Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Desculpem lá a parcialidade, mas Cavaco Silva re-eleito: NÃO!

 

Os Portugueses estão fartos de mentiras, de atitudes calculistas e do cinismo que representam as palavras de Cavaco Silva se as tivermos de comparar com todo o trajecto político que Cavaco Silva tomou desde que é Presidente da República de acordo com as atribuições e competências que a CRP lhe confere.

Os Portugueses estão fartos de um Presidente da República que não defende a Soberania Nacional do nosso país, perante o claro ataque económico, financeiro e político que nos está a ser feito pelas grandes potências europeias e pelas instituições europeias das quais somos Estado-Membro.

Os Portugueses têm que acabar dia 23 com o esquema da re-eleição de Cavaco Silva que é apenas um meio político para este dar um volteface na governação em Portugal, com vista a favorecer a subida ao poder do líder do seu partido.

Não podemos continuar a entregar os destinos dos órgãos de soberania do nosso país a quem durante décadas defendeu o enriquecimento injusto da alta-finança, lucrou com a alta-finança, viu as suas campanhas políticas pagas pela alta-finança e deixou que a alta-finança levasse o país à bancarrota.

Por isso, dia 23, Cavaco Silva não!


Copiado, com a devida vénia, daqui.

“Não existe aeroporto que não tenha boas ligações ferroviárias e viárias”

Por iniciativa de Bernardo Loff, presidente da Assembleia Municipal de Beja, vai ser convocada para o dia 26 de Janeiro uma sessão extraordinária deste vai ser convocada, para o dia 26, uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Beja, por iniciativa de Bernardo Loff, presidente daquele órgão autárquico, aberta a todas as forças vivas da região, porque é importante auscultar opiniões antes de ser tomada uma posição sobre esta situação.

 

Florival Baiôa, presidente da Associação de Defesa do Património de Beja (ADPB), entende que o aeroporto só será viável se existirem boas ligações ferroviárias, porque “não existe aeroporto que não tenha boas ligações ferroviárias e viárias”.

 

Entretanto, os deputados do PS eleitos por Beja, continuam a fazer jogo de cintura, saudando “todas as iniciativas da Sociedade Civil que visem defender os interesses e direitos de Beja”, recordando “os investimentos feitos na linha do Alentejo são relevantes” e defendendo que há aspectos que “não podem ser desconsiderados” como o investimento feito pela REFER na região que se mantém quando foi cortado no norte do país.

Sindicalistas recusam acordo e preferem lutar

 

No Tribunal de Pequena Instância Criminal de Lisboa, a juíza, depois de ouvir os polícias, propôs aos arguidos um acordo. "Faziam um depósito de 300 euros cada um, esse montante reverteria para uma instituição de solidariedade social e, em troca, os autos seriam suspensos durante três meses e depois arquivados", explicou ao DN Francisco Brás, dirigente do STAL, pelas 12.30, quando foi interrompida a sessão. O acordo não foi aceite porque isso seria "uma assunção de culpa dos dois dirigentes". E a luta continua. José Manuel Marques e Marco Rosa saíram do Tribunal de Pequena Instância Criminal pelas 16.30 sob um coro de "25 de Abril sempre, fascismo nunca mais!".

Colocar o poder político ao serviço do povo

Francisco Lopes esteve esta noite em Évora, numa acção de campanha que terminou com um comício de sala cheia no Teatro Garcia de Resende, onde manifestou confiança de que, «no próximo domingo, vamos alcançar os nossos objectivos», frisando que a sua candidatura «É a única»,  «que trouxe ao debate o problema central do País», o facto de «um grupo reduzido de famílias, ligadas aos grandes grupos económicos e financeiros, ter aprisionado o poder político». Afrontar esse poder colocando o poder político ao serviço dos interesses do povo e do País só está ao alcance da candidatura que propõe a mudança, que representa a alternativa, a única candidatura cujo «compromisso exclusivo é com o povo, os trabalhadores e o País», e, por isso, encontra-se como nenhuma outra em condições de enfrentar Cavaco Silva e o rumo de desastre nacional numa segunda volta das eleições.

Comentários recentes

  • Anónimo

    O termo "velha" com que te referes à senhora que m...

  • Anónimo

    Não fecha.Sofre a evolução para cuidados de proxim...

  • Anónimo

    E o PS não se sente incomodado com a saúde no Dist...

  • Anónimo

    CIDADE DE PANHONHAS...

  • Anónimo

    Agora é passado, mais uma vez. A ULSBA não terá es...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds