalar, em resultado da doença que me afectou, o que levou a uma certa estagnação do teu desenvolvimento e, até, regressão nalgumas áreas, no segundo período, o balanço do primeiro ano foi muito positivo, como foi reconhecido por toda a equipa que te acompanhou e apoiou.

Eis senão quando, iniciado este novo ano lectivo, os senhores que mandam na Educação neste país decidiram, sem nunca tal terem assumido, acabar com esse meritório exercício de inclusão, em desrespeito pela legislação aplicável, que deviam ser os primeiros a cumprir.

A Escola abriu com falta de professores do ensino especial e de auxiliares e sem terapeutas. Praticamente um mês depois de iniciado o ano lectivo, a situação mantém-se com evidentes prejuízos não só para ti e os outros meninos que precisam de cuidados especiais de educação mas também para todos os outros, que vêem os professores e auxiliares a terem de ocupar mais tempo convosco em prejuízo deles.

No teu caso, corta-se-nos o coração ver-te perdido, sentado na sala de aula, sem conseguires acompanhares o que nela se passa e quase sem qualquer apoio. A Escola, a continuar assim, pouco mais será do que um depósito onde te deixamos de manhã e te vamos buscar à tarde…

O teu desenvolvimento não se verifica, pelo menos ao ritmo do ano passado, e o teu comportamento vai-se alterando. E não é para melhor.

As notícias que vão chegando sobre a colocação de pessoal, designadamente de terapeutas, davam vontade de rir, por ridículas que são, se não tivessem as consequências que referi. Para que percebas o que estou a dizer, dou-te apenas este exemplo – colocaram um tradutor de linguagem gestual para dois meninos surdos de salas diferentes. Fez bem a mãe de um deles ao ter ido falar com os responsáveis regionais, acompanhada por uma tradutora, que explicou por gestos a situação, tendo aqueles referido que não percebiam o que ela estava a dizer. Pois é, é essa a situação em que o meu filho se encontra nas aulas, respondeu a mãe…

Hoje realizou uma manifestação de pais de meninos com necessidades educativas especiais junto do Ministério da Educação, em Lisboa, a reclamarem que cumpram a legislação e coloquem o pessoal necessário nas escolas.

Nós, em conjunto com outros pais, entregámos, à CAP – Comissão Administrativa Provisória do Mega-Agrupamento que integra a tua escola, um documento a reclamar o mesmo.

Há pouco ouvi o primeiro-ministro, na RTP, a dizer o Ministério da Educação não só não tinha dado instruções para reduzir a educação especial como tinha reforçado o orçamento para esse fim. É demasiado grave a sua afirmação. Ou é verdadeira e o Ministério da Educação e as escolas não estão a cumprir as orientações do ministro ou o primeiro-ministro mentiu descaradamente…

O certo é que este ano lectivo começou pessimamente nesta área e não se vislumbra como e quando vão ser colocados os profissionais em falta. E, entretanto, tu e os outros meninos e nós, os vossos pais, vamos sofrendo na pele a incompetência ou as maldades destes répteis, com sangue frio, sem coluna vertebral e rastejantes…

Meu Querido “Pimpolho”

Ao escrever-te esta carta aberta, pretendi deixar o seu conteúdo para memória futura, como disse logo no seu início. Mas pretendo também informar, ajudando a reforçar a consciência colectiva, da importância da inclusão nas sociedades desenvolvidas e dos ataques às conquistas civilizacionais que estão a ser desferidos por este (des)governo. É, ao fim e ao cabo, a evolução da nossa sociedade, com respeito pelo estado de direito e pela coesão social, que está a ser travada, com retrocessos graves nalgumas áreas, como esta.

Enfim, se o governo não voltar a assegurar os apoios que a legislação obriga, vamos ter que nos virar para os obter no privado, o que é, ao fim e ao cabo, um dos objectivos do governo. Nós, com dificuldades, ainda poderemos substituir-nos ao estado, que não cumpre as suas obrigações. Mas e os outros pais que, por mais que se virem, não têm essa possibilidade? Até nestas situações, o governo vai acentuando as desigualdades de oportunidades. Ou seja, vai aumentando a exclusão social e diminuindo a coesão social.

Recebe um abraço muito grande do teu pai, que só se repara que tens um problema grave de saúde quando quem tem a obrigação de apoiar não o faz e evidencia o problema que a todos nos afecta.

“A TERRA TREME” na Sexta-Feira

Promovido pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), em parceria com diversas entidades parceiras, públicas e privadas, e inserido nas celebrações do Dia Internacional para a Redução de Catástrofes (http://www.unisdr.org/2013/iddr/), este exercício visa sensibilizar as diferentes comunidades para a preparação e autoproteção para o risco sísmico.

O exercício “A TERRA TREME” terá a duração de um minuto e qualquer cidadão pode participar, individualmente ou em grupo.

Porque uma sociedade PREPARADA e CONHECEDORA dos perigos vigentes é uma sociedade mais RESILIENTE.

Informações e inscrições em: www.aterratreme.pt

Recebido da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, que aderiu e colabora na divulgação deste importante exercício e apela à vossa participação.

Concentração por uma escola inclusiva de qualidade hoje em Lisboa

Caros pais, professores, técnicos e amigos,

As Associações Pró-Inclusão – Associação Nacional de Docentes de Educação Especial e a Pais-em-Rede organizam conjuntamente uma concentração denominada CONCENTRAÇÃO NACIONAL POR UMA EDUCAÇÂO INCLUSIVA DE QUALIDADE hoje, dia 9 de outubro, na Avenida 5 de Outubro, em frente ao Ministério da Educação e Ciência, pelas 18 horas.

Denunciaremos a politica de educação praticada presentemente, apresentando-nos como cidadãos preocupados com o futuro dos alunos com necessidades educativas especiais.

Exigimos que o Ministério da Educação e Ciência resolva os problemas existentes e de solução inadiável e apelamos para que as forças politicas e a sociedade civil se solidarizem com o objectivo de garantir uma escola para todos. (aqui)

A Cinco Tons: http://acincotons.blogspot.pt/2013/10/concentracao-por-uma-escola-inclusiva.html

Comentários recentes

  • Anónimo

    Se são carneirinhos ou não como V.a Ex.a defende, ...

  • Anónimo

    Ele não vai , LEVAM-NO !!!.

  • Anónimo

    Lá estás tu a pôr defeitos ao homem.Não o deixam e...

  • Anónimo

    Falar do que não se conhece é espalhar a própria i...

  • Anónimo

    Com tanta agro-industria de capital exclusivamente...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds