Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Esclareçam qualquer coisinha

Zé LG, 31.10.08

O recém-criado Centro Operacional do Sul da EP - Estradas de Portugal, SA vai ficar sedeado em Évora e não em Beja, conforme inicialmente previsto e confirmado pelo Governador Civil de Beja.

Afinal, qual é o lado verdadeiro desta história – a localização em Beja, apresentada pelo Governador Civil como uma vitória da distribuição de serviços por toda a região, ou a localização em Évora, reforçando o centralismo desta Cidade?

Ficamos à espera que o Governador Civil e o deputado e líder distrital do PS nos esclareçam o que se está a passar. Será que foi mais uma “manobra dos perigosos comunistas”?

Ministra da Saúde lança concurso para projectos do Hospital de Évora

Zé LG, 31.10.08

A ministra da Saúde, Ana Jorge, preside, hoje, em Évora, à cerimónia de lançamento do concurso público internacional para execução dos projectos de arquitectura e técnicos das várias especialidades do novo Hospital Central do Espírito Santo.

Só depois será lançado um novo concurso público para a empreitada de construção, que deverá entrar em obras, de acordo com as previsões, em 2010, para que a abertura ao público aconteça no final de 2013.

 

Feira dos Santos está de volta a Alvito,

Zé LG, 30.10.08

entre os dias 31 de Outubro e 2 de Novembro, integrando a 13ª Mostra de Produtos e Serviços Locais e Regionais e a realização de um Colóquio/Debate sobre Tradição/ Inovação - uma realidade das feiras francas “O caso da Feira dos Santos” .

O PROGRAMA CULTURAL inclui a actuação de Grupos de Cante Coral, dos fadistas Diamantina, João Chora e Edgar Baleizão, um Festival Etnográfico, o espectáculo com “Tonicha e venham mais cinco...Alentejanos” e música JAZZ, para além de exposições, no Centro Cultural de Alvito e no Posto de Turismo, e actividades desportivas.

 

A crise do capitalismo

Zé LG, 29.10.08

O capitalismo está a atravessar a sua, talvez, maior crise. Por mais que tentem disfarçar, por mais que tentem justificar com o tom, mais ou menos liberal, o que está realmente em causa é o sistema capitalista.

Ainda é cedo para se falar no seu fim. Não vamos cair na tentação fácil em que os seus defensores caíram ao decretar o fim do comunismo, perante os desaires das experiências socialistas na ex-URSS e respectivo bloco.

O capitalismo tem, ao longo da sua história, mostrado uma enorme capacidade de adaptação às novas situações.

Nesta perspectiva, podemos dizer que aquelas experiências socialistas constituíram, durante mais de meio século, o seu seguro de vida. O capitalismo foi obrigado a criar o “estado social” para responder aos avanços civilizacionais, nas áreas sociais, da educação, da cultura e outras, conseguidos por aquelas experiências socialistas.

Com elas quem mais beneficiou foram os povos dos países capitalistas, porque sem este confronto ideológico e de poder jamais o capitalismo teria sido tão condescendente, porque ele se caracteriza, em última análise, pela exploração desenfreada do homem (que mais não tem do que os seus braços e cérebro) pelo homem (detentor do poder).

O que, hoje, está, verdadeiramente, em causa é o sistema capitalista. Não se trata apenas de apurar se o mercado tudo resolve, se o capitalismo deve ser mais ou menos liberal, se precisa de mais ou menos regulação. Está demonstrado que os mecanismos de regulação que criou estão ao serviço dos que deviam ser controlados. O capitalismo não tem regras nem princípios e recorre, sempre que necessário, aos métodos que diz abominar para tentar sobreviver.

As nacionalizações e as intervenções dos Estados em grandes empresas financeiras falidas e os acordos de adversários políticos (Mcain e Obama) mais não são do que tentativas para salvar o sistema capitalista.

O capitalismo serve-se de todas as habilidades para servir os interesses dos capitalistas, usando como exército os que ambicionam sê-lo, ludibriando-os, fazendo-os crer que tal é possível.

Há quem se esforce por explicar o indemonstrável. Mário Soares, sempre que fala sobre a situação mundial, fala em crise financeira, económica, social, ambiental, mas quando aborda a situação no nosso país, faz a apologia do governo como se este estivesse a resolver todos os problemas, não só os nossos mas também os causados pela crise internacional.

Em vez de assumir a sua (e do seu partido) incapacidade (ou falta de vontade) de pôr em prática o que diz defender, insiste em mistificar a realidade, em defender a governação do seu partido por mais injusta que seja, como tem sido, e em tentar mostrar que está de um lado da barricada quando, na prática, está do outro.

O que, de facto, distingue a esquerda da direita, não é o método, o regime democrático ou autoritário, por mais importante que seja e é, mas o fim que se pretende alcançar, o sistema socialista ou capitalista.

Enquanto esteve em causa o combate ao fascismo e a defesa do regime democrático foi possível gerar amplos consensos e grandes frentes de luta. Quando a opção a fazer passou a ser capitalismo ou socialismo muitos democratas recuaram e optaram pelo capitalismo, ou seja, pela exploração do homem pelo homem, embora alguns tivessem e tenham genuínas preocupações sociais.

Mas o problema não se resolve com mais ou menos preocupações mas sim com acções. E, quando se chega aqui, alguns ficam-se pelas preocupações como forma de afagarem as suas (más) consciências…

Chegados aqui, o que importa apurar é se o capitalismo ainda é capaz de se regenerar e vencer mais esta crise, se o socialismo é capaz de mostrar que as experiências realizadas falharam não por terem seguido os princípios fundadores do marxismo mas por os terem desrespeitado, ou, se existe uma qualquer outra via, que não as terceiras, de Blair e outros.

São as ideologias, a que alguns prematuramente decretaram o fim, que voltam a estar na ordem do dia.

Alvito, 29 de Setembro de 2008

 

Publicado da Revista Mais Alentejo, nº 86

 

Mais Alentejo em Outubro

Zé LG, 29.10.08

Saiu a edição nº 86 da revista Mais Alentejo.

O tema de capa é “Descobrindo os Castelos Alentejanos”.

Outros temas com chamada na capa:

- VII GALA PRÉMIOS MAIS ALENTEJO

Conheça os nomeados.

Decida os vencedores.

VOTE!

- ROTA DAS ADEGAS DO ALENTEJO

Tudo sobre os vinhos alentejanos.

Oferta com esta edição.

- José Raul dos Santos

O senhor de Ourique está de volta.

Regresso que promete.

 

Ensinar em Segurança

Zé LG, 28.10.08

Depois do pedido de demissão do Conselho Executivo da Escola EBI de Santa Maria da Feira, em Beja, por falta de condições de segurança, internas e externas, e de uma concentração de pais e encarregados de educação em frente da Escola, o Director Regional de Educação do Alentejo reuniu com professores, pessoal não docente e pais e parece terem sido encontradas soluções, designadamente, a curto prazo, «ainda no decorrer desta semana», será reforçada a segurança e «será também implementado um controlo de entradas».

 

A RuralBeja 2008 foi “uma aposta ganha”,

Zé LG, 28.10.08

segundo Francisco Santos, presidente da Câmara Municipal de Beja, organizadora da Feira, "na medida em que a ViniPax se afirmou com potencialidades para se tornar uma grande feira de vinhos do Sul e a BejaSénior e a RuralBio foram muito participadas e visitadas".

"O certame recebeu mais visitantes, em especial na noite de sábado, ganhou forma, consolidou-se, mostrou que é uma Feira que já tem o seu lugar e que marca posição pelas diferentes vertentes que a integram". A "ViniPax mostrou que é um certame que tem tudo para se tornar uma grande feira de vinhos do Sul, na medida em que este é também um segmento de mercado que representa uma mais-valia para a região". Só "falta uma quarta vertente na RuralBeja, ou seja, a caça". "A BejaSénior e a RuralBio também ganharam novos públicos este ano, foram mais participadas e por isso obtiveram também mais visibilidade".

Francisco Santos disse ainda que “foi feito um investimento superior a 150 mil euros nesta edição” e que “é preciso potencializar o Parque de Feiras e Exposições, que é único a Sul de Lisboa”.

 

Câmara de Alvito e UE vão tratar e divulgar espólio de Raul de Carvalho

Zé LG, 28.10.08

A Câmara Municipal de Alvito vai celebrar um protocolo de colaboração com a Universidade de Évora (UE) visando estudar, valorizar e divulgar a vasta obra de Raul de Carvalho, o importante poeta de Alvito, no âmbito do qual vai ser feito o tratamento global do seu espólio, disponibilizado pela Biblioteca Municipal Luís de Camões, englobando: elaboração e divulgação do inventário, publicação de textos literários inéditos e realização de uma exposição dos materiais do espólio e da bibliografia e de um colóquio sobre a sua obra.

 

Pág. 1/7