Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Beja merece comboios modernos

06h18m, estou no comboio a caminho de Lisboa. Em sete rios apanho expresso às 10h10 estou em óbidos para tratar de assuntos profissionais. Ao final da tarde estou em casa para jantar com a família. Se os cidadãos se aperceberem da importância e da funcionalidade desta mobilidade, mais sentido daremos às nossas aspirações. Beja merece comboios modernos, linhas electrificadas e os comboios merecem que os utentes das linhas os usem para cada vez mais dar sentido à sua existência.

Jorge Serafim

Freguesias do concelho de Beja manifestaram-se frente à Câmara

Eleitos e trabalhadores das juntas de Freguesia do concelho voltaram a exigir hoje, à porta da Câmara de Beja, o pagamento das verbas referentes aos protocolos de Delegação de Competências. Afirmam que “a falta destas verbas vai colocar em causa o salário dos funcionários e os serviços que as juntas prestam”. O Executivo camarário, através do vereador Miguel Góis, culpou os manifestantes “pelo facto do Orçamento 2012 não estar aprovado”, dizendo que os mesmos “também são responsáveis pelos pagamentos em falta”.

Os vereadores da CDU, na autarquia bejense, denunciam aquilo que dizem ser a “hipocrisia da maioria PS na Câmara” e apelam “ao bom senso do Executivo camarário e ao cumprimento da lei”, reafirmando que “não existe qualquer impedimento legal para que a Câmara continue a transferir para as juntas de Freguesia as verbas relativas ao Protocolo de Delegação de competências”.

Secretário de Estado do Ambiente e Ordenamento do Território em Beja

Pedro Afonso de Paulo presidiu,

esta manhã,

à Sessão de Abertura

do Seminário Nacional Eco-Escolas portuguesas,

que reúne, durante três dias,

no Pax júlia - Teatro Municipal

e na Escola Diogo de Gouveia em Beja,

cerca de 350 profissionais

da área de Educação para o Desenvolvimento Sustentável.

 

Para mais informações consultar www.abae.pt/programa/EE/seminario/2012

Pires dos Reis substitui Lança Silva como Vogal do CA da INOVOBEJA

José Pires dos Reis, cabeça de lista do PSD à Câmara de Beja, nas últimas eleições autárquicas, vai integrar o Conselho de Administração da INOVOBEJA, substituindo Luís Lança Silva. A proposta de integrar no Conselho de Administração da INOVOBEJA, como vogal, José Pires dos Reis, foi aprovada em reunião de Câmara, com a abstenção dos vereadores da CDU. Na mesma reunião foi aprovado o voto de louvor a Luis Lança Silva, o anterior Vogal do Conselho de Administração da INOVOBEJA. 


A Inovobeja EEM é uma entidade empresarial Municipal. Tem como área primordial de intervenção a área abrangida pelo Plano Parcial de Urbanização do Núcleo Central Histórico da Cidade de Beja, ainda que pontualmente poderá intervir noutras áreas. Está intrinsecamente ligada aos trabalhos de eficiência energética que desenvolve em parceria com o Município de Beja, nomeadamente a implementação de sistemas de produção de energia e aquecimento de águas sanitárias através de painéis solares e elaboração de planos de diagnóstico de edifícios.

"em vez de um Presidente, temos um capataz, um ordenança, um sempre em pé"

Em Belém habita uma figura sinistra e deplorável, um não cidadão.

Um Presidente é um político, um homem de ideias, com pensamento consistente, com obra.

Porque só com obra um homem se expõe, só com obra ele existe, e quando existe, existe também a coragem de ser, a rectidão de afirmar, de ultrapassar as suas fronteiras e assumir a tarefa que lhe puseram nas mãos, que lhe confiaram. Contra ventos e marés, contra os seus próprios interesses ocasionais, porque um Presidente é um símbolo, um garante da cidadania, uma luz, uma referência.

Em Portugal em vez de um Presidente, temos um capataz, um ordenança, um sempre em pé, especializado na esquiva dos ventos, aprestado em servir quem lhe paga, quem o deixa aparecer em bicos de pés num rodapé obscuro de um livro que ninguém quer ler.

Eis o homem na sua infame pequenez, o sacrificado, aquele que abdica de putativos ganhos para se dedicar à causa pública, mesmo que ninguém entenda que causa será essa que o leva a virar costas ao povo, a mentir, a defraudar os ingénuos que se deixaram levar pelo seu ar hierático e  a sua postura de mestre escola a ensinar inúteis banalidades, a verter lugares comuns, a fingir rectidão e honestidade, vestido de noite, corvo servo de corvos, nascido na noite fascista, resistente à luz da liberdade, juiz em causa própria, mistificador de uma democracia, em que o povo não tem lugar, porque ela, essa democracia de pacotilha, é criada e limada e empacotada pelos seus donos, é uma democracia que se compra, porque só pode comportar aqueles que se vendem.

Os outros ficam de fora, os felas, os intocáveis, os deserdados, o POVO!

Publicada por M. Sampaio em 20:23:00, no “Qualquer Coisa”. (imagem daqui)

Comentários recentes

  • Anónimo

    Tens toda a razão. Já cá faltava a patetice da com...

  • Anónimo

    Vote no PAN.

  • Anónimo

    Já cá faltava a patetice da habitual comparação co...

  • Anónimo

    alguém pode dizer onde é este lugar?

  • Anónimo

    Concordo a 1000% com M. Frade.Pode-se, rádios, jor...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds