Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Teixeira dos Santos afrontou os presidentes das juntas de freguesia

“O que está em causa é `money for the boys´", afirmou o ministro de Estado e das Finanças, a propósito da proposta das oposições que o OE incluísse uma verba para remunerações dos presidentes de junta.

"Não sei as linhas com que o seu Governo se cose para utilizar essa expressão, mas do que nós estamos a falar é de eleitos", afirmou Honório Novo, do PCP, que considerou aquela uma "expressão indigna".

Francisco Louça, do BE, acusou o ministro de "incendiar o debate", e afirmou que os dois "administradores da Portugal Telecom (PT) que o governo nomeou ganharam em prémios" o mesmo valor que a oposição pede para os eleitos que presidem às juntas de freguesia.

"Eu não sou consultor, nem autor de parecer. Não me incluo no conceito do "`money for the boys´". O que o ministro de Estado fez é uma afronta, que eu enquanto presidente de junta, não posso aceitar", disse, em defesa da honra, João Figueiredo, do PSD, que se apresentou como presidente de uma junta de freguesia e pediu ao ministro das Finanças que se retractasse.

Mesmo que Teixeira dos Santos ande a procurar saltar do governo para o Banco de Portugal, não é admissível que um governante, ainda por cima ministro de Estado, revele tamanha falta de respeito institucional e democrático. Espera-se que a ANAFRE exija que se retrate e um pedido formal de desculpas e que se tal não acontecer o primeiro-ministro saiba tirar daí as devidas consequências.

História de Montemor-o-Novo em Livro Infantil

Esta sexta-feira, pelas 14h15, tem lugar na Biblioteca da Escola EB 2,3 S. João de Deus, em Montemor-o-Novo, a apresentação do Livro “Uma Amiga com Mil anos - Joana descobre a história de Montemor-o-Novo”, com textos de Teresa Fonseca e ilustrações de José Nelson Pestana Henriques. 

“Joana, estava feliz naquela tarde de início de Verão. Era o primeiro dia das férias grandes, depois de um longo ano lectivo!

Começara por visitar os avós maternos, que viviam num monte nas imediações de Montemor-o-Novo. Brincara o dia inteiro…

Finalmente, cansada de tanta emoção, recostara-se à sombra de uma frondosa oliveira, que o avô António dizia, orgulhoso, ter mais de mil anos.

Assim começa a história de Montemor-o-Novo, contada a uma criança por uma velha árvore…”

"Não são números simpáticos”

Os últimos cálculos apontam para uma contracção de 0,2% do PIB nos últimos três meses de 2009, face ao trimestre anterior. É a primeira quebra em cadeia depois de dois trimestres consecutivos de crescimento.

"Não são números simpáticos, mas temos de relativizar esses números", disse o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, acrescentando que "Confirmamos uma quebra de 2,7% em relação a 2008". "É prematuro estarmos a falar nesse cenário. O facto de termos um número em cadeia no final do ano que foi negativo não nos deve precipitar já para cenários dessa natureza", para antecipar uma nova recessão técnica na economia portuguesa.

Pois é, não nada simpáticos, sobretudo se pensarmos que aparecem a seguir às eleições e das declarações do governo de que o país já tinha saído da crise e antes da apresentação do PEC… Mas para quem não e nada mesmo simpático é para os são obrigados a fechar as suas empresas, para os desempregados, para os que estão a ser atirados para a pobreza.

O equilibrismo e os malabarismos que o governo faz para negar, esconder ou disfarçar a real dimensão da crise e tentar escamotear as suas responsabilidades é próprio de verdadeiros artistas. Para quem insiste em ver no ministro das Finanças um político sério e competente, mesmo depois de ter sido considerado o pior da União Europeia, precisa de muita fé e de pouco questionamento, ou seja, precisa de ser muito sectário.

Comentários recentes

  • Anónimo

    E não é só o hospital, a cidade e a região também ...

  • Anónimo

    Afinal é ou não verdade que o Hospital de Beja “co...

  • Zé LG

    Contactando a CMB. Mas atenção à data da notícia.

  • Anónimo

    Servirá sobretudo e na melhor das hipóteses, para ...

  • Tania

    Como posso fazer e pedir informações sobre como al...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds