Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Almodôvar o concelho mais saudável”

A Câmara Municipal de Almodôvar quer ser o concelho mais saudável do país e para alcançar este objectivo assinou um protocolo de colaboração com a Fundação Professor Fernando de Pádua e a Fundação Calouste Gulbenkian, para que estas apliquem, no concelho, políticas de intervenção e prevenção de doenças.

Com o nome “Almodôvar o concelho mais saudável”, o programa tem a duração de cinco anos e vai sensibilizar as populações para modos de vida mais correctos e alertar para os problemas resultantes do stress e de hábitos sedentários.

A população vai poder realizar vários exames, rastreios, workshops e acções de formação. Depois dos exames realizados à população de Almodôvar, os dados vão ser tratados cientificamente pela Fundação Fernando de Pádua e vão ser divulgados. A intenção é perceber o estado de saúde do concelho para corrigir atitudes e incentivar estilos de vida mais benéficos.

Até quando?

De acordo com o relatório de dívidas a fornecedores e outros credores apresentado na Assembleia Municipal de Cuba de Abril passado, a dívida à AMCAL continua a subir atingindo actualmente o montante de 266.000€ (206.000€, um ano antes)

Para além de uma demonstração de gestão incompetente esta situação é um claro desrespeito pelos outros Municípios vizinhos que cumprem de forma regular as suas obrigações para com a associação.

Por outro lado, levanta questões éticas e morais à maioria socialista (?) em virtude de durante o ano de 2009 ter autorizado o corte de água a munícipes que deviam cerca de 15 ou 20 € de água por incumprimento nas suas obrigações e na prática o Município foi o mais prevaricador não cumprindo com as suas funções.

 

O que leva os outros municípios associados a contemporizar com esta situação, que obriga os seus munícipes a financiar, indirecta e involuntariamente, a actividade da Câmara Municipal de Cuba? Até quando isto vai continuar a acontecer?

Comentários recentes

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds