Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Trulé ganhou o prémio "Golden Magnolia Arts Innovation"

Da participação no 2nd Golden Magnolia Shanghai International Puppets  Festival and Competition que se realizou entre 11 e 15 de Outubro, o Trulé, o grupo de marionetas de Manuel Dias, de Évora, ganhou o prémio "Golden Magnolia Arts Innovation".

É mais um prémio, dos muitos já ganhos, que vem reconhecer o elevado mérito de Manuel Dias nesta sua interessante produção artística. 

Parabéns! 

Atraso nos pagamentos do governo pode condicionar conclusão da Escola de Alvito

As obras de construção da Escola Básica Integrada e Jardim de Infância de Alvito estão quase concluídas mas o Ministério da Educação tem pagamentos em atraso, visto que só pagou cerca de 600 mil euros dos cerca de 2 milhões de euros da comparticipação estatal. Não existem dívidas aos empreiteiros porque a Câmara tem vindo a satisfazer os pagamentos, situação que poderá complicar-se nos próximos dias, caso o Ministério não disponibilize verbas para o projecto, e atrasar a conclusão da obra.

Trata-se de uma situação semelhante à da Vidigueira em que presidente da Câmara veio recentemente a público reclamar o pagamento de 2 milhões de euros em atraso, não tendo a nova Escola sido ainda inaugurada embora esteja concluída.

Este governo de José Sócrates não pára de surpreender quem anda mais distraído. Lança programas, assina acordos em que promete co-financiamentos, faz propaganda e deixa os parceiros a arder, não cumprindo o que se comprometeu, criando dificuldades a quem promete ajudar. Ainda há quem acredite neste governo?!

Aljustrel vai avançar com Orçamento Participativo

A Câmara Municipal de Aljustrel apresenta no próximo Domingo o Orçamento Participativo 2010-2011, no Parque de Exposições e Feiras de Aljustrel, pelas 16 horas. A partir dessa data os munícipes podem dar o seu contributo.

De acordo com a autarquia, “um dos principais benefícios do Orçamento Participativo é contribuir para aprofundar o exercício da democracia através do diálogo que o poder público estabelece com os cidadãos”, uma vez que se trata de uma “ferramenta para ordenar as prioridades sociais e promover a justiça social”.

Parabéns à Câmara de Aljustrel pela iniciativa, que desde há muito defendo, que deveria fazer corar de vergonha alguns que tanto reclamam a democracia participativa mas que pouco fazem nesse sentido.

"A questão da chamada "pesada herança" tornou-se já insuportável"

Considero esta troca de cartas um facto politico interessante. A pedir atenção e análise.

1 . Nos mais de 20 comentários proliferam principalmente chavões como "toma lá", "comuna", "xuxalista", "fanatismo politico de LG"...  coisas que decerto ninguém sabe o que querem dizer a começar por quem os utiliza. São palavras vãs que pretendem "massar" gratuitamente quem as recebe e estão longe de contribuir para alguma melhoria do que quer que seja.

2. A constatação da ausência de conteúdos sérios a propósito do exercício de um primeiro ano de mandato só elucida sobre o nível geral da discussão e da reflexão sobre a gestão coisa pública, e ajuda a explicar que seja a resposta de JPV.

3. A questão da chamada "pesada herança" tornou-se já insuportável em todo o lado. Pensávamos que Durão Barroso tinha atingido o limite quando falou do "país de tanga", mas não. Não há poder, (central, local, descentralizado ou mesmo de natureza privada) partido, ou líder que não arremesse com a "pesada herança". Como se fossem todos ingénuos, desconhecedores e enganados no momento das suas candidaturas.
Conheço bem por exemplo o caso de Évora, onde José Ernesto de Oliveira falará até ao último dia do seu terceiro mandato da pesada herança. Sabemos que no dia seguinte (porque ele não se pode recandidatar) o senhor seguinte continuará a usar o mesmo argumento.  A voz será mais grossa ou fina dependendo do partido pelo qual vier a ser eleito - se for o PS terá de ser mais contida, senão os brados serão estrondosos. Não é admissível como argumento para gestores de coisas públicas.
Uma herança é por natureza algo em que não escolhemos mas que quer queiramos ou não nos serve de base (melhor ou pior) para continuar.

Formulo votos para que a herança de 37 anos de democracia, nos sirva de base para deixarmos de prestar contas sobre o exercício público com métodos tão ligeiros.

Comentário de Dores Correia, aqui deixado, a 20 de Outubro de 2010 às 15:31

"Quanto à performance de JPV"

Antes de mais, assumir que só por total falta de capacidade de análise, ou má intenção, se pode afirmar que “Beja está pior” com JPV. É falso! Na pior das hipóteses estará mais ou menos na mesma, como a lesma…
Quanto à performance de JPV, a mesma pode ser avaliada, na minha opinião, de duas perspectivas – dimensão governativa e dimensão comunicacional.
Na 1ª dimensão, que remete para a governação pura e dura, JPV tem feito o que está ao seu alcance, dado que tomou posse há apenas um ano, que encontrou uma situação financeira na Câmara péssima e de difícil diagnóstico, que a conjuntura económica e financeira nacional não podia ser pior, que encontrou uma carteira de projectos vazia e que o timing de desenvolvimento dos programas, nomeadamente do InAlentejo, não foi o mais favorável no ano que agora termina. Nesta dimensão, acredito, não se pode exigira a JPV mais do que se exige a outros Presidentes de Câmara, logo considero que o inventário de críticas de que tem sido vítima é injusto, anacrónico e despropositado.
Numa 2ª dimensão, que nos remete para a sua estratégia comunicacional, JPV foi desastroso, conseguindo hostilizar tudo e todos - Dos trabalhadores da Câmara de Beja, que tanta falta lhe fazem para concretizar o seu projecto; até aos seus correligionários do PS, que cada vez mais se afastam de uma BEJA CAPITAL à imagem de JPV.
Estará a tempo de corrigir a mão? Eu acredito que sim! Para tal basta que o homem inteligente e hábil, que já demonstrou ser, se sobreponha ao político cáustico, queixinhas e pouco mobilizador que sobressaiu no último ano, nos antípodas da figura em que os Bejenses votaram para colocar Beja no seu lugar.
Concordo que governar melhor Beja do que no último mandato CDU não é difícil, mas governar não é apenas saber gerir receitas e despesas de forma equilibrada. Gerir é também saber “conduzir” homens e mulheres, e para tal é preciso saber COMUNICAR. E é o que tem faltado a JPV – Comunicar bem.

Comentário de um Anónimo, aqui deixado a 19 de Outubro de 2010 às 21:37

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ora aqui está um tema que deveria ser motivo de re...

  • Anónimo

    Pelos vistos vai ser o primeiro a profanar o sítio...

  • Anónimo

    Tens toda a razão. Já cá faltava a patetice da com...

  • Anónimo

    Vote no PAN.

  • Anónimo

    Já cá faltava a patetice da habitual comparação co...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds