Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Figueira Mestre recebe hoje o Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca

É entregue hoje, às 21.00 horas, na Biblioteca Municipal de Santiago do Cacém, o 7º Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca a Joaquim Figueira Mestre, que venceu, por decisão unânime do júri, o concurso com a colectânea de contos “Breviário das Almas”, numa cerimónia em que Luísa Basto vai presentear o público com o espectáculo “Canta Manuel da Fonseca”.

 

Política eleitoralista

Com eleições à vista o eleitoralismo voltou, de forma mais clara, a estar presente no discurso político. Voltou ao discurso político porque na actividade política nunca deixou de estar presente.

O Orçamento para o próximo ano é o mais evidente exemplo disso mesmo.

Andaram, o primeiro-ministro e o ministro das Finanças, durante quatro anos e a apresentação de quatro orçamentos, a multiplicarem-se em declarações para justificarem os apertos orçamentais, para, em plena crise mundial, anunciar o “desapertar do cinto”.

O que era uma inevitabilidade, numa melhor situação financeira, deixou de o ser numa situação de crise como a que atravessamos.

Os cortes no investimento público ficaram para trás e o Orçamento de 2009 prevê um crescimento de 4,2% do Programa de Investimentos e Despesas da Administração Central, o sempre polémico PIDDAC.

As dificuldades criadas à economia, às pequenas e média empresas, aos trabalhadores, especialmente aos da função pública, e às famílias, em orçamentos anteriores, estão agora a dar lugar a políticas, medidas e incentivos visando esses mesmos sectores.

Sectores esses que, certamente por mera coincidência, constituem o grosso da classe média, ou seja, a componente do eleitorado mais determinante.

Quem, com atenção, tenha ouvido o primeiro-ministro multiplicar-se a anunciar essas novas políticas, medidas e incentivos e ouviu ontem o ministro das Finanças a justificar o Orçamento para 2009 não terá ficado com muitas dúvidas acerca das motivações que justificam aquela alterações.

Nem sequer se esforçam muito por embrulhar melhor esta alteração discursiva nem justificar com mais convicção aquelas alterações orçamentais.

A grande, talvez a única, justificação apresentada é a do o rigor e do controlo orçamentais destes anos. Convenhamos que é frouxa, que só convence quem quer ou quem anda distraído.

Disse, ontem, o ministro das Finanças, em resposta a uma pergunta de um jornalista, que este Orçamento era também de rigor mas menos apertado para fazer face às necessidades da economia, das pequenas e médias empresas, dos trabalhadores e das famílias, porque o aperto dos anteriores assim o permitia.

É preciso ser mais claro para que alguém perceba que o que, de facto, justifica este “desapertar do cinto”, apesar da crise que a economia de casino está a atravessar, tem como explicação o ciclo eleitoral que está a iniciar-se?

É impressionante ouvir o primeiro-ministro, o ministro das Finanças e outros acusarem de eleitoralismo as oposições que criticam e as suas medidas agora anunciadas, de sentido contrário às seguidas até aqui, tal como impressiona a sua recusa de toda e qualquer proposta que elas apresentem.

Então, neste conjunto de medidas anunciadas de apoios às pequenas e médias empresas não cabe o pagamento do IVA com a emissão do recibo em vez de continuar a beneficiar o infractor, quem não paga a tempo e horas?

Enfim, este governo torna agora mais evidente aquilo que desde sempre se percebeu, que é o facto de ter orientado toda a sua actividade para chegar a esta altura, aligeirar o rigor orçamental e tentar ganhar votos com medidas simpáticas para com sectores determinantes do eleitorado.

Será que esta maior evidência não chega ainda para o eleitorado julgar adequadamente este governo e, principalmente, esta política? Será que a incapacidade, reveladas até aqui pelas oposições, de criar alternativas credíveis vai permitir que esta forma de governar e esta política continuem?

Se tal acontecer, poder-se-á concluir que não é só o sistema que está em causa mas também o regime.  

O ciclo eleitoral que se desenvolve neste próximo ano terá um impacto muito grande, não só na próxima legislatura mas também a mais longo prazo.

 

Lido na Rádio Terra Mãe, em 15.10.2008.

Vito Carioca é candidato à presidência do IP de Beja

O Professor Coordenador Vito Carioca, actual director da Escola Superior de Educação de Beja, natural de Alvito, divulgou a sua candidatura à presidência do Instituto Politécnico de Beja, cujo período eleitoral abriu no dia 14, estando a apresentação pública da sua candidatura e da equipa que o acompanha agendada para a próxima Terça-Feira, no Beja Parque Hotel.  

Vito Carioca, natural de Alvito, considera que a sua candidatura "resulta de um corolário" do seu percurso profissional, "ligado desde sempre" "ao Politécnico e à região" e por considerar que "neste momento pode ajudar a instituição", que deve assumir um papel estratégico na cooperação regional, profundamente comprometido com as necessidades e as perspectivas de desenvolvimento do contexto envolvente.

Foto retirada daqui.

 

Ceia da Silva quer ser presidente da Turismo do Alentejo

O presidente da Comissão Instaladora da Área Regional de Turismo do Alentejo, nomeado pelo Governo, confirmou à Voz da Planície a sua candidatura à presidência da Direcção da Turismo do Alentejo, E.R.T., adiantando a sua candidatura reflecte todo o trabalho que tem desenvolvido "ao longo do tempo em prol do Turismo, ou seja, nos últimos 20 anos".

Desconhece-se quem, para além de Vítor Silva (ex-presidente da extinta Região de Turismo da Planície Dourada) integrará a lista de Ceia da Silva e se apresentarão outras listas às primeiras eleições desta nova Entidade Regional de Turismo do Alentejo.

 

Comentários recentes

  • Anónimo

    Fartura de partidos! Tudo quanto é demais não pres...

  • Anónimo

    Tem razão! No entanto é necessário não perder voz,...

  • Anónimo

    Foram buscar o antigo imperador JR .....dizem que ...

  • Anónimo

    O Imperador está suficientemente saudável para c...

  • Anónimo

    As odalascas vêm com o calor...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds