Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

"Bispo Vermelho" - D. Manuel Falcão - 1922-2012

D. Manuel Falcão, recentemente falecido, foi bispo em Beja, durante quarenta anos depois de ter sido bispo auxiliar do Patriarca de Lisboa durante oito anos. Na imprensa fez-se eco da sua acção repetindo de forma simplista o apodo que os seus inimigos lhe colaram, o de “Bispo Vermelho”. Verdadeiramente nunca o foi. O seu “curriculum” episcopal é longo e extraordinariamente fecundo. Acompanhei de longe o percurso do seu episcopado nestes quarenta e seis anos, mas recordo-o sobretudo nos primeiros quinze anos do seu sacerdócio em Lisboa.

O padre “sem teias de aranha no cérebro”, foi, para todos os que o conhecíamos, o primeiro a abrir “caminhos de modernidade” na sociologia religiosa, eliminando o “mito da cristandade” do discurso poíitico e religioso da época, revelando a diminuição catastrófica da frequência dos sacramentos na Diocese de Lisboa. Ajudou-nos a todos os que privávamos então com Ele a desmistificar os “horrores do socialismo” dos discursos salazarentos; nisto não foi certamente o único, mas foi a base da conduta posterior que lhe valeu o asco do conservadorismo nacional.

Lúcido, corajoso e sempre dialogante, fazendo pacientemente o seu trabalho, sem grandes alaridos, foi em primeiro lugar um extraordinário pastor de almas, mas também homem de ciência, sociólogo, jornalista, cultor do património e das artes, sempre alheio a confessionalismos estridentes e obtusos. As gerações que foram moldadas por Ele não o esquecem. Faz-nos muita falta.»  (Testemunho de José Luís de Matos, Historiador).

 

Sobre o trabalho de D. Manuel Falcão na conservação do património de Beja ver:

Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja (página da Presidência);

- Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja (Wikipédia)

 

Publicada por Rita Cortês em 21:31, no seu Beja y Arrabaldes

Comentários recentes

  • Anónimo

    Palavras para quê? É o PS no seu melhor nas instit...

  • Anónimo

    Factos são factos. Palavras para quê??!

  • Anónimo

    "os filhos da casa" vão resolver o assunto!...o qu...

  • Anónimo

    Deixo aqui um post que retirei do Facebook, de um ...

  • Anónimo

    Não concordo. Como bem diz, dada a manifesta incap...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds