Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Tudo "está a correr muito bem" com “Beja Capital”

“Beja Capital”

Todas as acções e projectos nos sectores fundamentais que contribuem para os pilares do “Beja Capital” estão lançados e em curso. Os resultados estão a aparecer agora e serão mais evidentes no final de um período de intervenção. Daquilo que depende de nós, estamos no rumo e no tempo certos.

Área económica

Nós reorganizámos todo o parque industrial, sobretudo os lotes que estavam sem aproveitamento, alguns há 10 anos, e todos estão com investimentos de micro e pequenas empresas. A esse nível as coisas estão a correr bem. O aproveitamento das oportunidades geradas pelos projectos estruturantes também está a correr muito bem, quer no que diz respeito ao Alqueva, ao aeroporto ou no turismo.

Aquilo que temos estado a trabalhar preferencialmente é a instalação e fixação de empresas na área da indústria aeronáutica. Esse trabalho tem estado a correr muito bem.

Imagem do executivo

As expectativas foram colocadas bastante altas porque as pessoas estavam à espera que houvesse uma alteração radical e em tempo recorde. Portanto, houve um período em que essas expectativas baixaram muito e as pessoas sentiram algumas fragilidades. Penso que agora as expectativas e a perpectiva que as pessoas têm deste executivo estão a ser colocadas no ponto certo. Um executivo com grande capacidade de trabalho e empenho, que herdou uma situação muitíssimo complicada que foi agravada pela conjuntura nacional e local. Os resultados começam a aparecer…

O que não correu bem

Desde logo a questão financeira. E quando a administração central nos tirou o tapete, tornou-se mais grave. Isso trouxe uma maior dificuldade ao nível da reestruturação e reorganização interna dos serviços. O mais complicado são os [trabalhadores] que estão na Câmara, identificados com a força política anterior e que têm uma actividade permanente de combate político, misturando muitas vezes a política com o seu trabalho. Para mim, uma contrariedade grande é o “terrorismo político” por parte da oposição.

Dívidas

Recentemente diminuímos em cerca de dois milhões de euros o valor dessa dívida de curto prazo e vamos continuar nesse caminho. O valor andará entre os três e os cinco milhões, o que é muito aceitável em comparação com os 11 milhões que tínhamos no início do mandato.

Despesa fixa

Foi reduzida substancialmente. A Câmara era uma desorganização pegada em termos financeiros. Não tivemos alternativa e, durante mais de dois anos, tivemos de pagar a factura do mandato anterior, que foi um descalabro. Felizmente estamos no bom caminho em termos de reequilíbrio financeiro.

 

Estes são extractos de uma entrevista publicada no Correio Alentejo (edição nº 321, de 2012.08.03), que mostram que para Jorge Pulido Valente, o presidente da Câmara de Beja, tudo está a correr bem com “Beja Capital” e se não está a correr melhor isso deve-se ao governo, à conjuntura nacional e local, à pesada herança, aos trabalhadores identificados com a força política anterior, ao “terrorismo político” por parte da oposição, até porque as pessoas reconhecem que têm “Um executivo com grande capacidade de trabalho e empenho”.

Estranho não ter lido nem ouvido críticas a esta entrevista, designadamente das oposições. Será que é esta, de facto, a apreciação que os bejenses fazem do executivo camarário e do seu desempenho nestes três anos de mandato? Tudo está a correr bem ou muito bem em Beja e se não está a correr melhor ainda é por culpa dos “outros”?

Câmara de Beja confirma realização da VINIPAX este ano

Ao contrário do que ouvira dizer,

“O Município de Beja volta este ano a organizar a Vinipax,

aquela que é já a maior feira de vinhos a Sul do país

e que, ano após ano,

tem vindo a ganhar prestígio e qualidade.

A edição de 2012 decorrerá de 5 a 7 de Outubro.”

É, pelo menos, esta a notícia que aqui li.

Ainda não estão confirmados quais os outros eventos

a completam nas Sensações ao Sul.

“Era o preço para continuar a minha vida”

Faz hoje 6 anos, já 6 anos, que fui mastectomizada, por muito que esta palavra assuste, porque assusta sem duvida, sentia-me feliz por ir ser operada, saber que te ia perder, ia-me deixar feliz, por muita quimioterapia que tenha feito e tenha custado, ainda cá estavas e eu queria que te fosses embora. Ia perder contigo, a minha maminha, mas ia valer a pena, era o preço para continuar a minha vida.
Dia 10 de Agosto de 2006, mais uma data que me marcou...

Postado por Isa às 10:05 aqui.

Comentários recentes

  • Ana Matos Pires

    Regional de Saúde Mental do Alentejo? Não há.

  • Anónimo

    Planos? Há muitos!

  • Ana Matos Pires

    É pá, como é que nunca nos tinha ocorrido isso? Ob...

  • Anónimo

    Ja viram a capa do Correio do Alentejo desta seman...

  • Anónimo

    o Cocas tambem tem direito á vida.Ficam as restant...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds