Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Era improvável… mas as XII Palavras Andarilhas acontecem mesmo

…era improvável haver Andarilhas.

…era improvável mudarmos de data.

…era improvável mudarmos de casa.

…era improvável a inscrição ser mais barata.

…era improvável que nestes dias todos os caminhos não fossem dar a Beja, a cidade dos contos.

Publicado a 23 de Maio de 2012, em http://www.palavrasandarilhas.org/


 

A propósito leia aqui tudo o que José Filipe Murteira escreveu sobre As Palavras Andarilhas, de que destaco este trecho:

Porque as Andarilhas nasceram no único local onde tal magia podia ter acontecido, numa “biblioteca sem sono”, e porque a memória dos homens é curta e muitas vezes injusta, não podemos nunca esquecer os seus três principais artífices:  Cristina Taquelim, a alma mater das dez edições já realizadas e da que vai ter lugar este ano; Figueira Mestre, o sonhador e desassossegado arquitecto da casa mãe, inovadora e revolucionária; Carreira Marques, o autarca poeta que via a Cultura, não como adorno ou como emblema para a lapela, mas como algo importante para a formação dos cidadãos do concelho que dirigia.

PCP reclama recomeço e conclusão urgente das obras do IP8 e do IP2

DORBE do PCP reclama o imediato retomar dos trabalhos de construção do IP8 (A26), entre Sines e Beja, e de requalificação do IP2 entre Évora e Castro Verde, que “estão totalmente suspensas desde 20 de Agosto”, mas, que na verdade, desde há meses se encontravam quase paradas.

O PCP assegura que, “esta situação – a paralisação das obras em rodovias fundamentais para o Alentejo, com prejuízos para a economia regional e as populações, e as dificuldades de empresas, com novos sacrifícios para os seus trabalhadores – é resultado das negociatas dos executivos de José Sócrates seguidas das medidas antipopulares do Governo de Passos e Portas, cabendo a responsabilidade por inteiro das consequências de tais políticas ao PS, ao PSD e ao PP e aos respetivos dirigentes e deputados, que sempre as apoiaram”.

“O resto são coisas insignificantes”

Sinceramente, sejamos justos, a que mais se pode aspirar? O resto são coisas insignificantes: desemprego, preços a dispararem, não haver com que pagar ao médico e à farmácia, ninharias. Como é que ainda sobram criaturas com a desfaçatez de protestarem? Da mesma forma que os processos importantes em tribunal a indignação há-de, fatalmente, de prescrever. E, magrinhos, magrinhos mas com peitos de litro e beijando-nos uns aos outros com os bifes das bocas seremos, como é nossa obrigação, felizes.
Este é o final da crónica satírica de António Lobo Antunes, in Visão, abril 2012, que Paco, recordou aqui, a 24 de Agosto de 2012 às 16:26

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não concordo. Como bem diz, dada a manifesta incap...

  • Anónimo

    Esta questão tem acontecido com a conivência de vá...

  • Anónimo

    Lixo e buracos nas ruas e estradas constituem a im...

  • Anónimo

    Uma gestão camarária que nem do lixo dá conta!Quan...

  • Anónimo

    Continua a apresentar boas respostas. Durante 40 a...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds