Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

"O que me parece é que há uma crise geral"

"O que me parece é que há uma crise geral. Uma crise de modelos. A economia global está atrapalhada com o que saiu da caixa de Pandora. Os gurus da economia não se afinam. As reacções dos povos aos tempos de sofrimento terão diferentes expressões, fruto das diversidades culturais e sociológicas. Que há antagonismos em confronto não duvido, mas não me parece que seja acertado pensar em lutas de classes seja nas suas formas clássicas, seja dentro dos contornos confinados aos territórios nacionais. Reage-se à ditadura dos mercados, mas desconfiamos de quem quer impor-lhes regras. A desconfiança baseia-se tanto em memória histórica como em preconceitos renovados. Alguns aqui dirão que não estou a ser assertivo, contrapondo com teorias conspirativas, que sabem ser especulações mais ou menos imaginosas. Quando não temos a mezinha milagrosa, quando a utopia social perdeu credibilidade, o que vamos propor como caminho? Bem, uma coisa me parece fundamental: só o maior uso de mecanismos democráticos de participação política garantirá um caminho para alcançar soluções para os problemas que a Humanidade enfrenta."

Comentário de José Frade, deixado aqui, a 14 de Fevereiro de 2012 às 03:16

"Florbela" estreia no Dia Internacional da Mulher

O novo filme do realizador Vicente Alves do Ó, "Florbela", sobre a escritora Florbela Espanca, estreará a 8 de Março (Dia Internacional da Mulher), e tem exibição garantida em pelo menos 54 cidades.
Protagonizado por Dalila Carmo, o filme retrata a obra e a vida, nem sempre fácil ou calma, da poetisa nascida em Vila Viçosa, aborda também o ser português e a inquietação dos portugueses.
Para Vicente Alves do Ó, alentejano natural de Sines, esta é também a única forma de reconciliar o público português com o seu cinema, já que os governantes "além de mostrarem não gostar do cinema, não o respeitam".

Comentários recentes

  • Anónimo

    M. Frade, não compreendeu o que petendi dizer com ...

  • Munhoz Frade

    Quis dizer “gerar” e não “gerais”. Não reparei na ...

  • Anónimo

    Seria voltar a focar as questões ligadas ao modo d...

  • Munhoz Frade

    Um pouco de polémica, meu caro ZLG:Sabemos que cau...

  • Anónimo

    É pena que o próprio DA não se tenha interessado p...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds