Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

O desafio de Sócrates

Pela terceira vez, Portugal vai presidir à União Europeia, a partir do início do próximo mês.

Desta vez, depois de Cavaco Silva e António Guterres, é a vez de José Sócrates assumir essas funções.

O quadro nacional em que tal situação decorre tem algumas especificidades, que convém analisar.

A maioria que suporta o governo é absoluta. O Presidente da República foi eleito, pela primeira vez, pela direita. O presidente da Comissão Europeia é, pela primeira vez, português. A União Europeia integra, pela primeira vez, vinte e sete países. A maioria desses países é governada pela direita. Está em causa e em discussão do tratado da União Europeia, que pretende reforçar o federalismo e reduzir as independências dos países, e a forma como tal será conseguido – se através de referendo, como todos os partidos, nas últimas eleições legislativas, se comprometeram, ou através da Assembleia da República, como parece pretenderem o governo e o Presidente da República.

António Guterres, na última presidência portuguesa da União Europeia, perdeu o controle do governo e da situação do país. O que aconteceu a seguir ainda será do conhecimento de todos, certamente.

Não tinha maioria absoluta e a repartição do poder que fez, no governo, por alguns super ministros revelou-se desastroso. Quando “regressou” ao país percebeu que este estava a cair no pântano e que tinha perdido o estado de graça em que vivia quando assumiu aquela presidência, pelo que bastou um desaire eleitoral nas eleições autárquicas para se demitir e criar uma crise política que levou a direita ao poder, com as consequências conhecidas.

José Sócrates tem vivido em estado de graça. Não só porque tem maioria absoluta mas também por falta de alternativas e porque tem mostrado uma grande habilidade na gestão das expectativas.

Entretanto, nos últimos tempos registaram-se alguns factos notáveis, que poderão mostrar que não só as coisas estão a mudar como a história se poderá repetir, ao contrário do que se costuma dizer.

Os trabalhadores, para além de diversas acções de protesto, participaram, em grande número, numa greve-geral contra a política e as políticas que o governo insiste em prosseguir.

Em dois ou três momentos diferentes, nas últimas semanas, o primeiro-ministro foi recebido com vaias. Se em Setúbal ainda podia dizer que o protesto com que foi recebido foi organizado pelos comunistas o mesmo já será mais difícil quanto aos assobios de Abrantes…

Os estudantes voltaram à rua e às estradas, para protestarem quanto ao rumo que o governo pretende empurrar o ensino superior.

Depois de algumas substituições mais ou menos técnicas de alguns ministros, eis que o número dois de José Sócrates, no governo e com enorme peso no PS, abandona o governo para se candidatar às eleições intercalares para a Câmara Municipal de Lisboa.

Só por ingenuidade é que se pode acreditar que tal saída se deve apenas aquela candidatura, quando tal se verifica em vésperas de Portugal assumir a presidência da União Europeia…

Face a tudo isto, não seria de admirar que daqui a seis meses, quando José Sócrates concluir as funções de presidente da União Europeia e regressar, a tempo inteiro, à governação de Portugal, não reconhecesse o seu governo e o estado da nação.

Seguramente que ninguém está à espera que o consenso estabelecido pelo governo com a direita quanto à sua presidência da União Europeia se vá manter na prática ao longo do mandato e muito menos que as oposições suspendam as suas actividades, designadamente a continuação e, eventual, reforço das acções de protesto às políticas do seu governo.

Será que o estado de graça de José Sócrates se vai manter para além da presidência europeia? Será que a coesão do governo e do apoio do PS ás suas políticas se vai manter então? Será que a sua máquina de propaganda que alimenta as expectativas dos portugueses se vai ainda manter?

A prepotência com que José Sócrates, o governo e o PS falam e a forma como actuam irão continuar a ser aceites pelos portugueses ou estes já se começaram a fartar, como os factos notáveis que nos últimos tempos surgiram parecem indiciar?

Será que Cavaco Silva irá continuar a sua convergência estratégica com o governo?

Será que, daqui a seis meses, a União Europeia a que José Sócrates vai presidir, com Durão Barroso na presidência da Comissão Europeia, tem reforçada a sua coesão económica e social e clarificadas as suas organizações política e de defesa, com respeito não só pelos estados mas principalmente pelos povos que a integram?

Os próximos seis meses vão, estamos convencidos, responder a todas estas questões.

Esperamos ter, nessa altura, um Portugal e uma União Europeia melhores, mais competitivos e solidários, mais coesos e justos, mais respeitadores do ambiente e dos direitos dos cidadãos.

 

Texto lido no rádio Terra Mãe, em 28.06.07

 

 

 

Festas da Vila 2007 em Castro Verde

As Comemorações do Feriado Municipal

acontecem em honra do padroeiro S. Pedro

e levam até ao Largo da Feira de Castro Verde

os "D'ZRT", "Xutos e Pontapés" e "Emanuel",

de hoje até Domingo.

 

Do artesanato local à gastronomia regional,

são muitas as propostas para estes três dias.

Há insufláveis, bares e restaurantes.

Tudo para que a festa e o convívio se prolonguem pela noite fora.
 
Informe-se do
Programa e entre na festa!

Sines vai ter novo investimento industrial

O governo atribuiu o estatuto de Projecto de Interesse Nacional (PIN) a projecto de investimento da La Seda/Artenius Sines, que "visa a construção, em Sines, de raiz de uma unidade industrial de escala mundial para a produção de PTA, ácido tereftálico purificado, com capacidade para 700.000 toneladas por ano", devido ao "elevado impacto macroeconómico" do investimento.


O investimento, que ronda os 400 milhões de euros e prevê a criação de 150 postos de trabalho, "permitirá a produção de um bem internacionalmente transaccionáveis, cuja produção se destina essencialmente ao mercado externo, levando à consolidação do ‘cluster’ petroquímico da região de Sines, com efeitos em termos de visibilidade internacional das condições competitivas desta localização para projectos desta natureza e dimensão", segundo um comunicado do governo.

“Cursos de Cozinha Alentejana” apresentado em Alvito

O livro Cursos de Cozinha Alentejana, de Maria Antónia Goes, é apresentado amanhã, pelas 16 horas, no Centro Cultural de Alvito.

No final da sessão de apresentação do livro será servido um porto de honra e haverá uma prova/venda de vinhos e azeites que, tal como o produto total da venda do livro, se destinam a angariar fundos para apoiar crianças e jovens em risco social, em colaboração com a Fundação Alentejo Terra- Mãe.

Esta iniciativa conta com os apoios da Câmara Municipal de Alvito, da Fundação Alentejo Terra-Mãe e da Coentros.com Editores.

Castro Verde inaugura monumento dos 30 Anos de Poder Local Democrático

O monumento evocativo dos 30 anos de Poder Local Democrático, obra do escultor Santos Carvalho, vencedor do concurso de ideias, é inaugurado, no dia 29, pelas 19 horas, na Rotunda José Gomes Ferreira, no âmbito das comemorações da efeméride que o Município organizou.
 
No seguimento da cerimónia, é também inaugurada a exposição de obras de escultura e pintura do artista, pelas 19h30, no Fórum Municipal.

 

Ambulâncias demoram a chegar ao Alentejo

O ministro da Saúde não vai cumprir a promessa, feita no início deste ano, dos concelhos de Elvas, Estremoz, Moura e Odemira receberem Unidades Rápidas de Suporte Intermédio de Vida (URDIV) durante o primeiro semestre de 2007.

O prazo está a esgotar-se e, para além das viaturas ainda não estarem disponíveis, os contratos com os técnicos de ambulância de emergência só serão assinados "a partir de 15 de Setembro”, após a prestação de várias provas, acompanhadas pelo curso do INEM.

Contas da Junta de Freguesia de Mombeja levantam dúvidas

A actual Junta de Freguesia de Mombeja remeteu ao Tribunal de Contas os documentos relativos às obras do inacabado Salão de Festas de Mombeja, face à existência de eventuais irregularidades.

Segundo Voz da Planície apurou, apenas existem na contabilidade da Junta de Freguesia documentos de despesa relativos aquela obra no valor de cerca de 5 mil euros, longe dos 30 mil euros de comparticipação pagos pela Câmara Municipal de Beja.

O actual presidente da Junta de Mombeja, Inocêncio Viriato, não quiz comentar o assunto “porque o mesmo está entregue às autoridades competentes para analisar esta matéria”, reservando qualquer opinião “para depois da conclusão do processo”.

Anselmo Prudêncio, antigo presidente da Junta de Freguesia de Mombeja, garante que “não existem facturas que não estão contabilizadas” e que, quando saiu da Junta de Freguesia, "ficaram em caixa 17 mil euros. Não sei o que o actual Executivo fez com esse dinheiro". Vai aguardar o desenrolar do processo pelo Tribunal de Contas, "para depois se voltar a pronunciar".

Ler a notícia completa aqui.

Começam obras no concelho de Alvito

De acordo com a  informação da Câmara Municipal de Alvito, durante os meses de Junho e Julho são iniciadas as seguintes obras:

- Mercado Municipal de Alvito;

- Parque de Feiras de Alvito;
- Remodelação do Centro de Saúde Vila Nova da Baronia;
- Reabilitação Biblioteca de Vila Nova da Baronia;
- Pavimentos/asfaltamentos: Estaleiro Municipal, passeios/estacionamentos da Horta Cavalinha (junto campo Ténis e Bate-Bolas), Beco junto à Travessa Padre Pires Cabral e Beco junto à Travessa Padre A. Vieira, em Vila Nova da Baronia.

 

Uma dúvida: O projecto de execução previa a demolição total do antigo Mercado Municipal?

Pág. 1/8

Comentários recentes

  • Anónimo

    Ora aqui está um tema que deveria ser motivo de re...

  • Anónimo

    Pelos vistos vai ser o primeiro a profanar o sítio...

  • Anónimo

    Tens toda a razão. Já cá faltava a patetice da com...

  • Anónimo

    Vote no PAN.

  • Anónimo

    Já cá faltava a patetice da habitual comparação co...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds