Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Curso de cozinha alentejana na Quinta dos Prazeres

No dia 10, a partir das 10 horas, na sua Quinta dos Prazeres em Alvito, a Arquitecta Maria Antónia Goes, dá mais um curso de cozinha alentejana, ensinando como fazer: sopa de corvina, porco preto assado com abóbora e sericaia.

A receita bruta deste curso (25 €/pessoa, almoço incluído) servirá para comprar cadeiras de rodas para os doentes que saem do Hospital de Beja e não têm meios para as adquirir.

A CDU em primeiro lugar em Alvito

A CDU, em Alvito, foi a primeira força concorrente às próximas eleições autárquicas a apresentar o seu cabeça de lista à Câmara Municipal e as listas completas a todos os órgãos autárquicos do concelho e a distribuir o seu programa eleitoral (ontem, primeiro dia de campanha eleitoral). É também a primeira nos boletins de voto.

 

Na apresentação do seu Programa Eleitoral afirma que. “Elegemos como elementos cruciais, a aposta na educação e na criação de conhecimento, a promoção do empreendedorismo, a atracção de investimento para a criação de emprego e o aumento e alargamento do apoio social aos mais desfavorecidos para reduzir as situações de pobreza”.

Veja as propostas em http://www.cdualvito.pt.vu/.

Afinal Cavaco tem dúvidas, especula e endurece guerra aberta com o PS

Cavaco Silva afirmou que desconhece o e-mail e tem dúvidas sobre a veracidade do mesmo mas que, admitindo a possibilidade de o conteúdo ser verdadeiro - «e onde está o crime?» de um assessor ter expressado opiniões pessoais? -, remodelou a sua casa civil, porque ninguém estava autorizado a pronunciar-se em seu nome.

Afirmou também que dirigentes do PS tentaram envolver o Presidente da República na campanha eleitoral e acusou "destacadas personalidades do partido do Governo" de manipulação e de o tentarem colar ao PSD, com o objectivo de desviar as atenções dos problemas do país.

Disse ainda que o caso do e-mail lhe levantou dúvidas sobre a segurança na sua conta de e-mail, pediu a opinião a vários peritos e chegou à conclusão que o sistema tem «vulnerabilidades».

 

Cavaco Silva, em vez de esclarecer, alimentou as dúvidas que existiam, aumentou a confusão e endureceu a guerra aberta com o partido do governo, mostrando que afinal não foi capaz ou não quis ficar à margem das eleições, interferindo, de facto, quer nas legislativas quer nas autárquicas, com os seus silêncios (tabus) e as suas declarações. Tudo faz crer que, com a gestão deste processo, pretendendo dar uma mãozinha à sua amiga Manuela acabou, na prática, por favorecer o PS.

Aceitam-se previsões de resultados eleitorais autárquicos

Realizadas as eleições para o Parlamento Europeu e para a Assembleia da República e conhecidos os seus resultados e iniciada a campanha autárquica para as autarquias locais, seria interessante conhecer as previsões dos leitores do Alvitrando para os órgãos autárquicos do seu município.

Se o desafio que aqui lanço despertar algum interesse voltarei a lançá-lo nos últimos dias de campanha, de forma a avaliar que influência tem esta no sentido de voto e nos resultados eleitorais.

Alentejana conquistou 2 recordes da Europa e 3 medalhas de Ouro

Isabel Figueira,

uma atleta de Castelo de Vide,

ex-Associação Desportiva de Castelo de Vide,

agora do Clube de Natação de Faro,

conquistou três medalhas de Ouro,

do escalão 30-34 anos,

nos 50 metros bruços, com novo Recorde da Europa,

nos 100 metros bruços, igualmente com novo Recorde da Europa,

e nos 200 metros bruços,

nos XII Campeonatos Europeus de Natação Master,

realizados em Cádiz.

Alvitrando ao serviço da campanha eleitoral autárquica

A campanha eleitoral autárquica começa logo à meia-noite. Embora não tendo quaisquer pretensões – porque mesmo que quisesse não teria possibilidades disso -, de fazer uma cobertura completa das actividades das diversas candidaturas concorrentes, disponibilizo este espaço para divulgar as informações e tomadas de posição que me façam chegar (jlopesguerreiro@sapo.pt) e se enquadrem no espírito e na prática do Alvitrando.

E agora, como vai ser?

As eleições em Portugal têm sempre a mesma conclusão para todos os partidos – todos ganham qualquer coisinha.

Desta vez, foi assim:

- O PS perdeu a maioria absoluta, mais de meio milhão de votos e mais de 20 deputados, distribuídos por todos os outros, mas ganhou as eleições com maioria relativa “clara”;

- O PSD perdeu as eleições mas ganhou, pelo menos, mais 7 mil (!!!) votos e, pelo menos, 3 deputados;

- O CDS não ganhou as eleições mas ultrapassou a barreira dos dois dígitos, obteve mais 177 mil votos e 9 mais deputados, voltando a ser a 3ª força política;

- O BE não ultrapassou (por pouco) a barreira dos dois dígitos, nem conseguiu fazer maioria com o PS, nem manteve o 3º lugar mas obteve mais 193 mil votos (foi quem mais subiu) e mais 8 deputados;

- A CDU passou a 5ª força política, perdendo a vice-presidência da AR, mas aumentou em 14 mil votos e 1 deputado.

 

E agora, depois do povo expressar a sua vontade e dos partidos se auto-congratularem com os resultados obtidos, como vai ser?

Espero que seja assim:

- O PS deverá tirar as devidas ilações dos resultados eleitorais, numa perspectiva de esquerda, tendo bem presente a forte penalização eleitoral que sofreu quer nestas quer nas eleições para o Parlamento Europeu e que perdeu a maioria absoluta; 

- O PS deverá concretizar uma viragem à esquerda, que anunciou na campanha eleitoral, privilegiando acordos conjunturais à esquerda e não caindo na tentação de fazer uma coligação com o CDS com o argumento da necessidade de estabilidade governativa, porque o que garante estabilidade é a prática política e não a aritmética dos deputados;

- Os partidos da esquerda alternativa – BE e CDU -, deverão prosseguir com firmeza a sua oposição às políticas e medidas neo-liberais do governo e apoiar, com responsabilidade, todas as suas políticas e medidas que contribuam para o progresso de Portugal e a melhoria das condições de vida do povo, através de uma maior justiça social, designadamente no combate à pobreza e às desigualdades sociais;

- A revisão eleitoral deverá ser feita com base em alargados consensos e não apenas em acordos de interesses entre o PS e o PSD (bloco central de interesses);

- À esquerda, deverá começar-se a trabalhar, desde já, para escolher, com o maior consenso possível, um candidato às próximas presidenciais que, uma vez eleito, assuma posições progressistas e claras sem alimentar tabus.

Pág. 1/14

Comentários recentes

  • Anónimo

    Fartura de partidos! Tudo quanto é demais não pres...

  • Anónimo

    Tem razão! No entanto é necessário não perder voz,...

  • Anónimo

    Foram buscar o antigo imperador JR .....dizem que ...

  • Anónimo

    O Imperador está suficientemente saudável para c...

  • Anónimo

    As odalascas vêm com o calor...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds