Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“TENHAM CUIDADO COM AS CARTEIRAS!”

Zé LG, 25.09.12

Quem teria sido o "Malvado" que "fez a folha" ao Relvas  (na Wikipédia - entenda-se)... narrando precisamente a verdade sobre esta figura, que mais parece saída da Comédia dell`Arte... ou, para sermos mais caseiros, um grotesco personagem vicentino...?  

Como é que um figurão destes não tem um pingo de dignidade para sair de cena?
E como é que o Passos, o homem(zinho) da trânsparência e do rigor, aguenta esta ridícula figura? Percebe-se, agora, que fazem parte da trupe do "assalto ao pote" em curso. Por isso, como se dizia antigamente quando chegavam "os artistas": TENHAM CUIDADO COM AS CARTEIRAS! 

Ver: http://pt.wikipedia.org/wiki/Miguel_Relvas

Recebido por e-mail.

E ainda há quem diga que ninguém apresenta propostas alternativas...

Zé LG, 25.09.12

CGTP-IN APRESENTA PROPOSTAS PARA EVITAR SACRIFÍCIOS E A DESTRUIÇÃO DA ECONOMIA

1 - Criação de uma taxa sobre as transacções financeiras
A criação de um novo imposto, com uma taxa de 0,25%, a incidir sobre todas as transacções de valores mobiliários independentemente do local onde são efectuadas (mercados regulamentados, não regulamentados ou fora de mercado), excepcionando o mercado primário de dívida pública. Esta medida permitirá arrecadar uma receita adicional de 2.038,9 milhões de euros.

2 - Introdução de progressividade no IRC
A criação de mais um escalão de 33,33% no IRC para empresas com volume de negócios superior a 12,5 milhões de euros, de forma a introduzir o critério de progressividade no imposto. A incidência deste aumento é inferior a 1% do total das empresas. Esta medida permitirá arrecadar uma receita adicional de 1.099 milhões de euros

3 - Sobretaxa de 10% sobre os dividendos distribuídos
A criação de uma sobretaxa média de 10% sobre os dividendos distribuídos, incidindo sobre os grandes accionistas (de forma a garantir um encaixe adicional de 10% sobre o total de dividendos distribuídos), com a suspensão da norma que permite a dedução constante sobre os lucros distribuídos (art. 51º do CIRC), o que permite às empresas que distribuem dividendos deduzir na base tributável esses rendimentos desde que a entidade beneficiária tenha uma participação na sociedade que distribui pelo menos 10% do capital. Esta medida permitirá arrecadar uma receita adicional de 1.665,7 milhões de euros.

4 – Combate à Fraude e à Evasão Fiscal
A fixação de metas anuais para a redução da economia não registada, com objectivos bem definidos e a adopção de políticas concretas para a sua concretização. Esta medida permitirá arrecadar uma receita adicional de 1.162 milhões de euros.

Ler: PROPOSTAS PARA EVITAR SACRIFÍCIOS E A DESTRUIÇÃO DA ECONOMIA (documento integral)

Assembleia Municipal de Beja reprovou a proposta da Câmara de adesão ao PAEL

Zé LG, 25.09.12

O presidente da Câmara de Beja, Pulido Valente, entende que a CDU tem uma posição “cega e politico-partidária” que “não tem nada a ver com os interesses das populações”, acusando-a de pretender atacar o Governo e “dificultar a vida ao executivo municipal”, garantiu que vai “responsabilizar publicamente” a CDU pela posição tomada junto das entidades que serão, na sua opinião, prejudicadas e que vai pedir a intervenção do Governo face ao que diz ser um “bloqueio” politico-partidário por parte CDU.
A CDU refuta estas acusações, não acreditando que o “chumbo” da candidatura ao PAEL coloque em causa o pagamento aos credores e promova a insolvência das empresas em Beja. Rodeia Machado referiu que se trata de “uma chantagem política inadmissível do Executivo PS / Pulido Valente que tem demonstrado preocupar-se muito pouco com as empresas de Beja, quer pela discriminação feita a empresas que transitaram com dívidas do anterior mandato, quer através do recurso a empresas de fora do concelho quando a legislação lhe permitiria soluções que favorecessem opções por empresas e instituições locais”.
O Bloco de Esquerda votou contra a proposta por considerar, tal como a CDU, que o PAEL é um programa da “troika” direccionado às autarquias.

O PSD votou a favor pois entende que do ponto de vista financeiro a linha de crédito do Governo é vantajosa para as autarquias pois apresenta taxas de juro bastante baixas.

 

A posição do presidente da Câmara de Beja é como a pescada – antes do ser já o era. Vai pedir a intervenção do governo?!  Será que considera o Município um departamento da Administração Central, tutelado pelo governo?! Não se apercebe que essa é uma visão redutora da autonomia do Poder Local, que proclama defender?

Recomendava-se a quem não tem a maioria na Assembleia Municipal que tivesse mais humildade democrática e tratasse este órgão e os partidos da oposição com mais respeito. A vontade dos eleitores determinou que existissem duas maiorias diferentes nos dois órgãos do município. Ambas são democráticas, representam a vontade dos eleitores e merecem igual respeito.

AM de Beja vota hoje a proposta do Executivo PS de adesão ao PAEL

Zé LG, 24.09.12

A Assembleia Municipal de Beja reúne hoje, em sessão ordinária, sendo a proposta de adesão ao PAEL – Programa de Apoio à Economia Local uma das matérias na ordem de trabalhos.
A maioria do PS na Câmara de Beja aprovou a proposta de candidatura à linha de crédito do Governo que permite a regularização de dívidas dos municípios vencidas há mais de 90 dias. Os vereadores da CDU votaram contra a proposta por considerarem que o Programa não tem vantagens para o município. 

O Executivo da Câmara de Beja quer contrair um empréstimo de cerca de 4 milhões de euros com um período de vigência de 14 anos.

 

Recordo que Pulido Valente, presidente da Câmara de Beja, assegurou que o município não ia recorrer à linha de crédito (criada pelo governo), por discordar das exigências feitas pelo Governo no acordo celebrado com a ANMP.

Ao propor o contrário do que antes afirmou, parece que, ao contrário do que escrevi aqui, não há dignidade …

Câmara de Évora tem de devolver 2,5 milhões de euros de fundos comunitários

Zé LG, 24.09.12

“A Inspeção-Geral de Finanças descobriu que há, não sei onde, uma irregularidade no concurso, depois do visto do Tribunal de Contas e de percorrermos todo o rosário de licenciamentos”, lamentou o presidente da Câmara de Évora, na cerimónia de inauguração das fábricas da Embraer.
De acordo com José Ernesto Oliveira, dos “quatro milhões de euros” de fundos comunitários que o município recebeu “tem de devolver 2,5 milhões”.
A Câmara de Évora investiu cerca de 12 milhões de euros na construção do Parque de Indústria Aeronáutica, tendo recebido 4 milhões de euros de fundos comunitários.

Dezenas de inundações no Alentejo causadas por ortes chuvadas

Zé LG, 23.09.12

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora indicou que no distrito ocorreram 17 inundações, em Évora Vila Viçosa, Vendas Novas, Montemor-o-Novo e Borba, sobretudo em vias públicas.

De acordo com o CDOS de Beja, neste distrito registaram-se 24 inundações, em vias públicas, habitações e estabelecimentos comerciais, em Beja, Moura, Vidigueira, Alvito e Cuba.

Também no distrito de Portalegre, segundo o CDOS, registaram-se 10 inundações, seis das quais em habitações, duas em Sousel, e em Marvão, Portalegre, Campo Maior e Avis, e quatro em Elvas, em vias públicas.

No concelho de Monforte, segundo a mesma fonte, registou-se um pequeno incêndio, no gasoduto que faz o transporte de gás para a região.

No distrito de Setúbal, de acordo com o CDOS, o quartel dos bombeiros Voluntários de Alcácer do Sal ficou inundado, "situação que se regista quando chove com intensidade".

Segundo os comandos distritais de operações de socorro (CDOS), o mau tempo não provocou, até cerca das 13:00, quaisquer casos graves na região do Alentejo.

Copiado daqui.

3º Festival Internacional "Alentejo das Gastronomias Mediterrânicas" realiza-se em Portalegre

Zé LG, 23.09.12

“A fim de valorizar a gastronomia, os produtos tradicionais, a cozinha e a cultura do mediterrâneo,  Portalegre  acolhe de 17 a 21 de Outubro o 3º Festival  “Alentejo das Gastronomias Mediterrânicas”. Desta vez  o azeite, produto de excelência da gastronomia mediterrânica, será o protagonista principal do evento!

Alentejo ganha prémio “Região 2012” atribuído pela Câmara de Comércio e Indústria Franco Portuguesa

Zé LG, 22.09.12

O galardão, atribuído no último domingo, no decorrer do Salão Imobiliário Português resultou do reconhecimento das potencialidades, da genuinidade e da diversidade do destino Alentejo, por parte da Rádio Alfa-Paris, responsável pela eleição dos premiados, segundo a qual “O Alentejo é um destino que prima pela preservação dos valores de autenticidade e, nesse sentido, merece ser distinguido publicamente”.

O prémio pretende também assinalar as acções promocionais que têm vindo a ser desenvolvidas no sentido de captar a atenção dos turistas franceses para a excelência da oferta turística da região.

PR inaugurou fábrica da Embraer em Évora

Zé LG, 21.09.12

Cerca de três centenas de manifestantes participaram esta manhã na manifestação convocada pela União de Sindicatos do Distrito de Évora da CGTP junto às fábricas da Embraer. Cavaco Silva não deverá ter ouvido as palavras de ordem gritadas pelo populares, dada a distância a que os manifestantes estavam. Mas, questionado pelos jornalistas, se ouviu a voz das ruas que tão claramente se expressou sábado passado, respondeu que sim. Só foi pena, pelos vistos, agora não ter estado voltado para isso e ouvir também o que é que os sindicatos eborenses lhe tinham para dizer.

Publicada por A Cinco Tons às 14:00