Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Silêncio”, que se vai homenagear o Bispo Emérito de Beja!

A Igreja de Santa Maria, em Beja, recebe amanhã, às 21h30, a ante-estreia de “Silêncio”, um projecto musical levado a cabo pelo Departamento do Património Histórico e Artístico (DPHA) da Diocese de Beja para assinalar um quarto de século de actividade, concebido por Sara Fonseca e Filipe Faria como homenagem a D. Manuel Franco Falcão, o Bispo fundador deste Departamento, que esteve à frente da diocese bejense entre 1980 e 1999.

A estreia do projecto, da autoria do grupo «Sete Lágrimas», terá lugar, no domingo, no Centro Cultural de Belém.

 

Não foi por achar que as coisas não estavam bem que se candidatou?

Jorge Pulido Valente (PS), o novo presidente da Câmara de Beja, disse que a situação financeira da Câmara é preocupante, pior do que pensava, e que, em consequência disso, alguns projectos previstos poderão ter que ser adiados e que contratos de trabalho poderão não ser renovados.

O vereador Miguel Ramalho (CDU), lembrou que este ano, devido à crise, houve quebra de receitas, justificando assim o aumento da dívida, que, apesar disso a capacidade de endividamento está nos 80% - quantas não quereriam estar assim? - e afirmou que Pulido Valente está a preparar o terreno para não cumprir as promessas que fez.

Toda a informação aqui, aqui e aqui.

Há contradições na nossa organização que importa resolver

Não é possível ter comissões concelhias sem ficarem na dependência da intervenção de dirigentes da DORBE se não assegurarmos a participação dos responsáveis daquelas nesta, o que só pode acontecer por inerência, o que defendemos. Não nos parece correcto falar tanto na excelência do trabalho autárquico da CDU e não integrar os seus principais responsáveis, escolhidos pelo Partido e eleitos pelas populações, na Direcção, o que deveria acontecer por inerência.

Não colhe o argumento das dificuldades financeiras quando pouco se faz para aumentar o número de militantes que pagam regularmente as quotas e o valor destas. E isto acontece porque, como sabemos, se faz pouco trabalho político e não se contacta a maioria dos inscritos.

Não haverá reforço do Partido se não se confiar mais nos militantes, se não se reforçar a democracia interna e a descentralização da organização, se não se responsabilizar mais os organismos, sectores e células, através de maior autonomia de funcionamento, se não houver maior responsabilidade individual dos dirigentes, o que deverá ser concretizado através de uma regular prestação de contas e controlo de execução.

Não basta traçar orientações correctas. É também necessário apontar medidas adequadas à sua concretização, escolher as melhores formas de alcançá-las e os quadros que reúnam melhores condições e ofereçam mais confiança à mobilização da organização e ao acompanhamento dos militantes.

 

Parte da minha intervenção (corrigida) na 4ª Assembleia da Organização de Beja do PCP, em 20.02.2000.

1º Encontro da Ovelha Campaniça

realiza-se, hoje e amanhã, em Corte de Gafo de Cima (Mértola), com organização da Associação de Defesa do Património de Mértola em parceria com a ACOS – Associação de Criadores de Ovinos do Sul, o Ministério da Agricultura e o Instituto Nacional de Recursos Biológicos, e a colaboração de diversas entidades, visando alertar as entidades responsáveis para os problemas de uma espécie em vias de extinção.

Comentários recentes

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds