Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

A força da marca José Mourinho

Se dúvidas houvessem quanto à importância e ao valor de uma marca para promover os produtos a imagem, publicada ao lado, eliminava-as por completo.

Nos nossos dias não basta produzir bons produtos para conseguir vendê-los. É necessário uma boa promoção e esta terá tanto mais impacto quanto a força que tiver a marca.

A panhar boleias à conta de uma marca conhecida não será, seguramente, correcto nem legítimo.

Que diria (dirá?) José Mourinho desta boleia que, muito provalvelmente, não sabe que está a dar? 

A força da sua marca vai dando para todo o tipo de campanha, autorizada ou não...

“A Contribuição dos Partidos Políticos para as Práticas de Cidadania”

Integrada no programa da Feira dos Santos, realiza-se, no próximo dia 2 de Novembro, pelas 20h30, no Centro Cultural de Alvito, a 2ª reflexão/debate do Ciclo de Conferências de Alvito, promovida pela Câmara Municipal de Alvito, sobre o tema “A Contribuição dos Partidos Políticos para as Práticas de Cidadania”.

O debate terá como moderador Camilo Mortágua, Técnico de Desenvolvimento Local, e oradores: João Paulo Trindade, Presidente da Câmara Municipal de Alvito, Helena Roseta, Arquitecta e vereadora na Câmara Municipal de Lisboa, José Dias, Prof. Universitário, José Fanha, Poeta e Escritor, José Carlos Costa Marques, Editor do Porto, e Alípio de Freitas, Prof. Universitário,

OE é «instrumento ao serviço do grande capital»

O Executivo da Direcção da Organização Regional de Évora do PCP considera o Orçamento de Estado para 2008 como um «instrumento ao serviço do grande capital», porque vai «agravar as condições de vida dos trabalhadores e das camadas médias da população» e «Conforme se pode aferir, entre outras coisas, pela penalização dos impostos aos reformados, estes passam a ver as suas reformas tributadas a partir dos 6000€/ano.

 

Trata-se de um Orçamento de desinvestimento no interior do País, acentuando ainda mais as desigualdades e aprofundando as assimetrias regionais, estando previstos, no Distrito de Évora, menos 11 milhões de Euros em PIDDAC e quatro concelhos não têm uma única verba contemplada, acusa o PCP.

 Retirado daqui.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Está tudo dito... nada a acrescentar! Incapacidade...

  • Anónimo

    "O Ministério do Planeamento anunciou esta quinta-...

  • Anónimo

    Se os autarcas locais , independentemente da cor p...

  • Anónimo

    Conordo em absoluto com o comentário anterior.O di...

  • Anónimo

    O problema é que em Beja este ou outro tema verdad...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds