Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

CDU apresentou os candidatos pelo círculo de Beja às legislativas

A CDU apresentou os candidatos pelo distrito de Beja à Assembleia da República, no sábado, em Beja, com a presença de centenas e do secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa:

- JOSÉ SOEIRO, 61 anos, trabalhador agrícola, é membro da DOR de Beja do PCP, é deputado à Assembleia da República desde 1983.
– MARIA DA FÉ CARVALHO, 39 anos, professora do 1.º Ciclo do Ensino Básico, é membro da Concelhia de Beja do PCP e dirigente sindical. 

– JOÃO RAMOS, 36 anos, enfermeiro, é membro da Concelhia de Moura e da DOR de Beja do PCP, integra o gabinete de apoio à presidência da Câmara de Moura e é eleito na Assembleia de Freguesia de Santo Amador (Moura).
– JOÃO PALMA QUARESMA, 32 anos, professor do 1.º Ciclo do Ensino Básico, é membro do PCP.

– PAULA VILALLONGA, 53 anos, médica, independente (indicada pelo Partido Ecologista «Os Verdes») e presidente da Assembleia Municipal de Serpa
– SÉRGIO DIAS, 31 anos, operário mineiro na Somincor, é membro do PCP  e dirigente sindical.
– O mandatário distrital é MANUEL LOPES, advogado, 60 anos, independente.

 

José Soeiro, actual deputado e de novo o cabeça de lista da CDU, saudou a luta dos habitantes e dos mineiros de Aljustrel «contra as manobras, mentiras, os negócios obscuros e as cumplicidades do actual Governo do PS» com as empresas que têm detido a Pirites Alentejanas, concessionária do complexo mineiro daquele concelho, afirmando que foi essa luta que «desgastou, desmascarou e levou à demissão do ministro Manuel Pinho», o qual «levou os indicadores à testa e investiu contra a bancada do PCP», mas «acabou derrotado e demitido, como não podia deixar de ser».

Jerónimo de Sousa acusou o governo de apenas exigir sacrifícios «àqueles que menos têm», enquanto os «senhores» alcançam «lucros escandalosos» e «muitos deles deviam estar presos». «Afinal a crise não é para todos, é para quem trabalha, vive da sua reforma, pensão ou pequeno rendimento. Para os “senhores” é à vara larga, mas muitos deles deviam era estar presos, tendo em conta aquilo que fizeram na banca e em termos de corrupção». «Não admira que haja ministros irritados quando o PCP e a CDU denunciam a sua política e a sua propaganda. Podem perder a cabeça, mas o importante é que reponham aqui, no Alentejo, o que é devido aos trabalhadores alentejanos, particularmente aos trabalhadores mineiros de Aljustrel», ou seja, os empregos, salientou.

Comentários recentes

  • Anónimo

    E o PS não se sente incomodado com a saúde no Dist...

  • Anónimo

    CIDADE DE PANHONHAS...

  • Anónimo

    Agora é passado, mais uma vez. A ULSBA não terá es...

  • Anónimo

    Fazendo uma análise mais profunda verificamos que ...

  • Munhoz Frade

    Sobre o anúncio da criação de Centros de Responsab...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds