Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Registo o que se passa em Évora

Évora nunca, com raras excepções, teve órgãos de comunicação social dignos desse nome. Ao contrário de Beja, onde existem duas rádios e três jornais com orientações, mais ou menos, claras, em Évora as rádios e os jornais existentes não primam pela mesma clareza editorial, o que, a par de outras razões, não contribui para a sua afirmação como projectos jornalísticos.

Este texto, a propósito do que se tem passado, nestes últimos tempos, no REGISTO é bem elucidativo de que Évora não tem a Comunicação Social de que precisa. E não serão as tentativas bacocas de controlar os meios que existem e alguns jornalistas colocarem-se-lhes a jeito que irão contribuir para que isso aconteça.

"Faltam apenas 1823 dias para me ver livre de si de VEZ "

 

Exmo. Senhor Presidente
Ontem Vª Ex.ª venceu as eleições sendo eleito por aproximadamente 22%dos Portugueses. Mais de 47% (53,38%) não se deram ao trabalho de ir votar e os restantes votaram contra si.

Ontem Vª Exª ganhou de novo as eleições, e vai durante 5 anos andar pelo País a dizer que vem salvar Portugal. Pátria que não salvou (e que ajudou a enterrar) durante décadas. Essas décadas em que não foi “Politico Profissional”.
Ontem Vª Exª ganhou as eleições e eu comecei a minha contagem decrescente (qual preso na prisão)... faltam apenas 1823 dias para me ver livre de si de VEZ.

 

Leia aqui todo o texto, escrito por um Anónimo, em 25 Janeiro, 2011 02:00.

 

CDU contesta adjudicação do fornecimento de refeições nas escolas de Beja por ter tido como “critério único o preço”

Os Vereadores da CDU contestam a adjudicação, a uma empresa da área de Lisboa, do fornecimento das refeições aos jardins-de-infância e escolas do 1.º ciclo do Ensino Básico do concelho de Beja, em resultado do concurso recentemente realizado, que, ao ter como “critério único o preço”, demonstra que a motivação foi puramente economicista e, que isso, “pode pôr em causa a qualidade da alimentação dos alunos” e que vai criar “dificuldades acrescidas” às IPSS que actualmente fornecem esse serviço e “terá também implicações negativas nos fornecedores locais”.

Para Maria Jesus Ramires, Vereadora da CDU, esta decisão “não é certamente consentânea com as promessas da candidatura do PS à Câmara, que assegurava o apoio às empresas e instituições locais”.

GAP da Câmara de Beja apresenta FAME e PRODER

 

Na prossecução de uma estratégia de modernização, inovação e de desenvolvimento, o Município de Beja está a apostar cada vez mais no Gabinete de Planeamento e Desenvolvimento com o objectivo de cativar, apoiar e acompanhar investidores desde a primeira manifestação de interesse até ao processo de instalação de actividade. No âmbito das actividades a desenvolver pelo Gabinete destacam-se duas sessões de apresentação pública, a realizar no dia 27 de Janeiro, sobre o Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (FAME) e o Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER).

 

“Beja Capital Cultural 2011”

 

Miguel Góis, vereador da Câmara de Beja, apresentou a Programação Cultural para este ano, que inclui toda a actividade do Pax Júlia, assim como outros eventos a organizar no concelho, afirmando que na “Beja Capital Cultural presidiu o conceito: a melhor programação de sempre com o menor esforço financeiro de sempre”, referindo que 90 % dos espectáculos são financiados a 80% pelo QREN.
Para além de espectáculos com Companhia Olga Ruriz, Martina Topley Bird, David Fonseca, José Cid, Companhia de Bailado Nacional, Miguel Gameiro, Rita Guerra e Rita Redshoes, no Pax Julia, ao longo deste ano Beja vai ainda contar com o Festival do Amor, Verão no Jardim, Beja Wine Night, Vinipax, Festival Contos na Planície, entre outros eventos.
Foram ainda apresentados Nuno Figueiredo, técnico da autarquia que até aqui coordenava a Casa da Cultura de Beja, como novo responsável do Pax Júlia e a nova linha gráfica de comunicação cultural.

 

“MEIAS DE ALVITO”

… é o nome de uma de exposição de meias de linha, algumas executadas com cinco agulhas, que está patente ao público de 21 de Janeiro a 11 de Março, no Posto de Turismo de Alvito.

Fazer meia era uma tarefa essencialmente feminina e até bastante tarde no século XX “fazer meia” foi uma ocupação que envolveu grande parte das mulheres dos campos alentejanos. As raparigas iniciavam-se por volta dos doze anos, com as mães ou as avós. Um saber que passava de geração em geração, sendo um dote muito louvado nas meninas da província que se esmeravam em fazer as meias mais bonitas.

As meias de mulher, usadas no trabalho do campo eram compridas, ajustadas à perna e seguras à coxa com elástico. As meias de homem eram muitas vezes adornadas com 3 riscas de cor no elástico. Em ambos os casos usavam-se cores fortes, linha grossa e pontos simples para as meias de trabalho e linha branca, muito fina, nas meias rendadas destinadas aos dias especiais.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não podes estar mais longe. O eterno e sempre à mã...

  • Anónimo

    Se há tanta clarividência acerca da geringonça com...

  • Anónimo

    Sem dúvida, sobretudo os grandes interesses capita...

  • Anónimo

    Tal e qual ... até que enfim que alguém vai ao cer...

  • Anónimo

    Esta técnica de mal-dizer é cronicamente utilizada...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds