Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

CIMBAL quer saber o que se passa na linha-férrea do Sul

A Assembleia Intermunicipal da CIMBAL (Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo) aprovou um documento, em que pede esclarecimentos ao Ministério das Obras Públicas, sobre a intervenção, em curso, na linha-férrea do Sul e ramal de Évora, assim como, no resto da linha até Beja e Funcheira, porque “quer conhecer o montante dos investimentos previstos, a estimativa efectuada relativamente aos «custos transferidos» para os utentes e para as populações em geral, para quando o reinício da prestação de serviços por parte da CP, qual a tipologia da nova oferta, que melhorias estão previstas, para quando a electrificação do segmento Casa Branca – Beja e como está a ser equacionado o ajustamento da oferta de serviços em função da operacionalização do aeroporto”, segundo Rodeia Machado.

Município de Cuba contra medidas do governo no ensino

A Câmara de Cuba decidiu, por unanimidade, denunciar o contrato com o Ministério da Educação quanto à delegação de competências, que vigorou nos últimos dois anos a título experimental, relativo ao cuidado com escolas básicas, uma vez que: “Verificou-se que o projecto traz graves prejuízos para o município”, segundo Francisco Orelha, o presidente da autarquia.

A Assembleia Municipal de Cuba aprovou, por unanimidade, uma Moção onde manifesta o seu “descontentamento e oposição” face ao encerramento de escolas com menos de 21 alunos do 1º ciclo, em Vila Alva e Vila Ruiva.

Municípios do Baixo Alentejo contra fecho de escolas

A AMBAAL considerou «inadmissível» o fecho de escolas básicas com menos de 21 alunos e apelou para que as medidas aprovadas pelo Governo sejam «revogadas de imediato», reafirmando a sua «disponibilidade» para «conversações no sentido de serem adoptadas as melhores soluções com vista a combater verdadeiramente o insucesso escolar».

O «combate ao insucesso escolar não passa pelo critério único do encerramento das escolas com poucos alunos», que «preenchem todos os requisitos pedagógicos e, em regra, estão localizadas em zonas isoladas», onde «são um dos principais elos de ligação ao exterior, dinamizando a actividade social e assumindo um papel determinante para o desenvolvimento das pequenas comunidades», acrescenta a AMBAAL, recordando que o fecho de escolas no interior, «aliado ao encerramento de outros serviços públicos, nomeadamente no sector da saúde», torna-se «mais grave» quando «se estão a definir e a concretizar» projectos locais de dinamização para «evitar o abandono populacional» e criar «capacidade de atrair pessoas».

Comentários recentes

  • Munhoz Frade

    O que repetidamente entre nós se assiste é sintoma...

  • Anónimo

    Mas é que não tenhas a minima dúvida.Está tudo pre...

  • Anónimo

    Isso ainda também se esfuma...

  • Anónimo

    Diz-se que o Dr. Frade anda calado porque prepara ...

  • Anónimo

    Abra-se a maternidade com pediatria no regime priv...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds