Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Fortificações de Elvas classificadas como Património Mundial

A candidatura das fortificações de Elvas a Património Mundial, na categoria de bens culturais, foi aprovada, este sábado, dia 30, pelo Comité da UNESCO, em São Petersburgo, na Rússia. Integram esta classificação todas as fortificações da cidade, os dois fortes, o de Santa Luzia, do século XVII, e o da Graça, do século XVIII, três fortins do século XIX, as três muralhas medievais e a muralha do século XVII, assim como o Aqueduto da Amoreira.

Reescrevendo Camões…

I

As sarnas de barões todos inchados
Eleitos pela plebe lusitana
Que agora se encontram instalados
Fazendo o que lhes dá na real gana
Nos seus poleiros bem engalanados,
Mais do que permite a decência humana,
Olvidam-se do quanto proclamaram
Em campanhas com que nos enganaram!

           II                
E também as jogadas habilidosas
Daqueles tais que foram dilatando
Contas bancárias ignominiosas,
Do Minho ao Algarve tudo devastando,
Guardam para si as coisas valiosas
Desprezam quem de fome vai chorando!
Gritando levarei, se tiver arte,
Esta falta de vergonha a toda a parte!

           III               
Falem da crise grega todo o ano!
E das aflições que à Europa deram;
Calem-se aqueles que por engano
Votaram no refugo que elegeram!
Que a mim mete-me nojo o peito ufano
De crápulas que só enriqueceram
Com a prática de trafulhice tanta
Que andarem à solta só me espanta.
                         
IV
E vós, ninfas do Coura onde eu nado
Por quem sempre senti carinho ardente
Não me deixeis agora abandonado
E concedei engenho à minha mente,
De modo a que possa, convosco ao lado,
Desmascarar de forma eloquente
Aqueles que já têm no seu gene
A besta horrível do poder perene!

Luiz Vaz Sem Tostões   

(Recebido por e-mail.)  

Voz da Planície assinala aniversário com programa no coração da cidade e Festival de Verão

A Rádio Voz da Planície de Beja está a comemorar 26 anos de existência. Para assinalar esta data, a Rádio sai à rua, para fazer, ao vivo, neste sábado, das 10.00 às 12.00 horas, um programa em pleno coração da cidade. Muita música, animação, apresentações e conversas preenchem este espaço de duas horas, onde o público e os ouvintes são presença obrigatória.

Danças de Salão, Os Alentejanos, músicos da cidade, entre eles, Paulo Ribeiro, ilustradores, como Susa Monteiro e José Francisco, criadores de Banda Desenhada, como Paulo Monteiro, e directores de espaços culturais da cidade, como José Carlos Oliveira, do Museu Regional de Beja, são algumas das participações que vão fazer desta, uma grande emissão de Rádio.

As comemorações do 26º Aniversário culminam com a realização do Festival de Verão da Voz da Planície, marcado para a próxima quarta-feira, 4 de Julho, para o Anfiteatro da Casa da Cultura.

Até pelas reclamações temos de pagar

Recebi uma factura da TMN de uma serviço de banda larga cuja existência desconheço. Liguei para o número indicado na factura e fui logo informado de que tinha de pagar o telefonema. Depois de expor o assunto fui esclarecido de que tinha havido um lapso da TMN na emissão da factura, que deveria ter sido passada ao Sapo, e que a situação iria ser corrigida. Perguntei se, mesmo tenho sido vítima de um erro da TMN, teria de pagar o telefonema, tendo sido informado de que isso só poderia ser analisado mediande uma reclamação por escrito, enviada pelo correio ou entregue numa loja TMN.

É óbvio que, neste caso, não é o valor da chamada (alguns cêntimos) que está em causa mas sim o princípio. A TMN com esta forma de actuar está a desincentivar as reclamações e a arrecadar mais uns "cobres". Isto não se passa só com a TMN mas com outras empresas também.

“A Crise e o Desenvolvimento Económico e Social”

… é o nome do debate que a Concelhia de Beja do PCP realiza esta noite, na Biblioteca Municipal, e que conta com a presença do economista, membro do Comité Central e ex-secretário-geral Carlos Carvalhas.

"Reflectir sobre o resultado das políticas de direita em curso e reafirmar um outro rumo para Portugal, são os objectivos deste debate, que está inserido num conjunto de iniciativas que o PCP tem vindo a desenvolver sobre estas matérias", disse Miguel Quaresma, que afirmou ainda, que “é preciso reflectir sobre o momento que estamos a viver, de profundas contradições, olhando para as perspectivas e para as alternativas que podem ser encontradas para o superar”.

Pág. 1/13

Comentários recentes

  • João Espinho

    Bem escrito, Lopes Guerreiro. Destaquei lá na minh...

  • Anónimo

    Há espaço para todos com certeza! Que o digam as c...

  • Anónimo

    Tenho todo o gosto em lhe responder de modo claro!...

  • Anónimo

    Muito bem! Exemplo de como uma ideia simples pode ...

  • Anónimo

    Devemos viver num planeta diferente, porque neste ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds