Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Pôr o chocalho ao gato

Todas as organização, das mais pequenas às maiores, criam um conjunto de normas visando facilitar o seu funcionamento, através da definição do que cabe fazer a cada um dos trabalhadores (desde o que tem maior responsabilidade até ao mais simples executante) e de como todos se devem relacionar entre si. Naturalmente que esta é uma abordagem simples (ou simplista) de como se organizam as organizações, passe o pleonasmo.

Da correcção, do equilíbrio e da clareza dessas normas depende, em grande medida, o bom ou nau funcionamento das organizações. Se as normas forem em excesso, desadequadas da realidade e pouco claras é muito provável que gerem burocracia, contribuindo para a lentidão ou, mesmo, ineficácia das organizações. Por outro lado, se forem insuficientes e igualmente desadequadas da realidade e pouco claras é provável que provoquem alguma bagunça e incapacidade de resposta das organizações.

Cabe aos principais responsáveis das organizações, directamente ou através dos seus representantes, encontrar o ponto de equilíbrio que melhor se se ajusta a cada organização. Deve ser essa uma das suas principais responsabilidades, que deve merecer uma avaliação permanente da sua parte, sob pena de muitos dos objectivos propostos não serem alcançados. Quando tal não acontece, é frequente serem os trabalhadores acusados de falta de produtividade, como forma dos principais responsáveis alijarem as suas responsabilidades.

Escolhidas as "Sete Maravilhas do Alentejo"

O resultado das votações da iniciativa "Sete Maravilhas do Alentejo", que o Jornal Margem Sul lançou visando contribuir para a divulgação do rico e vasto património material e imaterial do nosso Alentejo, foi:

Castelo de Évoramonte (Estremoz) , Fortaleza de Marvão e Vila Amuralhada , Tapeçaria de Portalegre, Lago de Alqueva (Portel) , Vila Medieval de Monsaraz , Portas de Beja, Aqueduto e Nora (Serpa) , Terreiro do Paço de Vila Viçosa .

Comentários recentes

  • Anónimo

    Está tudo dito... nada a acrescentar! Incapacidade...

  • Anónimo

    "O Ministério do Planeamento anunciou esta quinta-...

  • Anónimo

    Se os autarcas locais , independentemente da cor p...

  • Anónimo

    Conordo em absoluto com o comentário anterior.O di...

  • Anónimo

    O problema é que em Beja este ou outro tema verdad...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds