Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

A sério?!!!

"Se o PS ganhar sem maioria farei o meu melhor, como fiz no passado, para que Portugal tenha um Governo maioritário. Portugal precisa de um Governo forte, um Governo com maioria na Assembleia da República", defendeu José Sócrates, em entrevista à RTP.

 

É caso para perguntarmos ao primeiro-ministro demissionário se está a falar a sério. Não pode ou está a passar-nos um atestado de estupidez. Se é isso que pretende porque não fez no passado, ao contrário do que diz, o seu melhor para conseguir isso? Porque é que nenhum partido levou a sério o seu convite para entendimentos, depois das últimas eleições? Porque se demitiu e não tentou agora o que diz pretender no futuro, num quadro parecido?

E de repente os telefones pifaram...

Há pouco, enquanto efectuava um telefonema para o MEO, o telefone fixo deixou de dar qualquer sinal. Verifiquei as ligações e estavam boas.

Ia ligar para as avarias pelo telemóvel e este tinha a indicação de "Só chms. emergência". Pensei que uma avaria pudesse estar incluida nas emergências e tentei fazer a ligação. Nada!

Talvez seja do meu telemóvel, pensei, e tentei usar outro. A cena repetiu-se.

Alguém me pode explicar o que se passa?

Só para completar a informação, acrescento que o telefone fixo é da MEO  e o telemóvel é da TMN. A situação mantém-se há quase uma hora.

 

Adenda: Ligações já foram restabelecidas. Continuo sem saber o que se passou.

Ovibeja debate gestão para o Regadio de Alqueva e outros temas

 

A 28ª Ovibeja, que apresenta um vasto programa de colóquios e debates, agendou para o dia 5 de Maio, às 10h30 uma abordagem sobre “A Gestão da Rede Secundária do Regadio de Alqueva”.

Promovido pela ACOS, o colóquio tem como oradores Juan António Jaldón, Alcalde del Ayuntamiento de Cartaya e presidente de la Asociación Comunidad de Regantes de Huelva; José Núncio, representante da Federação Nacional de Regantes de Portugal; António Parreira, presidente da Associação de Beneficiários do Roxo e Manuel dos Reis, presidente da Associação de Beneficiários da Obra de Rega de Odivelas, moderado por João Libório, Director Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo.

Depois de almoço, a discussão sobre o regadio volta a ser colocada em cima da mesa, desta vez sobre “Novas Oportunidades nas Culturas do Regadio”, com João Miranda, presidente do Conselho de Administração do Pólo de Competitividade Agro-Alimentar; João Lopes de Sousa, representante do Cluster Agro-Alimentar do Ribatejo; Isabel Martin, em nome da Agromartin, de Cartaya; Emílio Gonzalez, da empresa espanhola de fruticultura Valenciagro e ainda Mariana Regato, da Escola Superior Agrária de Beja.

Além das questões do regadio e da valia agrícola de Alqueva, das florestas – esta edição da Ovibeja centra-se no Ano Internacional das Florestas – a discussão vai ainda ao encontro do azeite, dos vinhos, do turismo, da investigação, do desenvolvimento rural, do Montado e dos desafios no pós 2013 tendo em conta o orçamento da U.E. e PAC.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Avisa-se a todos aqueles que diziam, dizem e escre...

  • Anónimo

    PARABENS PAULO ARSENIO , novo Elefante Branco no P...

  • Anónimo

    Não há um tipo desse grupo de inteligentes que até...

  • Anónimo

    De facto, já alguém questionou o conhecimento que ...

  • Ana Matos Pires

    Reaças são os gajos, e sonsos comó caraças.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds