Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Médico de Odemira recebeu Medalha de Ouro do Ministério da Saúde

António Calapez Garcia, o clínico mais velho a exercer medicina activamente, no distrito de Beja, recebeu a medalha de ouro de Serviços Distintos do Ministério da Saúde, numa cerimónia inserido nas comemorações do Dia Mundial da Saúde e dos 30 anos do Serviço Nacional de Saúde.

Já com 86 anos e aposentado já algum tempo, ainda exerce medicina. Já fora homenageado em 10 de Junho de 2005, pela população Odemirense, pelo reconhecimento da sua vida dedicada à medicina e em defesa da sua terra.

"O Alentejo continua a ser o parente pobre deste país"

"No Alentejo o emprego diminuiu quatro por cento (cerca de 14 milhares) desde o final de 2004. Foi a única região do país em que isso aconteceu. A precariedade aumentou cinco por cento, enquanto que os contratos sem termo tiveram uma quebra de 2,4 por cento. A região tem mais de 76 mil trabalhadores precários, situação que atinge 28,5 por cento do total de assalariados", denunciou Arménio Carlos, membro da Comissão Executiva da CGTP-IN, na Tribuna de Évora sobre "O Emprego com Direitos", pelo que considerou que “Mudar de rumo é urgente, necessário e possível”.

Será que a história se repete sempre duas vezes?...

«Demiti Alberto Costa por despacho fundamentado, que se baseava no que foi adquirido por um inquérito realizado pelo Procurador-Geral Adjunto do território: contactara um juiz por duas vezes com o propósito de que este arquivasse um processo e soltasse os dois arguidos presos. Estava em causa a televisão de Macau e a ligação desta a uma empresa de que eram sócios várias criaturas gradas ligadas ao partido socialista, mais uma empresa de um senhor chamado Robert Maxwell, que morreria mais tarde em condições estranhas. Após a minha saída do território o Governador Carlos Melancia revogou o meu despacho na parte em que fundamentava a demissão, não ignorando que isso abria a porta ao que veio a suceder: o demitido veio a recorrer para o STA e obviamente ganhou a causa, recebendo choruda indemnização.

Em suma: a razão substancial da demissão de Alberto Bernardes Costa não foi anulada pelos tribunais, foi anulada, sim, a habilidade do Governador, pela qual o meu despacho de demissão foi substituído por outro apto a ser anulado por vício de forma, ou seja por falta de fundamentação.

Quem quiser ler os documentos, pois está tudo documentado, é só ir
aqui. Agradeço o favor de ser reposta toda a verdade».

José António Barreiros, (in A Revolta das Palavras), em nota de esclarecimento sobre artigo do PÚBLICO «Alberto Costa foi demitido de director da Justiça em Macau, há 21 anos, por pressões sobre juiz».

Comentários recentes

  • Anónimo

    Mais uma vez, estamos a constatar o desinvestiment...

  • Anónimo

    Pois, pois.....A falta de dignidade e coerência po...

  • Anónimo

    A democracia é a pior forma de governo, com excepç...

  • Anónimo

    Bem sei, caro LG, que a citação não é da sua autor...

  • Anónimo

    O quê? Ou a linguagem é subliminar, ou sou eu que ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds