Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

O que seria de nós sem Cavaco Silva?

Cavaco Silva desfez mais um dos seus tabus ao anunciar aquilo que já toda a gente sabia há muito tempo, que se vai recandidatar à Presidência da República.

E fê-lo apesar de não ter conseguido aquilo por que se tem batido tanto nos últimos tempos, o entendimento do PS com o PSD para a aprovação do pior e mais grave Orçamento de Estado da história democrática do nosso país, mostrando assim que a sua “magistratura de influência” não é tão eficaz como gosta de proclamar.

Cavaco Silva justificou a sua candidatura de há cinco anos com o imperativo que sentiu de colocar a sua condição de economista experimentado e conhecedor ao serviço do país para ultrapassar a grave situação em que este se encontrava.

Agora, voltou a justificar a sua recandidatura com mesmo argumento: "Com a  minha experiência e os meus conhecimentos posso ajudar o país a encontrar um rumo de futuro e vencer as dificuldades com que está confrontado". "Sei que posso ser útil a Portugal e aos portugueses, move-me a consciência da gravidade dos problemas que temos pela frente".

E porque percebeu que seria facilmente apanhado na contradição evidente entre o que prometeu e a situação em que se encontra o país, tentou justificar-se:  "Em que situação se encontraria o país sem a intervenção intensa e moderada, muita vezes discreta, que exerci (...) sem os alertas que lancei em devida altura?"

A finalizar, não resistiu a uma declaração demagógica e de baixa política ao anunciar que a sua campanha irá ser "sóbria e contida nas despesas para não ultrapassar metade do valor permitido pela lei em vigor" e que, apesar de saber que poderá ser prejudicado, não vai recorrer a cartazes de rua, como se não soubesse que quem precisa de se tornar conhecido perante os eleitores não é ele…

Em jeito de resposta ao título que dei a este alvitre, com base nas afirmações de Cavaco Silva, direi que sem ele, e outros como ele, não estaríamos piores e estou convencido de que estaríamos bem melhores.

Câmara de Sines avança com construção da Academia das Energias

A Câmara Municipal de Sines adjudicou a empreitada “Academia das Energias – Pavilhão Multifuncional de Sines II - Execução”, no valor de cerca de 420 mil euros.

A “Academia de Energias” é um dos projectos que integram o Corredor Azul – Rede Urbana para a Competitividade e a Inovação e prevê a construção de um Pavilhão Multifuncional na ZIL II, na Quinta da Lameira, junto às instalações do Sines Tecnopolo, onde funcionará uma academia destinada ao ensino prático de disciplinas nas áreas da metalurgia e energias renováveis.

Comentários recentes

  • Anónimo

    M. Frade, não compreendeu o que petendi dizer com ...

  • Munhoz Frade

    Quis dizer “gerar” e não “gerais”. Não reparei na ...

  • Anónimo

    Seria voltar a focar as questões ligadas ao modo d...

  • Munhoz Frade

    Um pouco de polémica, meu caro ZLG:Sabemos que cau...

  • Anónimo

    É pena que o próprio DA não se tenha interessado p...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds