Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

"É preciso conhecer a realidade para fazer juízos de valor"

O alvitreAdivinhem onde isto se passa…”, que publiquei aqui, obteve o comentário do Presidente em exercício do Conselho de Administração da ULSBA, que a seguir publico, para assegurar igual tratamento ao que antes publiquei e proporcionar a continuação da discussão que ali tem sido feita em torno deste assunto que a todos interessa:

 

“Caro Lopes Guerreiro


Não poderia ficar indiferente ao texto aqui redigido. Quero desde já convidar-te para um encontro na Administração, para poderes consultar os processos da Instituição e todos os relatórios efectuados e bastante conclusivos das auditorias e inspecções que periodicamente foram feitas. Relembro que o último foi do Tribunal de Contas aos S. Financeiros e Tesouraria, e que foi publicado na INTRANET para conhecimento de todos os 1800 funcionários, em que está bem clara a conclusão de transparência das contas. De igual forma terei todo o prazer em te fornecer cópia das certificações legais de conta, e das respectivas recomendações (que baixaram de 18 em 2004, para 3 em 2010), assim como da avaliação positiva efectuada aos gestores da Unidade. Para se falar em resultados líquidos, é preciso falar em proveitos (e a respectiva evolução negativa) e não só em custos.
É preciso conhecer a realidade para fazer juízos de valor. É preciso conhecer as pessoas em questão, a sua produção e o seu contributo nestes seis anos à Instituição (e o passado de uma delas em outras) para fazer comentários e dar crédito aos seus objectivos.
Será pela má gestão e pelo mau desempenho dos seus profissionais que a ULSBA se encontra posicionada em 2º lugar no processo de integração de serviços, sendo que a primeira é a ULS de Matosinhos criada há mais de 10 anos?
Será pela má gestão e pelo mau desempenho dos seus profissionais que a ULSBA tem um dos melhores graus de satisfação de utentes e trabalhadores, acima dos 60%, comparativamente com as outras, em que a pior é o Norte Alentejano com 30%?
Porque será que pelo 2º ano consecutivo obtivemos o grau de excelente em boas práticas em Ortopedia?
Porque será que o relatório chegado hoje da Inspecção Geral de Actividades em Saúde nos dá como exemplo de boas práticas em gestão de stoks do medicamento?
Porque será que diariamente nos chegam cartas de agradecimento pelos cuidados prestados e pela humanização praticada?
Porque será que as reclamações têm vindo a decrescer nos últimos 3 anos?
Porque será que nos cuidados primários as UCSP, as UCC e USF estão a trabalhar cada vez mais motivados?
Muito mais teria por dizer, conheço a "casa" e as pessoas melhor que ninguém, pois há 33 anos que ali trabalho, dando diariamente o melhor que sei e posso, tendo respeitado desde sempre os meus superiores hierárquicos e o código de ética da Administração Pública.

José M. Mestre
Presidente em exercício do Conselho de Administração da ULSBA”

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ó Chico! Muda a cassete!

  • Anónimo

    1-Não mais há propriedade individual, a terra não ...

  • Anónimo

    Gosto.Categoria de mensagem. Teria a mesma mensag...

  • Anónimo

    Que outros agentes desportivos ... e já agora polí...

  • Munhoz Frade

    Exemplar.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds