Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

"Sobe a camisa e baixa as calças”

O Banco de Portugal prevê agora, no Boletim Económico de Verão, que, este ano:

- Portugal vai voltar a divergir pelo sétimo ano consecutivo em relação aos seus parceiros da Zona Euro;

- o investimento cresça 1,2 %, em vez dos 3,1 % antecipados em Janeiro;

- a economia cresça 1,2 %, em vez de 2,0 %;

- a taxa de inflação seja de 3 %, em vez de 2,4 %;

- as exportações deverão crescer 4,4 % em vez de 4,9 %.

 

Como se costuma dizer, quem “sobe a camisa e baixa as calças” põe-se a jeito… É esta a posição em que o governo se está a colocar.

 

XVI Feira de Artesanato e Gastronomia em Arronches

realiza-se de 17 a 20,

com um programa de animação,

que pode ser consultado aqui,

tal como a ementa das refeições.

As marcações das refeições (número limitado)

podem ser feitas, até às 13h00 do próprio dia,

para o telefone 245 580 080 

da Câmara Municipal de Arronches, que organiza a Feira.

Refeições com início às 20h00

Animação com início às 22h00

Horário da Feira: 19h00 – 02h00  

 

O FMM Sines comemora o 10.º aniversário

O Festival Músicas do Mundo de Sines assinala dez anos com o programa mais extenso da sua história. São quarenta espectáculos e iniciativas paralelas repartidos por quatro palcos montados na aldeia de Porto Covo (junto ao Porto de Pesca) e na cidade de Sines (Centro de Artes de Sines - CAS, Avenida Vasco da Gama e Castelo).

O pai do rock chinês, Cui Jian, a diva da música indiana, Asha Bhosle, e o grupo seminal do movimento hip hop, The Last Poets, são três destaques do programa, entre os dias 17 e 26.

 

FACECO em S. Teotónio

realiza-se de 17 a 20, em S. Teotónio, contando, nesta sua 18.ª edição, com os grandes espectáculos de: ANDRÉ INDIANA (dia 18), ELBA RAMALHO (dia 19) E ANJOS (dia 20).

Na primeira noite do certame, no dia 17, será dado destaque à música popular portuguesa e a world music chega à feira nos dias 18 e 19, através do Festival Sete Sóis, Sete Luas.

Ao longo do desta edição da FACECO, e como já é hábito, realizam-se ainda diversos espectáculos musicais com os vários grupos musicais e etnográficos do concelho, animação infantil, teatro, animação desportiva e equestre.

A edição deste ano da FACECO não vai ter exposições nem concursos de gado bovino, ovino e caprino, por decisão da Direcção de Serviços Veterinários da Região Alentejo, que teve por base motivos sanitários, anunciada à Câmara Municipal de Odemira, a entidade promotora do certame.

Suspensa a CI da nova Região de Turismo do Alentejo

devido à providência cautelar interposta, pelas Câmaras de Arraiolos, Mora, Montemor-o-Novo, Vendas Novas e Viana do Alentejo, no dia 7, após o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, ter excluído o presidente da Região de Turismo de Évora no processo.

Uma reunião da Comissão Instaladora da nova Região de Turismo do Alentejo já não aconteceu ontem, por via da suspensão da sua actividade, que vigora enquanto a providência cautelar, estiver a ser apreciada em tribunal.

 

Ervedal "protagoniza" projecto sobre Património Imaterial

Uma exposição fotográfica, evocando o quotidiano e momentos invulgares da vida na vila de Ervedal, concelho de Avis, no último século, cuja memória se foi perdendo ou distorcendo no testemunho oral e que agora se "pretende salvaguardar”, é inaugurada hoje, ao abrigo de um projecto de investigação europeu, desenvolvido pela Universidade de Évora e pela Fundação Arquivo Paes Teles.

 

Gérmenes da sua própria destruição

O post Lendo a Imprensa aqui do Burgo…, do VIAGRA E PROZAC, mereceu um conjunto de comentários, designadamente de um Y, de que destaco este, este e, ainda, este, que, com a devida vénia de H, transcrevo parcialmente:

“Como sabe, o capitalismo nasceu com a burguesia no ocaso da idade média e, através dos tempos foi-se adaptando às circunstâncias. Se o homem é ele e as suas circunstâncias, o capitalismo também o é. Por isso, tivemos várias fases do capitalismo até chegarmos àquela que caracteriza o nosso tempo: global, financeiro, predador, inimigo da humanidade. .... Isto para dizer que o capitalismo soube sempre adaptar-se aos tempos. E, curiosamente, o capitalismo que chegou ao século XX tinha muito das ideias do mundo do trabalho e, por que não dizê-lo, do pensamento socialista e marxista. Os capitalistas inteligentes sempre usaram o marxismo para se movimentarem no sistema. Nas últimas duas décadas o sistema foi levado a um estado supremo de irracionalidade. Principalmente a partir da queda do Muro de Berlim. Senão vejamos: muitas das benesses que o capital deu aos trabalhadores foram motivadas pelo medo do papão comunista. As mais variadas regalias sociais foram cedências dos capitalistas para controlar o que se passava a leste e os ventos que poderiam varrer o sistema a ocidente. Nunca eles deram nada de mão beijada. E veja-se como os países mais a norte, perto das fronteiras da ex-união soviética, foram aqueles onde os ganhos civilizacionais e sociais mais cedo se verificaram. Ironia da vida, o melhor do regime soviético não foi para os povos da cortina de ferro mas sim para os do ocidente. Quando o Muro caiu, o nosso futuro começou a andar para trás.”

“Sabe uma coisa, tal como nos diz o velho e sempre actual Marx, todos os sistemas trazem dentro de si os gérmenes da sua própria destruição. Tal com os do modelo soviético estavam à vista de todos e acabaram por levar à derrocada daquilo que parecia seguro para toda a vida, assim os gérmenes do capitalismo estão aí para quem quiser e souber vê-los.”

“Este modelo de desenvolvimento capitalista está esgotado. Tão esgotado como estava o modelo soviético. O muro de Berlim do capitalismo irá cair. Só que a besta nos seus últimos estertores vai fazer muita merda...”

 

Alcácer do Sal já tem 2º Galeão para passeios turísticos

O antigo galeão do sal ”Pinto Luísa”, depois de recuperado e remodelado, já está atracado no cais da Ribeira Velha de Alcácer do Sal, ao lado do “Amendoeira”, a primeira embarcação do género a ser recuperada para fazer passeios turísticos no rio Sado, através de um protocolo entre o Município e uma empresa, que partilharão a organização dos passeios.

 

Comentários recentes

  • Anónimo

    Já tu estás bem identificado...

  • Anónimo

    Tratas em anónimo, porque cara a cara deves fugir ...

  • Anónimo

    Em termos gerais!

  • Anónimo

    E do PC no início do Rocha, tudo malta do mais cre...

  • Anónimo

    A malta sabe que esta gente da geringonça nunca c...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds