Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

O miserável capitalismo português

Certo dia António Guterres convidou-me para almoçar em São Bento. Às tantas perguntei-lhe se não o preocupava a presença do Estado na economia. O então 1º ministro vacilou e respondeu: "Sim, preocupa-me". E contou-me uma história: "Há dias tive aqui um grupo de empresários que queriam criar uma associação. Disse-lhes que achava muito bem. Mas no final da conversa um deles saiu-se com esta: "Precisamos que o Governo pague as instalações…".
Lembrei-me deste episódio quando se soube que o Estado vai pagar os 35 milhões de euros que custou a construção do Europarque, em Santa Maria da Feira. Tudo isto porque a AEP, alegadamente, não tem condições para os pagar. Como o Estado português aceitou ser "fiador", os bancos que financiaram o projecto vão accionar as garantias.

O problema é que nada disto é novo: nas privatizações o Estado fez preços especiais aos empresários portugueses que depois venderam as empresas a estrangeiros, apropriando-se de enormes mais-valias; parte dos accionistas dos nossos bancos só o são porque compraram acções com dinheiro emprestado; quando se fala em criar condições para crescer, a primeira coisa que se ouve é "apoios do Estado", "linhas de crédito bonificadas", etc. Com exemplos destes o leitor surpreende-se com o estado do país? E está a ver qual é o maior problema estrutural da economia portuguesa?

Camilo Lourenço, in Negócios online

Começa a enjoar tanto enquadramento

Começa já a ser enjoativa a mania dos senhores da política e dos negócios considerarem dia sim, dia sim, que os protestos em Portugal,  face à crise, vão ser "cordatos" e devidamente enquadrados pelos sindicatos, não deixando que eles se radicalizem nas ruas.

Mas bem mais caricata é a sucessão de declarações de responsáveis sindicais que vêm para a praça pública dizer isso mesmo: estamos aqui para enquadrarmos e conduzirmos os trabalhadores a "protestos responsáveis". A gente sabe que é verdade, mas não era preciso serem tão explícitos. Um bocadinho de pudor também não lhes ficava nada mal.

Publicado por Carlos Júlio aqui.

Movimento de jovens de Beja “Derrotar a Leucemia” venceu prémio de “Boas Práticas”

O movimento de jovens de Beja “Derrotar a Leucemia” foi o grande vencedor do prémio “Acção Social”, da Universidade Católica, na categoria “Boas Práticas”. Parte do dinheiro do prémio, no valor de 2.500 euros, vai servir para registar a «Salvar Vidas»

«Salvar Vidas», Associação que surgiu ontem daquele movimento, provocando a sua extinção, assim como, para a actividade de angariação de fundos, a desenvolver no próximo mês de Dezembro, destinados a financiar a sua intervenção social junto de crianças, jovens e idosos, sem deixar de parte a luta contra a leucemia.

É hora de balanço em Alvito

Há dois anos, o novo presidente da Câmara de Alvito definiu as principais prioridades para o mandato:

“O desenvolvimento económico, a par da coesão social e da educação, é uma das grandes apostas e prioridades» do novo executivo municipal, da CDU, de Alvito, disse João Penetra, que quer criar duas zonas industriais e um ninho para a instalação de empresas, «necessárias para gerar postos de trabalho», e reforçar os apoios sociais aos carenciados.

 

Ultrapassada a primeira metade do mandato, importa avaliar a actuação deste Executivo tendo em conta o Programa Eleitoral que apresentou e as prioridades que definiu. É esse o desfio que lanço a todos, designadamente aos alvitenses – façam aqui a vossa avaliação crítica desta primeira metade deste mandato autárquico e das expectativas que têm para a segunda metade. Com correcção e sem ofensas a quem quer que seja.

Seria interessante que o Executivo municipal apresentasse (aqui - será pedir muito?) a sua avaliação do que tem sido e do que espera para o resto do seu mandato.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Se há tanta clarividência acerca da geringonça com...

  • Anónimo

    Sem dúvida, sobretudo os grandes interesses capita...

  • Anónimo

    Tal e qual ... até que enfim que alguém vai ao cer...

  • Anónimo

    Esta técnica de mal-dizer é cronicamente utilizada...

  • Anónimo

    Se são carneirinhos ou não como V.a Ex.a defende, ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds