Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Chegou o Comboio da União a Beja

 

Se o movimento em defesa de boas ligações ferroviárias a Beja, criado e animado pelo Florival Baiôa, através da ADPB a que preside, tem mérito - e tem muitos -, o principal é, sem dúvida, ter unido todos em torno desta causa, o que parecia impossível numa cidade em que costuma haver mais preocupação com a afirmação das diferenças do que com o que pode unir as populações.

Mobilizar centenas pessoas para assistir ao “assalto ao comboio” e a Assembleia Municipal de Beja aprovar por unanimidade uma moção onde apoia aquele movimento, em vez de o tentar controlar, merece a nossa melhor reflexão sobre o que se poderia fazer por esta região se conseguíssemos manter este espírito e esta prática em torno de outras causas.

Esperamos também que alguns que tentam tirar aproveitamento partidário da situação se integrem neste movimento mais amplo de cidadania, com os seus contributos, em vez de “correrem ao lado” dele.

Veja notícias sobre o “assalto ao comboio” aqui, aqui e aqui e sobre quem não deve persistir na “marginalidade” aqui, aqui e aqui.

 

Foram levados pela “tromba d’água”…

Na Comissão de Assuntos Constitucionais, o diretor-geral da Administração Interna, Paulo Machado, avançou com uma explicação técnica para o sucedido no dia 23 de Janeiro afirmando que houve uma “sobrecarga de afluxos”, aos sistemas de informação – portal do eleitor e serviço SMS – cerca das 13h20.
‘Há um disparo que fez esta concentração. Não sendo informático trabalhei muitos anos com hidráulicos que têm para isto um nome, fator de carga. Que é que aconteceu? Nós estávamos preparados para ter uma chuva intensa e tivemos uma tromba d´água’, afirmou, ressalvando que não estava a atribuir “responsabilidades a ninguém”.

Esta explicação não é convincente, porque das duas uma: Ou foi uma percentagem muito elevada (tromba d’água”) de eleitores que não pôde votar, o que o MAI tem contrariado, ou “fator de carga” foi mal calculado. Seja como for, esperemos que esta não seja uma consequência do “choque tecnológico”, que em vez de nos facilitar a vida nos cria problemas e obstáculos, que dantes eram resolvidos.

Não é por isso de admirar que os diretores-gerais da Administração Interna e da Administração Eleitoral tenham pedido a demissão, para salvarem o ministro. É caso para dizer que foram levados pela “tromba d’água”…

GOVERNO DECLARA GUERRA AOS DIREITOS DOS TRABALHADORES

 

A CGTP-IN mantém a sua disponibilidade para, em sede da Concertação Social, se proceder a uma efectiva discussão e negociação das matérias que tendam a acabar com o desemprego e com a precariedade, verdadeiros flagelos sociais com que nos deparamos.
A CGTP-IN manifesta o seu acordo a um esforço no aumento das exportações mas lembra que a competitividade se faz, no essencial, pelo aumento da produção que tire o país da dependência externa, por evitar a recessão que as medidas inscritas no OE apontam, pelo aumento da procura interna, pelo aumento dos salários, por políticas que incrementem o crescimento económico.

Veja o depoimento de Arménio Carlos , da Comissão Executiva, no site da CGTP-IN, aqui.

 

Comentários recentes

  • Anónimo

    Está tudo dito... nada a acrescentar! Incapacidade...

  • Anónimo

    "O Ministério do Planeamento anunciou esta quinta-...

  • Anónimo

    Se os autarcas locais , independentemente da cor p...

  • Anónimo

    Conordo em absoluto com o comentário anterior.O di...

  • Anónimo

    O problema é que em Beja este ou outro tema verdad...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds