Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

«Guadiana Central»

é a denominação de um Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) constituído por catorze municípios portugueses e espanhóis da zona fronteiriça: Alandroal, Barrancos, Borba, Mourão, Portel, Reguengos de Monsaraz e Vila Viçosa, do lado do Alentejo, e Barcarrota, Higuera de Vargas, Oliva de la Frontera, Olivença, Taliga, Valverde de Leganes e Villanueva del Fresno, da parte espanhola, destinado a concretizar projectos co-financiados pela União Europeia. Facilitar e promover a cooperação transfronteiriça, cooperação transeuropeia e a cooperação inter-regional entre os seus membros, exclusivamente, no intuito de reforçar a coesão económica e social no território da União Europeia, é o principal objectivo do Agrupamento.

Vítor Tomás candidato da CDU à Câmara de Redondo

O conhecido advogado de Évora e militante do PCP esclareceu que se trata de «uma candidatura para transmitir a mensagem política da CDU, que foi a única força política responsável pelo desenvolvimento do concelho de Redondo»: «Apostamos em três ideias: trabalho, honestidade e competência, que são as imagens de marca da CDU e dos seus eleitos».

AMBAAL anima tardes da Ovibeja

30 de Abril - Dia da Água e do Vinho - Grupos musicais do Município de Vidigueira - Grupos musicais do Município de Alvito - Grupos musicais do Município de Cuba - Grupos musicais do Município de Ferreira do Alentejo 

1 de Maio – Dia de Beja, do Campo Branco e do Alentejo Serrano - Grupos musicais do Município de Ourique - Grupos musicais do Município de Castro Verde - Grupos musicais do Município de Aljustrel - Grupos musicais do Município de Almodôvar  

2 de Maio – Dia da Margem Esquerda do Guadiana - Grupos Musicais do Município de Serpa - Grupos Musicais do Município de Mértola - Grupos Musicais do Município de Moura - Grupos Musicais do Município de Barrancos    

3 de Maio – Dia do Alentejo Litoral  - Grupos musicais do Município de Santiago do Cacém - Grupos musicais do Município de Sines - Grupos musicais do Município de Alcácer do Sal - Grupos musicais do Município de Grândola.

“Abril de novo significa fazer profundas rupturas”

“Abril de novo significa adoptar políticas económicas que coloquem a riqueza do País ao serviço do bem-estar colectivo, que valorizem os nossos sectores produtivos, que sejam capazes de pôr fim ao desemprego em que se encontra mais de meio milhão de portugueses e que rompam com a dependência face ao estrangeiro.
Abril de novo significa definir políticas laborais que valorizem o Trabalho e respeitem os direitos dos trabalhadores, pondo fim aos baixos salários e pensões, à precariedade laboral que atinge mais de um milhão de trabalhadores e apontando aos jovens um caminho que não seja o das modernas praças de jorna do trabalho temporário.
Abril de novo significa encontrar políticas sociais que ponham fim à pobreza que atinge mais de dois milhões de portugueses e acabem com a crescente exclusão social.

Abril de novo significa colocar o Estado ao serviço do povo, garantindo o acesso universal e gratuito à saúde, à educação e à justiça e reconduzindo a Escola Pública ao seu objectivo central de formação da cultura integral dos indivíduos.
Por tudo isto, Abril de novo significa fazer profundas rupturas.
Significa romper com políticas que submetem o País aos ditames das potências europeias e mundiais, acentuando a exploração e agravando as desigualdades sociais. Significa romper com a subordinação do poder político ao poder económico que transforma o Estado em instrumento de obtenção de lucro dos grupos económicos e dos senhores do dinheiro.
Significa romper com políticas que passam ao lado do combate à corrupção e à criminalidade económico-financeira mas utilizam o aparelho repressivo do Estado para coagir sindicatos e trabalhadores em greve ou para limitar liberdades fundamentais como as de manifestação e de propaganda política.
Estas transformações que fazem do projecto de Abril um projecto de progresso para o futuro, impõem-no simultaneamente como uma exigência do presente.”

Intervenção de João Oliveira, deputado do PCP eleito por Évora, na sessão comemorativa do 25 de Abril na Assembleia da República.

Alvitrando a Liberdade

Comemora-se hoje a passagem dos 35 anos da madrugada libertadora do 25 de Abril.

Naquela data abriu-se uma janela de oportunidades que cada um (partido) tentou aproveitar como pôde e soube.

A (má) situação que hoje vivemos deve-se à política seguida pelos diversos governos constitucionais, sempre no mesmo sentido embora com algumas pequenas nuances, e não devido aquela data libertadora.

Se há bem que resultou do 25 de Abril que ainda perdura, apesar dos diversos atentados de que tem sido vítima, é a LIBERDADE.

Aqui, no Alvitrando, tenho procurado que a LIBERDADE represente um exercício permanente. Julgo que posso afirmar que, hoje, o Alvitrando é reconhecido por todos os que o visitam como um ESPAÇO DE LIBERDADE.

Pena é que alguns, a maioria, não se sintam em condições para exercer a a liberdade de expressão em toda a sua plenitute. Daí o uso tão frequente do anonimato. Infelizmente vai existindo um clima que em nada facilita o exercício dessa prática.

O combate pela LIBERDADE exige coragem, espírito de sacrifício e tem de ser permanente. Renunciar ao exercício desse direito constitucional só facilita os que pretendem limitá-lo.

Foi o medo que permitiu a longevidade da ditadura fascista derrubada no 25 de Abril.

Trinta e cinco anos após o 25 de Abril é tempo de todos assumirmos as nossas responsabilidades e exercermos os nossos direitos.

Espero que, no futuro, alguns dos que aqui comentam sob o anonimato o passem a fazer usando o nome próprio. Se tal vier a acontecer o Alvitrando estará a contribuir para a efectiva cidadania.

"Gente de Cá" lançado hoje em Ferreira do Alentejo

Integrado no programa comemorativo do 35º aniversário do 25 de Abril, tem lugar hoje, às 21 horas, na Biblioteca Municipal de Ferreira do Alentejo, o lançamento do livro “Gente de Cá”, da autoria de Augusto Caetano, editado pela Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo, que reúne uma colecção de fotografias desde 1972 até aos dias de hoje, "com gentes e lugares do concelho".

Comentários recentes

  • Anónimo

    Exactamente! O "idiota útil", empurrado pelos "gra...

  • Anónimo

    totalmente de acordo. o Paulo Arsenio é um boy com...

  • Anónimo

    O Paulo Arsénio está ao serviço do PS, não contest...

  • Anónimo

    Para fazer dinheiro vale tudo...

  • Ana Matos Pires

    Só por curiosidade deixo aqui as idades de todos:A...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds