Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Corte da Estrada Nacional entre Alvito e Vila Ruiva

Já aqui me referi à falta de respeito pelas pessoas, principalmente quando quem falta ao respeito é quem, para além da obrigação cívica, tem a obrigação legal de respeitar as pessoas, a propósito da insuficiente, inexistente ou inadequada sinalização rodoviária aquando da realização de obras em estradas ou arruamentos.

Trago aqui mais um exemplo, o do corte da estrada nacional entre Alvito e Vila Ruiva, sinalizado como mostram as fotografias, sem qualquer informação sobre o que o justifica. Para quê essa informação, para que precisam os transeuntes afectados com o corte dessa informação ou de uma boa e completa sinalização? – Deve ser assim que pensam os que mandaram cortar a estrada.

Segundo apurei este corte da estrada, que deve terminar amanhã ficou a dever-se a testes que as Estradas de Portugal estão fazer na Ponte de Pedra.

Sismo matou mais de 700 pessoas no Chile

A presidente do Chile fez esta tarde um novo balanço que aumenta para 708 o número de mortes provocadas pelo sismo de 8,8 graus na escala de Richter que atingiu ontem aquele país. Os números contam já com algumas vítimas que morreram em zonas costeiras do sul do Chile, na sequência do tsunami provocado pelo sismo. Os dados divulgados esta manhã pelo Gabinete Nacional de Emergência davam conta de 400 vítimas.

Vinhos alentejanos entre os melhores

Provadores de vários países, reunidos por iniciativa da revista Wine e os especialistas da Revista de Vinhos colocaram recentemente diversos vinhos do Alentejo à cabeça entre os melhores.

A Revista de Vinhos realiza anualmente esta atribuição de prémios que vai já na 12ª edição e que distingue personalidades, empresas e instituições do universo do vinho e gastronomia. A Fundação Eugénio de Almeida foi considerada a melhor empresa do ano 2009 e CARMIM - Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz a melhor cooperativa.

Júlio Bastos da Dona Maria Vinhos, situada perto de Estremoz, recebeu o galardão de Rrodutor do Ano enquanto Silveira & Outro, do Solar dos Lobos, recebeu o de Produtor Revelação do Ano.

Na categoria dos “Vinhos de Excelência”, que segundo o júri tem que dar mostras de ser realmente extraordinário, foram distinguidos seis vinhos da região, entre os milhares de vinhos provados ao longo do ano. Dona Maria Regional Alentejano Reserva tinto 2006 (Júlio Bastos); Dúvida Regional Alentejano tinto 2005 (António Saramago); Grande Rocim Regional Alentejano Reserva tinto 2007 (Herdade do Rocim); Herdade dos Grous Regional Alentejano Reserva tinto 2007 (Monte Trevo); Obsessão Reg. Alentejano tinto 2004 (Altas Quintas) e Scala Coelli Reg. Alentejano tinto 2007 (FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA) foram os premiados nesta categoria.

Por sua vez, a revista Wine distinguiu Pedro Baptista, enólogo da Fundação Eugénio de Almeida, como “Enólogo do Ano 2009”. A entrega destes prémios vai decorrer durante a próxima edição da Essência do Vinho - Porto 2010, que decorre no Palácio da Bolsa entre os dias 4 e 7 de Março.

Atendimento nas empresas prestadoras de serviços básicos

Esta tarde faltou a energia eléctrica cá em casa das 14 horas até às 17h30. Pouco antes de regressar a electricidade, já farto de esperar, tentei ligar para as avarias, para o número indicado pela EDP. Depois de várias tentativas em que ou não consegui ligar ou a gravação dizia que o número não estava disponível, lá surgiu outra gravação encaminhando para outro número. Neste, depois de uma gravação dizer que ia ligar a um operador, de repetir várias vezes  que "lamentamos ainda não ter podido atender a sua chamada" e de sugerir que se não quisesse esperar que ligasse cardinal para ser atendido nas próximas 48 (!!!) horas, lá surgiu uma operadora a informar que só existia aquele número para as avarias e que por causa do mau tempo era muito difícil conseguir a ligação devido ao elevado número de chamadas.

A questão que importa colocar é a seguinte: Se a EDP sabia que ia haver mau tempo e que, em consequência disso, ia aumentar exponencialmente o número de chamadas por causa das avarias porque é que não encontrou uma solução para as atender?

Esta questão do mau atendimento nas empresas prestadoras de serviços essenciais deveria merecer mais atenção das entidades, oficiais ou associativas, de defesa dos consumidores, de forma a melhorar a sua qualidade.

Pousada de Estremoz reabriu, mas as de Elvas e Sousel continuam encerradas para obras

A Pousada de Estremoz já reabriu após beneficiar de obras de manutenção e remodelação, enquanto as suas congéneres de Elvas e Sousel continuam encerradas temporariamente também para melhoramentos, depois de terem encerrado a 2 de Novembro para obras, aproveitando “a época baixa”.

A diretora da área de Comunicação do Grupo Pestana, Patrícia Reimão, adiantou que a Pousada de Elvas vai retomar o funcionamento a 1 de Abril, após obras de manutenção e remodelação, enquanto a Pousada de Sousel ainda não tem definida a data da reabertura.

Herdade da Comporta capital do Hipismo

Várias provas de salto de obstáculo e competições equestres, oito das quais a contar para o ranking mundial de hipismo, compõem, este ano, a 4ª edição do Atlantic Tour, a decorrer na Herdade da Comporta, onde se concentra a elite do hipismo mundial até 28 de Março, para assistir às provas de 350 cavaleiros e 750 cavalos, onde estarão representados 26 países de todo o mundo.

Para Carlos Beirão da Veiga, administrador da Herdade da Comporta, a realização do evento é uma mais valia para a economia local, colocando o Litoral Alentejano no mapa nacional, uma vez que é estimado que a região acolha durante os 40 dias do evento cerca de cinco mil pessoas, que gastarão cerca de 8 milhões de euros em despesas

“Espero ter o Museu na minha terra”, em Vila Nova da Baronia

Feliciano Joaquim Carvalho, natural de Vila Nova da Baronia, concelho de Alvito, completou este mês 70 anos, reside no Barreiro há 41 anos, na freguesia do Lavradio.

Os seus trabalhos de miniaturas são uma viagem pelas suas memórias de infância. Trabalhos marcados pela perfeição técnica e por uma grande beleza e criatividade.

Começou a sua vida profissional como Pedreiro, trabalhando como o seu pai, até à idade de ir para a vida militar, onde concluiu um Curso de Desenhador. Após concluir o período de vida militar foi para a Base Aérea de Beja, onde desempenhou funções de Fiscal na Força Aérea Portuguesa. Em 1968 iniciou a sua actividade como Desenhador em Lisboa, no Estado-Maior da Força Aérea, função que exerceu até ao ano de 1994, quando se reformou. 

Após a reforma, dedicou-se a criar miniaturas, de grande uma qualidade artística, através das quais recria as suas memórias de infância. A sua obra é um legado que permite reviver a autenticidade da nossa cultura.

Os seus trabalhos em miniatura, que poderão ser observados entre 6 e 10 de Março, na SFAL – Sociedade Filarmónica Agrícola Lavradiense, no Lavradio, concelho do Barreiro, estiveram em exposição no Mercado do Lavradio, foram um encanto para os alunos do Ensino Básico que visitaram o espaço da Loja Um - o Monte Alentejano, o Forno do Pão, o Forno do Tijolo, a Serração, a Matança do Porco, o Lagar da Azeite, a Eira, a Nora -, muitas memórias de uma vida, tudo recriado com perícia e detalhe, que se confunde com a vida real.

Esperemos que o desejo do artesão/artista se concretize em breve. Aqui fica o desafio às autarquias locais.

Trabalhadores da Somincor saem à rua

O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira realizou plenários nos três turnos de ontem e vai manter a luta. Desde o passado dia 16 que os trabalhadores das Minas de Neves-Corvo estão em greve, por tempo indeterminado de 2 horas por dia, no início de cada turno, exigindo o aumento de 100 euros no valor do subsídio de fundo e o pagamento da compensação do dia de Sta. Bárbara, nomeadamente os 50% em falta do ano de 2009 e a garantia da totalidade da compensação nos anos seguintes.

Jacinto Anacleto, coordenador da direcção do Sindicato afirmou que “os trabalhadores querem continuar a greve uma vez que a administração da Somincor se mantêm intransigente”, salientando que “Os trabalhadores das Minas em Castro Verde vão dar expressão de rua à sua luta se o conflito não estiver resolvido”.

Pág. 1/12

Comentários recentes

  • Anónimo

    Gosto.Categoria de mensagem. Teria a mesma mensag...

  • Anónimo

    Que outros agentes desportivos ... e já agora polí...

  • Munhoz Frade

    Exemplar.

  • Anónimo

    O problema, é que por mais considerações ideológic...

  • Anónimo

    “DesilusãoTenho estado, como é meu hábito, atento ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds