Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Alvito, onde a felicidade é fruto da terra”

… é o slogan que suportará a promoção da Marca Alvito, resultante do Plano de Marketing Territorial que foi apresentado na semana passada e estará em breve disponível na página online da autarquia para consulta. Em paralelo serão lançadas outras sub-marcas como “Alvito Natureza”, “Alvito Agricultura” e “Alvito Património”, revelou à Rádio Pax João Penetra, presidente da autarquia. Desta forma o município pretende “vender a imagem do território” para captar não só visitantes como investidores.

 

Este parece-me ser um bom tema para discutir o concelho e o seu futuro, que poderá estar em causa se for por diante a proposta de reforma administrativa do território incluída no memorando assinado com a "troica".

Vamos a isso! Sem limites que não sejam os da correcção e do respeito pelas pessoas e instituições.

7Sóis7Luas anima noites de verão em ponte de sôr, Castro Verde, Odemira e Reguengos de Monsaraz

Um cocktail das melhores músicas do Mediterrâneo em estreia nacional: a voz rouca e quente da cantora de Nápoles Pietra Montercovino, os intrumentos da Andaluzia e de Marrocos da Orquesta Chekara Flamenca, a flauta mágica de Franko Krajcar da Croácia, as melodias hipnotizantes do grupo israelita Esta; e ainda outras novidades: a produção original do Festival, o grupo multietnico 7Sóis.Med.Kriol.Orkestra, a música irreverente dos Tinturia da Sicília e o calor pugliese dos Folkabbestia.

A viagem do Festival Sete Sóis Sete Luas torna-se cada vez mais intensa e audaz: num momento histórico de reivindicações e de migrações, o Festival propõe um novo modelo de identidade mediterrânica, crescendo ao sol da solidariedade e ao ritmo do diálogo intercultural e comunicando com a costa atlântica do mundo lusófono.
Nascido entre Portugal e Itália, o Festival Sete Sóis Sete Luas desenrola-se, hoje, ao longo de um itinerário que conta já com 25 cidades em 10 países, entre os quais Itália, Portugal, Grécia, Espanha, França, Marrocos, Israel, Cabo Verde, Croácia e Brasil. O Festival envolve mais de 400 artistas, oferecendo cerca 150 concertos de música popular contemporânea, acompanhados de exposições de artes pláticas, contando com mais de 60 estreias nacionais e 180.000 espectadores anuais. Em Portugal, para além de realizar-se em Ponte de Sôr, o Festival passa também pela Alfândega da Fé (Trás-os-Montes), Castro Verde, Odemira, Reguengos de Monsaraz (Alentejo), Oeiras (Estremadura) e Madalena (Açores).
Veja o CARTAZ MUSICAL.

JANTAR SOLIDÁRIO com o Luís Miguel, vítima do “ BÚZINÃO " na Ponte 25 de Abril

A luta agora é pelo comboio, há 17 anos era contra as portagens, mas A SOLIDARIEDADE É SÓ UMA!

Em Beja, dia 1 de Julho - Sexta-feira – 20h30 – Galeria do Desassossego, JANTAR SOLIDÁRIO com o Luís Miguel, que assinalará a passagem do 17.º aniversário sobre o célebre " BÚZINÃO " na Ponte 25 de Abril, após o qual o jovem Luís Miguel Figueiredo, então com 18 anos, foi atingido por uma bala sem rosto que veio a causar danos irreversíveis, atirando-o para uma cadeira de rodas.

O Luís Miguel sofre desde então de uma paraplegia dos membros inferiores mas está de pé perante a vida. Descobriu até uma nova vida, dedicando-se à pintura. E traz até Beja alguns dos seus quadros.

Ao mesmo tempo o seu padrinho de baptismo, Isidoro Augusto, aproveita para lançar o livro com o titulo "Para Lá do Silêncio", inteiramente dedicado ao Luís Miguel (por isso todos os proventos das vendas reverterão integralmente a seu favor), que será apresentado por Jorge Serafim.

Assim aconteceu na madrugada do dia 25 de Junho de 1994, após os incidentes relacionados com os aumentos das portagens da Ponte 25 de Abril.

Se quiserem podem recordá-los em http://www.youtube.com/watch?v=CEbzL-jjo4s&feature=player_embedded

 

Recebido por e-mail.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ora aqui está uma área em que os nossos autarcas s...

  • Anónimo

    Está tudo dito... nada a acrescentar! Incapacidade...

  • Anónimo

    "O Ministério do Planeamento anunciou esta quinta-...

  • Anónimo

    Se os autarcas locais , independentemente da cor p...

  • Anónimo

    Conordo em absoluto com o comentário anterior.O di...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds