Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

A Ovibeja é uma feira de culturas. Agrícolas e urbanas. Onde também se apresentam livros.

Zé LG, 28.04.13

Porque a Ovibeja é um espaço plural, ao encontro dos mais diversos públicos, na edição comemorativa dos seus 30 anos são lançados cinco. Dois de receitas culinárias: “Memória da Culinária Alentejana” e “O Porco com sua licença”; um de cariz técnico sobre “Raças Autóctones Portuguesas”; um de ficção “Lírios Roxos do Rio Zaire”; e o outro de memórias oito dos estudantes retratados numa fotografia tirada em 1963.

“Memórias da Culinária Alentejana – crónicas de petiscar e bem comer” é um livro de homenagem a António Almodôvar, recentemente falecido.

“O Porco com sua licença” é o título de mais um livro de receitas na Ovibeja, da autora Maria Antónia Gois.

“Raças Autóctones Portuguesas” é o livro técnico apresentado pela mão da Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária.

“Lírios Roxos do Rio Zaire”, da autoria de Manuel Dias Horta, é um livro da área da ficção.

"A Foto - E o Reencontro Meio Século Depois”, o livro da autoria de Jaime Mendes, Joaquim Letria, José Gomes de Pina, Mário Lino, Noémia de Ariztía, Paula Mourão, Raimundo Narciso e Teresa Tito de Morais, editado pela "Âncora editora", é apresentado no auditório da EXPOBEJA, hoje, às 11h00. Ao longo do livro, os autores revisitam meio século das suas vidas. A obra tem origem numa fotografia tirada em 1963, quando eram activistas do movimento associativo universitário e liceal e se destacaram pela luta determinada, no plano cultural e político, contra a ditadura que então assolava Portugal.

Quem é que não está a começar (continuar) bem?

Zé LG, 28.04.13

«Acha que esta será uma eleição mais renhida com o aparecimento de um movimento de cidadãos independentes?

Acho que é bom que as campanhas sejam animadas e que se debatam as ideias e os projetos. Infelizmente não vejo que as coisas estejam a começar bem.

Como assim?

Do movimento de independentes vimos o que foi aquela barracada da escolha do candidato, que não é nada, digamos, abonatório. É uma contradição completa entre aquilo que são as ambições e as indicações e depois o que se passa na prática.

Como é que avalia o seu principal adversário?

Quem é que é o meu principal adversário?

O candidato do PCP, naturalmente.

Não faço avaliações das outras candidaturas. Preocupo-me com a minha candidatura e com os projetos que quero levar à prática no âmbito da minha candidatura. O João Rocha é um autarca com uma experiência grande, tem pontos positivos e pontos negativos como qualquer um de nós. Mas não faço avaliações mais profundas.»

 

Estes são apenas alguns excertos da entrevista de Jorge Pulido Valente ao Diário do Alentejo, edição de 26.04.2013. Parece, pelas respostas dadas, que já escolheu o “principal adversário”...

Copiado de: http://www.porbejacomtodos.org/2013/04/quem-e-que-nao-esta-comecar-continuar.html

“Por Beja com todos” promove Tribuna Aberta sobre “Cidadania, Inclusão e Participação”

Zé LG, 27.04.13

A defesa da cidadania, inclusão e participação dos cidadãos constituem um dos pilares fundamentais da acção que o Movimento “Por Beja com todos” desenvolve no âmbito do Concelho de Beja.

Neste sentido, para aprofundar o debate sobre esta temática, o Movimento “Por Beja com Todos” vai realizar uma Tribuna Aberta (T.A.), no próximo dia 4 de Maio, a partir das 14h30m, no Auditório da Biblioteca Municipal José Saramago em Beja.

As Tribunas Abertas são espaços de debate com a população. São a segunda fase de um já longo processo que começou com a auscultação dos técnicos das mais diversas áreas que trabalham no terreno, ouvidos no âmbito das “reuniões temáticas”. O objectivo geral destes espaços de discussão e troca de opiniões e conhecimentos é facilitar e promover o debate com a população no sentido de enriquecer o Programa Alternativo Independente.
No dia 4, será debatido o tema da Cidadania e da Inclusão e cota com a participação de: José Vitor Malheiros, cronista do jornal Público, Florival Baiôa, presidente da Associação para a Defesa do Património Cultural de Beja e Ricardo Neves, dirigente da Associação Arruaça.
O tema da Inclusão será tratado nas perspectivas de uma cidade para todos e da escola para todos, tendo como participantes José Falcato Simões arquitecto da CML e consultor na área do Design Inclusivo, Benilton Oliveira, membro da Direcção do Centro de Paralesia Cerebral, José Morgado, docente do ISPA, Cristina Taquelim, mediadora de leitura, e Leopoldina Almeida, professora.
A Tribuna contará ainda com a participação Jorge Raposo, director da Escola Superior de Educação de Beja, José Pedro Oliveira, psicólogo, José Janeiro terapeuta da psicomotricidade, Angelina Soares, psicóloga.
Lopes Guerreiro, Coordenador do movimento “Por Beja com todos” abrirá a sessão. Constantino Piçarra, Investigador em História encerra a Tribuna do dia 4.

Ver mais informação em: http://www.porbejacomtodos.org/

Regadio de Alqueva concluído em 2015, conforme prometido, ou só em 2020?

Zé LG, 26.04.13

 

Todos os esforços estão focados para cumprir 2015, no que diz respeito à conclusão das obras do regadio do Alqueva, garantiu o secretário de Estado da Agricultura José Diogo Albuquerque, na Ovibeja, no encerramento do colóquio “A Política Agrícola Comum 2013 – 2020 – Ponto de Situação e Perspectivas”.

In: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?q=C/NEWSSHOW/53774

 

António Serrano, deputado do PS, ex-ministro da Agricultura e moderador deste colóquio, considera que a data não é “realista” pois faltam concluir 50 mil hectares de regadio, dos quais 20 mil estão em fase de concurso, e não há dinheiro, esperando que até 2020 a obra fique concluída.

In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=683


Castro e Brito, presidente da Direcção da ACOS voltou a manifestar dúvidas sobre a data prevista para o termo das obras do regadio do Alqueva, frisando que os agricultores estão expectantes e dependentes destas garantias, porque já fizeram investimentos a contar com o regadio que necessitam de ser ressarcidos. Demonstrou ainda, descontentamento com o facto, do Governo querer entregar a gestão da água de Alqueva à EDIA.

In: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?q=C/NEWSSHOW/53772