Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Intercidades vai continuar a parar na Estação da Funcheira.

Zé LG, 23.11.11

No início do próximo ano, os serviços sofrerão alterações de horários e de percurso, mantendo-se a paragem na Estação da Funcheira, defendida pelos presidentes das câmaras de Almodôvar, Castro Verde e Ourique “numa perspectiva de centralidade, aproveitamento de acessos, coesão territorial, económica e social”.
Pedro do Carmo, presidente da Câmara de Ourique, realça que com esta decisão a Estação da Funcheira mantém um lugar de destaque na rede ferroviária do sul, “dando continuidade a um legado de 100 anos de actividade ao serviço das populações e do desenvolvimento regional”.
A Câmara de Ourique e a Junta de Garvão vão avançar com obras de melhoramento da Estação da Funcheira.

Praça da República ocupada por guarnição da "Pax Julia Ano 11 d.C"

Zé LG, 23.11.11

Hoje, entre as 10h e as 17h ,

estará montado,

na Praça da República em Beja,

um pequeno acampamento militar romano,

recriando o quotidiano da guarnição

da Cidade de Pax Julia no ano 11 d.C.

Durante esta actividade, de hora a hora,

os visitantes podem ver alguns utensílios,

afazeres, manobras e ouvirem explicações

dos artistas “recriadores” presentes

que vão personificar

alguns dos legionários romanos

e auxiliares do tempo do Imperador Octávio Augusto.

Saiba mais aqui.

Falta de pensamento estratégico ou utilização das Águas do Centro Alentejo como financiadora da actividade autárquica?

Zé LG, 23.11.11
A notícia é escrita pela Rita Ranhola da agência LUSA e dá conta da situação que as Águas do Centro Alentejo vivem. Estão com a corda na garganta devido às dívidas dos municípios que já ascendem a 15,6 milhões de euros. Agora sem financiamentos bancários tudo se agrava,

 

"A Águas do Centro Alentejo explora e gere o sistema multimunicipal de água e saneamento, em alta, que serve seis dos 14 municípios do distrito de Évora.
A maioria do capital pertence à Águas de Portugal (51 por cento) e o restante é detido pelos municípios (Alandroal, Borba, Évora, Mourão, Redondo e Reguengos de Monsaraz) e pela empresa gestora do Alqueva (EDIA).
O mais recente relatório da Entidade Reguladora do Sector de Águas e Resíduos (ERSAR), divulgado na última quinta-feira, aponta a AdCA como um dos sistemas multimunicipais em situação financeira “preocupante”.
Contactada pela Lusa, a empresa respondeu por escrito e admitiu problemas financeiros, destacando que as dívidas vencidas dos municípios ascendem a 15,6 milhões de euros, o que representa “182 por cento do valor global da faturação em 2010”.
Questionado pela Lusa, José Calixto, presidente do município de Reguengos de Monsaraz e representante das autarquias no conselho de administração da AdCA, frisou que este sistema multimunicipal, com a configuração atual, “não é sustentável”.
Mas, disse, essa falta de sustentabilidade “não pode ser reduzida” às dívidas dos municípios.
“Não pode ser tudo resumido a 15 milhões de euros de dívidas. Estas têm a ver com a falta de pensamento estratégico na base da configuração do sistema e, se este não é sustentável, os municípios vão continuar a aumentar a dívida”, afirmou".

 

Falta de pensamento estratégico. Ora bom. Mas afinal, presidente Calixto, quem configurou o sistema?