Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Voto SIM

...porque:

Ø       O aborto é um drama e vai continuar a ser, seja feito clandestina ou legalmente.

Ø       O que está em causa é um problema de saúde pública, de política criminal e, também, um problema social e moral.

Ø       Se recorre ao aborto segundo a condição económico-social, com as mulheres que têm dinheiro a ir ao estrangeiro ou a recorrerem a clínicas de luxo e as mulheres que não o têm a sujeitar-se à rede clandestina, ao vão de escada, à humilhação, à doença.

Ø       Ao defender-se a liberdade de decisão da mulher, nos prazos legalmente definidos, admite-se uma opção, mas não se impõe uma opinião. Negar essa liberdade é transformar a opinião contrária em doutrina ou imposição do Estado. Os opositores à despenalização do aborto pretendem impor uma moral e obrigar todos os outros.

Ø       A lei actual já prevê situações em que a mulher pode abortar sem ser punida. O que está em causa, no dia 11, é uma alteração do Código Penal, porque a lei actual é ineficaz no plano da prevenção e desproporcionada no plano da punição.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Dra, tendo em conta que temos 21 deputados europeu...

  • Ana Matos Pires

    Tranquilizar os demais é o meu nome do meio. Mande...

  • Anónimo

    A iniciativa do movimento é meritória mas inócua e...

  • Anónimo

    Obrigado pela sua douta opinião! Ainda bem que há ...

  • Anónimo

    Mas quem é que verdadeiramente pode dizer que conh...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds