Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

“Semana Académica-2008” de Beja

realiza-se de hoje a Quinta-Feira,

organizada pelas quatro associações de estudantes das escolas do Instituto Politécnico de Beja, que pretendem “Levar as festividades à comunidade exterior”.

O desfile académico pelas ruas da cidade, na Quinta-Feira, é um dos pontos altos da “Semana Académica-2008”, que tem quatro noites, no Parque de Feiras e Exposições de Beja, animadas com espectáculos dirigidos aos diversos tipos de públicos, com

Tunas,

Quim Barreiros,

Kussundolola

e Primitive Reason.

“Ecos – Energia e Construção Sustentáveis”

O secretário de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades, João Ferrão, assiste, amanhã, às 12 horas, em Moura, à assinatura do protocolo relativo à candidatura “Ecos – Energia e Construção Sustentáveis”, coordenada pela Câmara Municipal de Moura e envolvendo também as Cidades de Beja e Serpa, no Baixo Alentejo, Peniche, Óbidos e Torres Vedras, no Oeste, e Silves, no Algarve, para além de outras instituições, apresentada às Acções Preparatórias das Redes Urbanas para a Competitividade e Inovação, que foi uma das cinco aprovadas, a nível nacional, no âmbito daquele Programa.

A Rede “Ecos – Energia e Construção Sustentáveis” assenta na necessidade de dotar o país de um conjunto de centros de excelência no domínio da sustentabilidade e eficiência energéticas, seja a partir da promoção da construção sustentável, seja a partir da divulgação e disseminação de centros electroprodutores a partir de energias renováveis, entendidos como pilares de processos de desenvolvimento alargados. 

Comerciantes do Mercado Municipal de Alvito

montaram as suas bancas frente à Câmara Municipal, como protesto pelo atraso na reconstrução do edifício, cuja obra estava prevista demorar 5 meses e já leva 11, obrigando-os a manterem-se num armazém, para onde foram deslocados e o número de clientes reduz de dia para dia, temendo “que tenham que fechar os negócios”, contou Guiomar Marcelino à Rádio Voz da Planície.

João Paulo Trindade, presidente da Câmara Municipal, reconhece o atraso na execução da obra e a “razão do protesto dos comerciantes”, sustentando que nas próximas semanas “a mesma estará concluída”.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Se são carneirinhos ou não como V.a Ex.a defende, ...

  • Anónimo

    Ele não vai , LEVAM-NO !!!.

  • Anónimo

    Lá estás tu a pôr defeitos ao homem.Não o deixam e...

  • Anónimo

    Falar do que não se conhece é espalhar a própria i...

  • Anónimo

    Com tanta agro-industria de capital exclusivamente...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds