Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

João Oliveira sucede a Bernardino Soares na liderança do Grupo Parlamentar do PCP

Tal como se esperava, João Oliveira, 34 anos, deputado do PCP por Évora, é o novo líder parlamentar da bancada dos comunistas na Assembleia da República, depois de Bernardino Soares ter sido eleito presidente da Câmara de Loures, foi hoje anunciado.

Também hoje soube-se que o actual líder parlamentar do PS, deputado por Évora, Carlos Zorrinho, poderá não se recandidatar ao cargo. Zorrinho estará em "reflexão".

Carlos Júlio

A INCLUSÃO É UMA OBRIGAÇÃO DA SOCIEDADE E UM FACTOR DE DESENVOLVIMENTO

O governo / Ministério da Educação está a tratar mal as nossas crianças, principalmente as que precisam de ensino especial. Não cumpre a legislação - há turmas com mais de 20 alunos e com mais de 2 a precisarem de apoios especiais, os professores de ensino especial, tal como os auxiliares são em número muito insuficiente e não há terapeutas. Já nem falamos na Inclusão e na importância que ela tem para progresso da sociedade e o desenvolvimento humano (não só dos que precisam de apoio mas também de todos os outros), porque os "contabilistas" - desculpem os profissionais, que muito respeito - que estão no governo só se preocupam com cortes na despesa pública... É triste que os pais tenham que exigir o cumprimento da legislação, que o governo devia cumprir. Ainda por cima em situações destas.

Estas crianças não são cidadãos de segunda, embora para estes senhores assim pareça. Têm apenas necessidades especiais, que deveriam merecer mais atenção e não ser relegados para o fim da lista de preocupações dos responsáveis. Com estes cortes, o governo está a impedir desenvolvimento dessas crianças com as consequências daí advenientes, não só para elas mas também para a sociedade em geral.

A falta destes apoios não afecta apenas estas crianças, mas todas as outras, que, desta forma, têm menor atenção por parte dos professores e dos auxiliares.

E se aumentar a insegurança e, consequentemente os incidentes e acidentes daí decorrentes, quem responde por isso?
Cortar nos serviços essenciais de apoio às nossas crianças é cortar no futuro. E um Povo sem futuro...

"Beja: Porque o PS perdeu? E a CDU ganhou?"

Leia, em http://maisbeja.blogs.sapo.pt/65664.html, uma interessante análise aos resultados eleitorais de Beja, que começa por afirmar que «Pulido Valente perdeu, não por mérito do partido vencedor, a CDU, mas por demérito próprio, significando uma derrota merecida», explicando de seguida essa afirmação e concluindo:

«Porque ganhou a CDU? Porque tem uma massa de apoiantes, sólida e enorme, recebendo logo à partida um grande número de votos. Os que não são militantes ou simpatizantes do PCP e, que votaram no João Rocha, votaram porque acreditam que Beja terá a mesma vida cultural e beleza que Serpa. Os indecisos ao pensarem assim cometeram um erro. O João Rocha esteve em Serpa 33 anos. Em Beja estará, 4 anos. E em 33 anos pode-se fazer tudo. Em 4 anos não…

Para este novo executivo, tenho 3 desejos: que o partido na cidade seja “Beja”, e não PCP. Que cumpram aquilo que prometeram para os 4 anos. E os futuros funcionários admitidos na Câmara sejam jovens e competentes, com habilitações para o cargo que ocupam, e não seja o cartão de militante a decidir ou criarem-se postos de trabalho só para dar emprego aos familiares e amigos. Só assim conseguiremos construir uma cidade jovem e moderna, virada para o exterior e não como viveu no passado, fechada sobre si própria. O pós-25 de Abril já lá vai, "camaradas".

Nota negativa para a abstenção, que aumentou e para o facto de o movimento independente de Beja ter recebido apenas 750 votos. Nunca teria um grande resultado, é certo, mas 4,38% do total dos votos é muito pouco, revelando falta de evolução democrática nas pessoas da cidade, uma vez que a campanha foi muito bem conseguida e organizada.»

Comentários recentes

  • Anónimo

    E não é só o hospital, a cidade e a região também ...

  • Anónimo

    Afinal é ou não verdade que o Hospital de Beja “co...

  • Zé LG

    Contactando a CMB. Mas atenção à data da notícia.

  • Anónimo

    Servirá sobretudo e na melhor das hipóteses, para ...

  • Tania

    Como posso fazer e pedir informações sobre como al...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds