Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Segunda central solar no concelho de Mértola já funciona em pleno,

após um investimento de quase 12 milhões de euros para produzir energia "limpa" durante 25 anos.
Propriedade do grupo português de energias renováveis Cavalum, a Central Fotovoltaica de Olva, com uma capacidade instalada de quase 2,4 megawatts (MW) e 14.870 painéis solares, situa-se num terreno de seis hectares, na Herdade das Pereiras, freguesia de São Miguel do Pinheiro.

 

Afastamentos do Comité Central

Comparando a proposta de constituição do novo Comité Central, apresentada ao XVIII Congresso do PCP, com a constituição do actual, registam-se algumas ausências, cujas justificações desconheço mas talvez entenda, com relevância: Vítor Dias, Fernanda Mateus, Carlos Rabaçal, os sindicalistas José Ernesto Cartaxo e Maria do Carmo Tavares, o deputado Honório Novo, o açoreano José Decq Mota e as alentejanas Ana Balão e Inês Zuber.

É verdade que para que haja renovação alguns têm de sair para que outros possam entrar mas também é verdade que há saídas que se compreendem melhor do que outras. Neste caso, parece confirmar-se a tendência registada nos anteriores congressos, designadamente no último.

 

Correcção: Ao contrário do que escrevi, Fernanda Mateus não foi afastada e continua a integrar o Comité Central.

Vamos ver quem tira partido da situação

 

Em resposta à solicitação de um jornalista, esclareci a minha posição acerca do XVIII Congresso do PCP, escrevendo:

 

 

Não vou ao Congresso, nem sequer fui à assembleia onde terão sido eleitos os delegados da minha organização.
Nesta fase, embora mantendo tudo o que anteriormente disse e escrevi, principalmente a propósito do congresso anterior, julgo que não existem quaisquer condições para discutir opiniões diferentes das da Direcção, pelo que acho preferível deixar andar para ver o que, sem contestação, consegue.
Se em anteriores ocasiões a Direcção usou as vozes críticas como bode expiatório dos insucessos do Partido, vamos ver o que acontece agora, com uma conjuntura totalmente favorável - sem críticas internas e com o governo PS a empurrar descontentes para a esquerda. Vamos ver se é o PCP, como tinha a obrigação, ou o BE a tirar partido da situação.

 

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ora aqui está uma área em que os nossos autarcas s...

  • Anónimo

    Está tudo dito... nada a acrescentar! Incapacidade...

  • Anónimo

    "O Ministério do Planeamento anunciou esta quinta-...

  • Anónimo

    Se os autarcas locais , independentemente da cor p...

  • Anónimo

    Conordo em absoluto com o comentário anterior.O di...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds