Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Trabalhadores com salários em atraso na Metalomecânica Projectos Industriais

Os 45 trabalhadores da empresa Metalomecânica Projectos Industriais (MPI, ex-MPG)), de Beja, estão com dois meses de salários e o subsídio de Natal em atraso e "alguns" já passam "dificuldades", denuncia publicamente o SITE/SUL.
O administrador reuniu com os trabalhadores, mas, "em vez de apresentar soluções para o problema", disse que a empresa "não sabe" quando poderá pagar os salários e o subsídio em atraso, pelo que os trabalhadores decidiram reunir em plenário na próxima segunda-feira, 6, para analisar a situação e tomar decisões.

Pedro Mota Soares em Beja

O ministro da Solidariedade e da Segurança Social desloca-se hoje a Beja, para participar, às 17.30 horas,  na cerimónia de inauguração da nova sede da Cáritas Diocesana, na Casa D. José do Patrocínio Dias, onde “vão ser mantidas as mesmas respostas sociais e implementado um novo serviço”, segundo Teresa Chaves, presidente daquela instituição, que disse que “nos últimos tempos a Cáritas Diocesana de Beja tem recebido cada vez mais pedidos de apoio de pessoas, pertencentes à classe média, que não têm disponibilidade financeira para pagar a prestação do empréstimo à habitação”.

Choque em cadeia no tarifário das carreiras urbanas de Beja

A Câmara de Beja aprovou ontem o novo sistema de tarifário das carreiras urbanas. As novas tarifas chegam a ter aumentos de 50%! Estes aumentos são justificados pela descida dos subsídios do IMTT- Instituto de Mobilidade e Transportes Terrestres, que vai reduzir a comparticipação a transferir para a Câmara dos 50% para os 25%.

O presidente da Câmara diz que a autarquia não tem hipótese de suportar a redução da comparticipação pelo que os custos recairão sobre os utilizadores. Os vereadores da CDU votaram contra a proposta.

Comentários recentes

  • Anónimo

    alguém pode dizer onde é este lugar?

  • Anónimo

    Concordo a 1000% com M. Frade.Pode-se, rádios, jor...

  • Quim

    Foi a conclusão que EU tirei. Mas não fui o unico....

  • Anónimo

    voto em branco

  • Anónimo

    voto em branco

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds