Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Ministra da Agricultura encerra Encontro Nacional do Setor do Azeite em Ferreira do Alentejo

Realiza-se na quinta-feira, dia 13 de setembro, no Centro Cultural Manuel da Fonseca, em Ferreira do Alentejo, o Encontro Nacional do Setor do Azeite - Da Produção aos Mercados, sendo a cerimónia de encerramento presidida pela ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, Assunção Cristas.

Promovido pela Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo em conjunto com as empresas Cartoil, Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos, Cooperativa Agrícola da Vidigueira, Elaia/Sovena, Grupo Âncora, Herdeiros Passanha e Monte Novo e Figuerinha, o Encontro conta com as presenças de Jean-Louis Barjol - Director-Executivo do Conselho Oleícola Internacional, Armando Sevinate Pinto - Consultor da Presidência da República para as questões da Agricultura e do Mundo Rural, entre outros.
Ver PROGRAMA.

“O Papel das Autarquias no País” em debate em Alvito

As Comunidades Intermunicipais do Alentejo - CIMBAL, CIMAC, CIMAL E CIMAA e a Associação de Municípios da Região de Setúbal (AMRS), preocupadas com a situação que os municípios estão a viver – decorrente de leis limitadoras da sua autonomia administrativa e financeira, redução de autarquias, empobrecimento e desemprego nos seus territórios, sobretudo os do interior, organizam um Encontro de eleitos locais para debater o Papel das Autarquias no País e encontrar soluções que possam ajudar a alterar a situação vigente.

Assim, serão debatidos os temas sobre os quais urge atuar com a maior celeridade possível, sob pena de se verificar o efetivo estrangulamento das Autarquias Locais, motor fundamental do Desenvolvimento em Portugal. Tais temas incidem sobre uma abordagem geral à Constituição da República Portuguesa, Autonomia, e outras preocupações associadas à limitação do exercício do Poder Local; algumas considerações sobre a Reorganização Administrativa, Reorganização dos Serviços Públicos, entre outros.

Pretendem os seus mentores que saia deste Encontro um conjunto de ideias e propostas a defender no próximo Congresso Extraordinário da ANMP, em Santarém.

O Encontro terá lugar no dia 18 de setembro, no Centro Cultural de Alvito, com início às 10H00, conforme programa que se anexa.

 Ver programa

"Estamos todos em estado de choque"

LG tem aqui tentado estimular o debate, sobretudo após os últimos desenvolvimentos, sobre que país e que tipo de sociedade é que iremos ter pela frente nos próximos anos.
Infelizmente, parece que estamos todos em estado de choque, e de tal forma, que ninguém parece ter vontade de opinar sobre o que quer que seja.
O que é compreensivel, dado estarmos todos a fazer contas à vida, sobre quais as estratégias e como é que vamos sobreviver a tão grandes e tão graves reduções nos proventos económicos das nossas famílias.
É contudo um dado aquirido, que desta vez e ao invés do que sucedeu na última vinda cá do FMI, as coisas não voltarão atrás. Ou seja, não iremos ter este apertão uns tempos, para depois voltarmos à situação e ao modus viventis das últimas décadas.
Desta vez e ao mesmo tempo, decorrem mudanças estruturais na sociedade, que aliás já vinham de trás, do governo Sócrates. E que ameaçam transformar de forma radical o modelo de funcionamento da mesma, ou seja toda a herança do 25 de Abril de 1974.
Não me parece que não se deva ajustar a sociedade aos novos tempos, por mais que até não concordemos com ela, como aliás até é o caso. Agora parece-me contudo ser do mais trivial bom senso, que as mudanças não devam ocorrer de forma muito repentina.
Pois não só raramente são implementadas de forma acertada, como sobretudo causam muita dor e sofrimento às populações, e de forma mais acentuada a quem tem responsabilidades familiares ou problemas graves no seio da mesma.
Comentário de Bandarra, deixado aqui, a 10 de Setembro de 2012 às 19:43

Comentários recentes

  • Anónimo

    ????????????????????

  • Anónimo

    Ninguém comenta a capa verde?

  • Anónimo

    Obrigado caro amigo. Um grande abraço. Ricardo (Se...

  • Ana Matos Pires

    Sim, vai seguir mail e o jornal fará o que entende...

  • Anónimo

    Dra,, esse reparo devia ser enviado directamente a...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds