Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Câmara vai criar Centro Interpretativo do Castelo do Alandroal

Zé LG Zé LG, 22.08.12

Todos os achados mais relevantes, assim como o registo fotográfico e em vídeo desta fase da obra de Requalificação do Interior do Castelo de Alandroal serão, em fase posterior, reunidos num Centro Interpretativo do Castelo do Alandroal, um pequeno núcleo museológico dedicado à história deste imóvel classificado como monumento nacional e que será criado no interior do mesmo.
A intervenção agora em curso corresponde apenas à primeira fase de um plano da autarquia para a total recuperação e dinamização cultural, social e turística do castelo do Alandroal que passa, nas fases subsequentes, pela revitalização do restante espaço público (ainda propriedade privada), pela recuperação do “caminho de ronda”, acesso à torre de menagem e instalação do centro interpretativo.

"Memória de Cheiros Esquecidos"

Zé LG Zé LG, 22.08.12

é uma plataforma de comunicação focada em questões relacionadas com a alimentação, agricultura, industrialização, monocultura, cossistema, biodiversidade, saúde, sustentabilidade e etnografia.

O projeto central da plataforma é uma exposição de etno-botânica, que resultou de um programa de interação com os habitantes de Vila Alva, uma aldeia do concelho de Cuba, no Baixo-Alentejo.

12 meses, 12 espécies, 12 pessoas e 12 pratos foi a chave para o programa, que consistiu numa primeira fase, na identificação de 12 espécies botânicas, da flora local, e na sua relação com um dos 12 meses, de acordo com a sua sazonalidade.
Tanto a exposição como o catálogo, que receberam o mesmo nome da plataforma, pretendem vir a contribuir para uma reflexão alargada sobre a "separação", entre Natureza e Tecnologia e a importância de se estabelecerem "pontes" que venham a facilitar o reencontro do Homem com o meio que lhe é natural.