Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

«No centenário do nascimento de Fernando Lopes-Graça» - 3

Acordai

Acordai, homens que dormis
A embalar a dor dos silêncios vis!
Vinde no clamor das almas viris,
arrancar a flor que dorme na raiz!

Acordai, raios e tufões
que dormis no ar e nas multidões!
Vinde incendiar de astros e canções
as pedras e o mar, o mundo e os
corações…

Acendei, de almas e de sois
este mar sem cais, nem luz de faróis!
E acordai, depois das lutas finais,
os nossos heróis que dormem nos covais.

Versos de José Gomes Ferreira e música de Fernando Lopes Graça

Casas mais baratas para jovens famílias em Vendas Novas

Os jovens casais que optem por construir a sua habitação em Vendas Novas vão poupar entre 2 e 3 mil euros, com a isenção de pagamento de taxas urbanísticas.

O novo Regulamento Municipal de Edificação, Urbanização e Taxas Urbanísticas (RMEUT), que deverá entrar em vigor no início do próximo ano, após publicação em Diário da República,  permite isenção de pagamento de taxas e encargos urbanísticos às construções para uso habitacional, não abrangidas por operações de loteamento e cuja área de superfície total de pavimento seja inferior ou igual a 150 metros quadrados.

«É uma medida para estimular a construção de habitação própria e criar condições para a fixação e atracção de jovens para o concelho», disse, à Lusa, o presidente da Câmara de Vendas Novas, José Figueira.

Bom Ano Novo para alguns

É assim que Monginho, através do seu cartoon no Avante!, aprecia os votos de Bom Ano Novo de alguns “empresários – eles marcham nos seus brutos carros, deixando para trás, através da falência das suas empresas, trabalhadores e suas famílias desesperados.

Museu da Ruralidade em Entradas

A Câmara Municipal de Castro Verde vai criar o Museu da Ruralidade em Entradas. O projecto, inserido no programa de reabilitação urbana daquela vila, avaliado em cerca de 500 mil euros, deverá ficar concluído em 2009.
Com o objectivo de dar a “conhecer, dignificar e valorizar” a memória socio-económica do concelho de Castro Verde, o futuro Museu da Ruralidade será instalado na chamada Casa da Leda – que custou 90 mil euros aos cofres da autarquia – e irá integrar a rede museológica do Município, onde se contam também, entre outros, a Oficina do Abegão, o Museu das Lucernas e o Tesouro da Basílica Real.

“Este novo núcleo em Entradas tem por fim preservar parte da memória da ruralidade do Campo Branco. Por outro lado, não há só alfaias associadas a uma memória desses tempos de agricultura, em que a presença humana era bem mais forte que agora e as ferramentas eram mais artesanais. Há também uma cultura associada e o Museu da Ruralidade pretende também ser um sítio importante no que diz respeito à tradição oral”, explicou ao “Correio Alentejo” o presidente da Câmara de Castro Verde, Fernando Caeiros.

«No centenário do nascimento de Fernando Lopes-Graça» - 2

Combate

Nada poderá deter-nos,
Nada poderá vencer-nos.
Vimos do cabo do mundo
Com esse passo seguro
De quem sabe aonde vai.

Nada poderá deter-nos
Nada poderá vencer-nos!

Guerras perdidas e ganhas
Marcaram o nosso corpo
Mas nunca em nós foi vencida
Essa certeza sabida
De saber aonde vamos

Nada poderá deter-nos
Nada poderá vencer-nos!

Os mortos não os deixamos
Para trás, abandonados,
Fazemos deles bandeiras,
Guias e mestres, soldados
do combate que travamos

Nada poderá deter-nos
Nada poderá vencer-nos!

Nada poderá deter-nos
Pró assalto das muralhas
nossos corpos são escadas
para as batalhas da rua
nossos peitos barricadas

Nada poderá deter-nos
Nada poderá vencer-nos!

Nada poderá deter-nos
Vimos do cabo do mundo
Vimos do fundo da vida:
Que somos o próprio mundo
E somos a própria vida

Nada poderá deter-nos
Nada poderá vencer-nos!

Versos de Joaquim Namorado e música de Fernando Lopes Graça


ACDE promoveu concursos de Montras e de Ementas

A Associação Comercial do Distrito de Évora (ACDE) promoveu um programa diversificado de animação,

no Centro Histórico,

durante a época natalícia.

De entre as várias iniciativas destacam-se

dois concursos:

Montras 2006

1º - Loja Cor de Alfazema

2º - Mango

3º - Loja Boa Boca

4º - Óptica Havaneza

5º - Nice Day

Participaram cerca de 90 lojas.

Melhor Ementa de Natal

1º - Restaurante Fialho

2º - Restaurante Coucheira Real

3º - Restaurante O Repas

Participaram 14 restaurantes.

Teatro Pax-Júlia recebeu 20 mil espectadores em 2006

Cerca de 20 mil espectadores assistiram aos 150 espectáculos que tiveram lugar noTeatro Municipal Pax-Júlia, ao longo do ano de 2006.

 

A estratégia do Pax-Júlia integra três vertentes: programação regular para formar novos públicos; diversificar a programação para abranger o máximo de público; e apostar na programação de qualidade.

 

Fechado desde final da década de 80, o Pax-Júlia foi adquirido pela Câmara Municipal de Beja, que iniciou, em 2001, obras de remodelação que terminaram em 2005.

Geminação de Beja com Tianjin

O Chefe de Gabinete do Presidente da Câmara Municipal de Beja visitou os municípios chineses de Tianjin e Taizhou, integrando uma comitiva composta por uma entidade bancária nacional, um consórcio de duas empresas ligadas à arquitectura e uma empresa financeira externa do sector imobiliário.

A visita realizou-se a convite do Conselho Consultivo para os Assuntos de Imigração e Liga dos Chineses em Portugal e consistiu em estabelecer contactos institucionais com autoridades chinesas, que mostraram interesse em desenvolver uma geminação entre Beja e Tianjin, cidade que também tem um aeroporto civil, e de trazer para Beja empresas que procuram a internacionalização tendo em conta as oportunidades de negócios que o futuro aeroporto oferece.

Miguel Quaresma afirmou que "o primeiro passo já foi dado e que agora, a partir de Janeiro, vão ser efectuados contactos com a embaixada chinesa e o Governo português". Informou ainda que "foi marcada também uma reunião com a EDAB para discutir as possibilidades que o aeroporto de Beja oferece" e que "se prevê para o final de Março de 2007 a visita da comitiva chinesa ao município e se possível também à OVIBEJA".

Pág. 1/7

Comentários recentes

  • Anónimo

    M. Frade, não compreendeu o que petendi dizer com ...

  • Munhoz Frade

    Quis dizer “gerar” e não “gerais”. Não reparei na ...

  • Anónimo

    Seria voltar a focar as questões ligadas ao modo d...

  • Munhoz Frade

    Um pouco de polémica, meu caro ZLG:Sabemos que cau...

  • Anónimo

    É pena que o próprio DA não se tenha interessado p...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds