Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvito cumpriu os objectivos na operação Limpar Portugal

Zé LG Zé LG, 20.03.10

segundo o comentário de Madalena Isabel Mil-Homens Alves, deixado aqui, que a seguir transcrevemos:

Cumprimos os objectivos propostos:
- 3 lixeiras (lixo devidamente separado e depositado no aterro sanitário)
- criação de pontos de referência (6) para recolha de lixo (grandes dimensões) por parte da Câmara Municipal
- muita diversão.

“Vote na maravilha de Odemira”

Zé LG Zé LG, 20.03.10

é o nome da campanha lançada pela Fundação Odemira para promover a eleição do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV) como uma das Sete Maravilhas Naturais de Portugal.

O PNSACV é uma das 21 maravilhas candidatas à última fase de votação para a escolha das sete maravilhas naturais de Portugal. O concurso está organizado em sete categorias diferentes, elegendo-se uma maravilha por categoria. Em cada uma delas concorrem apenas três maravilhas para eleger uma, sendo os adversários do PNSACV o Parque Nacional da Peneda -Gerês e a Reserva Natural da Lagoa do Fogo (Açores), incluídos na categoria Zonas Protegidas.

A votação pode ser feita de diferentes formas sendo de todas a mais fácil e rápida através do site da Fundação Odemira (www.fundacao-odemira.pt), onde está já disponível uma ligação directa ao sistema oficial de voto.

Jorge Gaspar recebe Prémio Lisboa pela sua carreira

Zé LG Zé LG, 20.03.10

Jorge Manuel Gaspar, geógrafo, de 67 anos, venceu o prémio Universidade de Lisboa 2009/2010, o único prémio de uma universidade do país. Integrou o lote de cinco finalistas com Boaventura de Sousa Santos (sociólogo), António Galopim de Carvalho (geólogo), José Mattoso (historiador) e Luís Archer (geneticista), de um total de 33 candidaturas, mas o júri formado por personalidades ligadas à ciência, cultura e jornalismo elegeram-no por unanimidade.

Este prémio distingue todos os anos uma individualidade portuguesa ou estrangeira (se trabalhar no País há cinco anos), cujos trabalhos sejam de reconhecido mérito científico/cultural e contribuam para o progresso das áreas e para a projecção internacional do País. "O que faz a diferença deste prémio é o distinguir-se alguém, não apenas pela excelência, mas por também deter uma carreira universitária de vulto, reconhecimento que só costuma ser dado quando essa carreira é feita no estrangeiro", explica o reitor da Universidade de Lisboa e presidente do júri, António Nóvoa.

O júri justificou a sua decisão com a "qualidade do trabalho científico realizado ao longo de uma carreira académica nacional e internacional", destacando ainda "o modo notável como se projectou ao longo de décadas de forma construtiva no apoio à elaboração de políticas públicas no ordenamento do território". É um dos principais nomes da geografia em Portugal e viu assim ser reconhecido o seu extenso trabalho na área. Mas para o antigo professor o prémio também recompensa os seus antecessores - como Orlando Ribeiro que considera como o seu mestre no estudo da geografia - e sucessores.
Para Jorge Manuel Gaspar foi uma surpresa ter sido o eleito, até porque nem sabia que era candidato. O geógrafo considera que o seu trabalho para o ordenamento do território e urbanismo terá pesado na escolha do júri, mas preferiu realçar o reconhecimento que a distinção da Universidade de Lisboa dá à geografia. "Antes do 25 de Abril havia poucos alunos. Era um curso de pequenas dimensões, mas Orlando Ribeiro deu um conhecimento importante do território no século XX. Hoje é diferente e temos grandes mestres", salientou.

Agradeço ao Manuel Maria Barroso a notícia, que pode ser lida aqui, partilhando o “orgulho muito especial” que todos devemos sentir no momento em que um alvitense de opção foi galardoado com um dos prémios de maior prestígio atribuídos em Portugal.