Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Curiosidades sobre a proposta de Orçamento do Executivo Municipal de Beja, chumbada pela Assembleia Municipal

Ainda mal a proposta tinha sido chumbada pela Assembleia Municipal e já o Executivo da Câmara de Beja estava convocar uma conferência de imprensa para anunciar que ia apresentar uma queixa ao Ministério Público contra a Assembleia Municipal, por esta ter chumbado sua proposta, na sequência da qual aquele órgão da Autarquia poderá ser dissolvido e marcadas eleições antecipadas para eleger uma nova Assembleia Municipal.

Esta tomada de posição originou as seguintes perguntas de Santiago Macias, no seu Avenida da Salúquia 34:

Queixa ao Ministério Público?

Dissolução da Assembleia Municipal?

E a seguir? Irão mandar prender os eleitores?

 

Mas a “coisa” não se ficou por aqui. Basta ir ao portal da Câmara Municipal de Beja e ler um comunicado com as posições do Executivo da Câmara de Beja, incluindo “perguntas e respostas”.

Este comunicado sugere-me, pelo menos, estas questões:

- O comunicado foi feito depois da Assembleia Municipal ou já estava preparado, na expectativa do chumbo do Orçamento?

- Será que a Mesa da Assembleia Municipal também vai poder utilizar os mesmos meios do Executivo da Câmara Municipal, para justificar o chumbo do Orçamento, como este fez para atacar aquele chumbo e a própria Assembleia Municipal?

- Será que se pretende mesmo encontrar soluções para os problemas – neste caso, criar condições à aprovação do Orçamento – ou apenas “sacudir a água do capote”, atirando todas as responsabilidades para outros, desenvolvendo o tão conhecido processo de vitimização?

 

Transcrevo a seguir, pela sua pertinência, um comentário deixado aqui, a 29 Dezembro, 2011 17:29.

Se a maioria dos eleitores conferiu mandato a uns (PS) para governar também mandatou outros (CDU) para fiscalizar, ou escrutinar que é para isso que existe a oposição em democracia. E mesmo assim (com este B-A- BA adquirido) é suposto que a oposição vote a favor ou se abstenha perante um orçamento que considera mau?
Este problema não é só de Beja. Conheço-o noutras cidades maiores e mais pequenas. Parece-me que cabe aos governos das cidades apresentarem orçamentos e cabe às oposições avaliarem e emitirem opiniões. Também é suposto haver negociação, mediação, concertação política. Quando não há capacidade para tanto o resultado é o que se vê, de facto de lamentar.
Agora, tentar culpar, ou atribuir o ónus a uma das partes, e ainda por cima à mais fraca, que por isso mesmo é apenas oposição e não governo é que me parece deveras estranho.

Convulsões que marcam toda a vida uma

  • Se trata de una de las formas más grave de epilepsia en la infância
  • En la mayoría de casos se debe a una mutación genética
  • España quiere participar en el primer ensayo de terapia genética con pacientes

 

 Uma simples e esclarecedora reportagem - A partilha de duas famílias Raras, uma história contada por dois pais, em tudo semelhantes (uma família portuguesa e outra espanhola) - sobre o síndrome de Dravet, que pode ler no El Mundo.es, e onde se dá conta de uma investigação em curso que abre portas de esperança para o tratamento (cura?) da doença.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Foram buscar o antigo imperador JR .....dizem que ...

  • Anónimo

    O Imperador está suficientemente saudável para c...

  • Anónimo

    As odalascas vêm com o calor...

  • Anónimo

    Alguém sabe em que dia desfila o imperador, as oda...

  • Munhoz Frade

    Um desabafo como este do Vitor Paixão é um momento...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds