Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Senhora: desta vez não são rosas!

Alerta-nos, desde ontem, o João Espinho no seu Praça da República para a marquise que foi construída em Beja a "cobrir" (salvo seja) a  Rainha D. Leonor, frente ao Convento de Nossa Senhora da Conceição, onde funciona o museu distrital. Grave, grave é que alguém tenha dado autorização para isto: trata-se da apropriação de espaço público para a realização de um jantar de um Banco - o BCP, onde sempre pontificou essa fauna de Jardins Gonçalves, Teixeiras Pintos, Armando Varas... - que anda numa de "lavar a cara" promovendo conferências e jantares com o economista Daniel Bessa e a administração do Banco em todas as capitais de distrito. Beja não podia fugir à regra e hoje é o dia do "sacrifício". Mas, caros banqueiros, bancários e demais convivas: não era preciso "cobrirem" a Rainha, como se ela fosse uma piscina a necessitar de cobertura. Com tanto restaurante que há na cidade sempre ajudavam a iniciativa privada se dessem uma senha a cada conviva para ir "morfar" onde quisesse (o jantar é o único interesse da conferência, aliás). E  - melhor ainda  - não incomodavam o indígena! E eu, que nunca morri de amores pelo Francisco Santos, digo: se fosse dada, na altura da CDU, autorização pela Câmara para este espalhafato (e era bem possível que dessem), o que não seria!... Só que ao Jorge Pulido Valente parece que tudo se perdoa... Será apenas por causa do penteado sempre todo aprumado ou haverá outras razões?

Escreveu Carlos Júlio no nosso A Cinco Tons. (foto do João Espinho, retirada daqui

AM de Alvito contra encerramento da Linha do Alentejo

A Assembleia Municipal de Alvito aprovou uma Moção onde reivindica que sejam “esgotadas todas as possibilidades de intervenção sem recorrer ao encerramento da linha” do Alentejo, que deverá ocorrer na próxima semana, manifesta o seu “desagrado pela falta de informação por parte da REFER e “exorta o governo através do Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações que interceda no sentido de evitar o encerramento desta linha”, considerando que o seu encerramento, pelo período de um ano, devido a obras de modernização “afectará gravemente a população do concelho de Alvito que diariamente utiliza o comboio para trabalhar e estudar”.

Comentários recentes

  • Anónimo

    E o PS não se sente incomodado com a saúde no Dist...

  • Anónimo

    CIDADE DE PANHONHAS...

  • Anónimo

    Agora é passado, mais uma vez. A ULSBA não terá es...

  • Anónimo

    Fazendo uma análise mais profunda verificamos que ...

  • Munhoz Frade

    Sobre o anúncio da criação de Centros de Responsab...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds